8 coisas que você não sabia sobre Bill Gates - Fatos Desconhecidos

8 coisas que você não sabia sobre Bill Gates

Ciência e Tecnologia | Curiosidades | 16 de março de 2017 por Julia Marreto

Ele foi o número um da lista dos mais ricos do mundo da Forbes, nos últimos 22 anos. Talvez assim, as pessoas pensem que sabem muito sobre a vida desse gênio da tecnologia computacional, mas não. Bill Gates não recebe muita atenção assim. Houveram dois filmes sobre Steve Jobs e uma dissecação de tudo sobre a Apple, mas o fundador da Microsoft tende a manter um perfil bastante discreto.

Precisamos lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar e entreter. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem.

Sendo assim, nós aqui da redação da Fatos Desconhecidos selecionamos essa listinha com 8 coisas que você não sabia sobre Bill Gates. Algumas muito boas, outras nem tanto. Mas, de fato, é uma história de vida para se conhecer. Confira:

1 – Harvard era muito mais difícil do que imaginava

Gates sempre soube que era mais esperto do que o jovem médio de Seattle. Então, na escola, mostrava sua inteligência, sem dúvida para impressionar as garotas. As aulas eram moleza, até que ele entrou em Harvard. Sua primeira matéria de matemática teórica teve como nota final um B – equivalente entre 8,9 e 8, de 0 a 10 -, experiência completamente nova em sua vida. O que fez com que ele mudasse de matemática teórica para matemática aplicada, mas esse B estava longe de ser o seu último fracasso.

2 – Antes da Microsoft, teve uma empresa chamada Traf-O-Data

Paul Allen, o co-proprietário da Microsoft, conheceu Gates na escola. Num verão, quando Allen estava de volta à faculdade e Gates era um estudante do ensino médio, eles começaram um negócio. Apenas mais uma brincadeira adolescente. Eles criaram um minicomputador para rastrear o fluxo de tráfego.

Algo que pode soar incrivelmente chato, mas poderia ser muito útil para as cidades que quisessem saber onde colocar seus novos sinais de trânsito ou sinalizações de pare, alterações de estradas ou reparos. Gates surgiu com o nome de Traf-O-Data.

Depois de dois anos e 1500 dólares, enfim eles tinham um protótipo. Infelizmente, ninguém se importou. Eles não fizeram pesquisa de mercado, por isso não perceberam que o governo local não investia dinheiro facilmente. Paul Allen disse na Newsweek: Praticamente não tínhamos clientes.

Depois de seis anos de tentativa, a Tref-O-Data perdeu 3.494 dólares engavetou seus arquivos de tráfego para sempre. Obviamente isso não parou a dupla, mais tarde começaram a criar a Microsoft.

3 – Foi preso no Novo México

As aparências enganam. Em 1977 ele foi preso no Novo México, embora seu crime não tenha sido exatamente registrado. Poderia ser algum tipo de computador/esquema de contrabando de drogas? Não. Foi simplesmente uma violação de trânsito, não havendo registros exatos sobre o que ele havia feito para ser preso. Embora os detalhes não tenham sido revelados, ele aparece sorridente na foto tirada pela polícia de Albuquerque (Novo México – EUA).

4 – Disse que “ninguém está ficando rico” fazendo software

Em 1976, Gates escreveu uma “Carta aberta aos amadores”, para desencorajá-los a usar seu software sem pagar. A tecnologia era tão nova que não estava claramente coberta pela lei de direitos autorais. Gates estava convencido de que a cultura de “compartilhar” desencorajaria os programadores a se preocuparem em produzir novos softwares se soubessem que seriam roubados.

Gates pensou que a carta seria o ponto final, desde que pede que os consumidores paguem por um material que poderiam usar de graça e que eram bastante eficazes. Mas, as leis de direitos autorais continuaram indefinidas. Em 1979, um tribunal federal decidiu que uma empresa que vendia uma cópia exata de um jogo de xadrez de computador de outra empresa não era violação da lei.

Em uma entrevista à revista Microcomputing Magazine, a mais importante de todas as revistas de micro computação de 1980, Gates detalhou a importância do copyright de software e fez a seguinte declaração: “Não tem ninguém ficando rico software de escrita, que eu saiba”.

Na época isso era verdade, até mesmo porque as questões de licenciamento estavam completamente inexploradas. Gates não tinha razão para pensar que ele acabaria como o homem mais rico do mundo.

5 – Criticou os esforços de Allen, quando este estava doente

Gates e Allen tiveram uma longa relação de trabalho conjunto. Após o fiasco da Treaf-O-Data, os dois pressionaram, trabalhando incansavelmente para criar o software necessário para o próximo mundo de computadores. Desde que Gates nomeou a Traf-O-Data, Allen achou melhor ser o responsável por nomear qualquer empreendimento futuro, e assim, deu o lendário nome “Microsoft”.

Gates tinha muito respeito por Allen. Na verdade, ele abandonou Harvard no segundo ano, para se juntar a Allen no Novo México, para fazer seu negócio crescer. Mas, nem sempre o tratava como igual. Quando estrearam seu primeiro grande projeto juntos, a linguagem de programação BASIC, Gates passou horas verificando o trabalho de Allen. E estava completamente correto.

Apesar das grandes contribuições de Allen para a Microsoft, em 1982, ele ouviu Gates e Steve Ballmer (que dirigia o setor de negócios da empresa) falando sobre as diminutas contribuições de Allen, conspirando sobre como poderia diluir seu capital. mas Alle não estava apenas se afastando, ele tinha câncer.

Allen fez com que seus planos fossem por água a baixo e saiu da empresa um pouco depois. O feitiço foi contra o feiticeiro, quando Gates quis comprar as ações de Allen por US$5 por cada ação e Allen pediu US$10. Então, Gates disse “não, obrigado”. Allen manteve seu estoque, hoje ele possui quase US$20 bilhões.

6 – Problemas com monopólio

Como a Microsoft tornou-se uma gigante, a emprese teve de enfrentar um monte de problemas com monopólio. O governo estava de olho na Microsoft desde 1990 e, em 1994 fez com que a empresa assinasse um acordo para não usar sua preeminência sobre o mundo do software para manter a concorrência.

Em 1997, os Estados Unidos atacaram novamente, arquivando uma ação que a Microsoft violou o acordo, forcando os fabricantes de PC a usarem o Internet Explorer com o Windows 95. Os tribunais sentiram que estavam deliberadamente impedindo os concorrentes.

Durante anos, o processo continuou, com a Microsoft alegando que era fácil remover o Internet Explorer e testemunhas opostas alegando que era impossível remover. A Microsoft concordou que os fabricantes de computadores poderiam ter a opção de incluir ou não o Internet Explorer com o Windows.

Mas esse não era o fim. depois de muitos anos, um tribunal constatou que a Microsoft estava agindo como um monopólio e ordenou a empresa a “afrouxar” sua situação sobre a indústria. Mas, depois de muitos recursos, esse julgamento foi anulado e, em 2002, a Microsoft entrou num acordo.

Isso significava que a empresa podia ficar com uma companhia, mas que o software deles precisar ser compatível com aparelhos que não rodassem windows, além disso não podiam fazer nenhum acordo que mantivesse seus concorrentes fora da nova tecnologia computacional até 2011.

Então, em 2011, finalmente a Microsoft saiu completamente das entranhas do mundo do monopólio. E isso só levou 21 anos.

7 – É dono de uma casa insana, chamada Xanadu 2.0

Embora Gates teve sua sua parcela de dificuldades, foi recompensado por ser um gênio do software com um patrimônio de 75 bilhões de dólares. Ele não é conhecidos por esbanjar com compras loucas e caras. Ao contrário de Paul Allen – dono dos Seahaws de Seattle, tem uma coleção de aviões de guerra e fez um museu do Rock’n’Roll em Seattle, que contém lotes de sua coleção pessoal – Gates não tem hobbies desse tipo.

Mas, gastou o que queria nessa casa insana. Construída no Lago Washington, a propriedade de 66 mil metros quadrados é chamada de Xanadu 2.0. A parte mais incrível é que a casa tem a tecnologia home mais inteligente e que nenhum de nós teremos por, pelo menos, 40 anos.

A cada hóspede que chega é dado uma espécie de pino que interage com cada sensor da casa, que ajusta a iluminação e a música de acordo com seu gosto pessoal. Gates já estava à frente com a tecnologia touch, já que ele tem um controlador de temperatura em cada quarto, desde 1995.

Além disso, dentro das paredes da mansão está o Codex Leicester, o caderno de Leonardo da Vinci, que Gates comprou por 30,8 milhões de dólares.

8 – A fundação Bill e Melinda Gates encabeça a lista mais caritativa da Forbes

Apesar de sua casinha, Bill Gates realmente dá muito dinheiro para a caridade. Bill e Melinda Gates são a número 1 da lista de pessoas mais filantrópicas da Forbes, e não tem intenção de diminuir sua generosidade. Em apenas um ano comum, a fundação do casal doou 2,65 bilhões de dólares para combater a malária, pólio e outras doenças, além de mais alguns bilhões para a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A fundação Gates também dá milhões em bolsas de estudos universitários e outras causas educacionais. Ele deu quase um bilhão de dólares em bolsas de estudo para estudantes minoritários e recentemente criou um programa de bolsas de Cambridge com um incentivo de 2210 milhões de dólares.

Tudo somado, Bill e Melinda Gates doaram US$ 30,2 bilhões, um terço de seu patrimônio líquido.

Então pessoal, o que acharam da história de Gates? O que mais sabem sobre a vida dele? Encontraram algum erro na matéria? Ficaram com dúvidas? Possuem sugestões? Não se esqueçam de comentar com a gente!

Fonte(s) grunge
Imagens grungekumardeepak
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários