8 crianças que morreram por causa da negligência de seus pais - Fatos Desconhecidos

8 crianças que morreram por causa da negligência de seus pais

Terror & Sobrenatural | 10 de janeiro de 2017 por PH Mota

Quando algum casal decide começar uma família e passa pelos processos de ter uma criança, dizem que é um dos momentos em que mais se sente amor em toda a vida. Desde criança é comum ouvir dos pais que tem coisas que você só entende quando é pai ou mãe.

Dentro desses novos sentimentos que é possível compreender, é comum que esteja uma proteção e uma dedicação acima da média, não só por parte do amor, mas também pelo instinto natural de cuidar dos próprios filhotes que a gente carrega desde os tempos primitivos. Para algumas pessoas no entanto, outras crenças acabaram substituindo essa proteção, criando situações de risco que geraram doenças e mortes horríveis para seus próprios filhos.

Conheça a história de alguns casais que tentaram métodos alternativos de cura para doenças ou tomaram decisões que acabaram abandonando os próprios filhos, que não resistiram.

1 – Casal acredita na fé e deixa crianças sem intervenção médica

1

Herbert e Catherine Schaible eram membros de uma pequena comunidade Pentecostal na Pensilvânia (Estados Unidos) e acreditavam na cura por meio da fé. Em 2009, o casal perdeu uma criança de apenas 2 anos de idade que estava com pneumonia, porque insistiam em rezar ao invés de levá-la ao médico. Os dois foram acusados de homicídio involuntário e obrigados a procurar ajuda médica caso tivessem outro filho doente. A pena não adiantou, pois em 2014 eles foram julgados novamente depois que se recusaram a levar um bebê de oito meses de idade, o que garantiu uma pena de sete anos na prisão para cada um. Os filhos do casal foram mandados para as casas de parentes e famílias adotivas.

2 – Pais deixam criança passando fome mesmo tendo comida

2

Tivasha E. Logan e Chauncey Gardner tinham muita comida em casa quando sua filha de cinco meses de idade morreu de fome. Além disso, o casal recebia um cheque no valor de US$ 674 da Segurança Social mensalmente, como parte de um programa para ajudar a alimentar famílias. Desde que nascera, a criança nunca fora levada ao hospital e cada vez perdia mais peso, enquanto o casal também criava outros três filhos e duas crianças de um relacionamento anterior de Tivasha. Depois da morte da menina, a mãe foi condenada à prisão perpétua e o pai a 30 anos na cadeia, depois de alegar que não vivia mais na casa e não tinha conhecimento da situação da garota.

3 – Casal vegano dá apenas leite de soja e suco de maçã para criança

3

Todos os mamíferos precisam beber leite. É isso que dá o nome à classe, que possui espécies que precisam mamar ao nascer. Um casal vegano de Atlanta (Estados Unidos), no entanto, achou que poderia alimentar o filho de seis semanas com apenas leite de soja e suco de maçã, o que provocou a morte da criança. Os pais levaram o bebê ao hospital quando ele parou de respirar, mas não foi possível ressuscitá-lo. Quando morreu, o bebê tinha apenas 1,5 kg, peso comum de fetos no sétimo mês de gravidez. Jade Sanders e Lamont Thomas foram condenados a passar a vida na cadeia pela morte do filho.

4 – Veganos alimentam bebê com suco de tomate e água

4

Em 2001, Hasmik e Garabet Manuelyan também foram parar na justiça depois que sei bebê de nove meses morreu de pneumonia causada por malnutrição. O casal alimentava o bebê com apenas suco de tomate e água, ignorando o aviso de um médico que alertou sobre a saúde da criança um dia antes da morte. O doutor recomendou alimentação intravenosa imediata, mas os pais deixaram a clínica. Outros duas crianças já haviam sido tiradas do casal por serviços de proteção, mas eles alegavam que estavam apenas seguindo as leis da natureza. Surpreendentemente, os dois foram condenados a apenas três anos de serviço comunitário porque o juiz acreditou que a morte de seu filho e a perda de outros dois era punição suficiente.

5 – Casal deixa filho morrer de meningite

5

Os canadenses David e Collet Stephan sabiam que seu filho de apenas 19 meses estava doente, mas acreditaram que era apenas um resfriado comum e o trataram em casa com remédios feitos com ingredientes naturais, como pimentas, alhos, cebolas e outros. Eles continuaram com o tratamento por mais de duas semanas, mesmo depois de um amigo ter dito que o garoto sofria com meningite. Quando a família decidiu tratar o garoto, o levou para uma clínica de medicina natural e só quando ele parou de respirar, a um hospital. Depois de cinco dias internado, o garoto não resistiu e morreu. A mãe foi condenada a três meses de prisão domiciliar e o pai a quatro meses na cadeia, pois não apresentou remorso e reconhecimento de culpa pela morte da criança.

6 – Gamers deixam filho morrer enquanto cuidam de criança virtual

6

O casal coreano Kim Jae-beom e Kim Yun-jeong estava tão viciado no jogo virtual Prius que deixou seu filho morrer. Todos os dias, o casal deixava o filho de três meses sozinho com uma garrafa de leite enquanto iam para uma espécie de lan house se divertir com o jogo e cuidar de crianças virtuais conhecidas como Anima. Num dia, quando voltaram para casa encontraram a criança morta e chamaram a polícia, que constatou morte de fome por meio da autópsia. O casal foi acusado pelo homicídio, mas os advogados alegaram que eles sofriam com vício, o que retirou parte da pena e fez com que eles passassem menos de um ano atrás das grades.

7 – Mãe usa chá de dente-de-leão e óleo de orégano para tratar infecção

7

Tamara Lovett não acreditava na medicina convencional. Seu filho não tinha certidão de nascimento e nunca tinha ido a um médico na vida. Quando ele foi infectado com escarlatina – uma doença que provoca febre alta e pequenas manchas vermelhas na pele –, a mãe preferiu tratar o problema com chá de dente-de-leão e óleo de orégano. Depois de não ver sucesso, a mulher decidiu levar o filho ao hospital, mas a decisão veio tarde demais e ele morreu um dia depois com falha múltipla dos órgãos.

8 – Pais deixam filha morrer por não utilizar antibióticos

8

Christine Deloziar nunca havia tomado remédios durante a infância, então decidiu rejeitar a medicina moderna mais uma vez quando teve uma filha. Seu marido, Ebed, tinha uma visão similar e apoiava a decisão. Quando a filha do casal teve um problema de infecção no ouvido, sofreu com febre de quase 40ºC e vômitos. A infecção eventualmente provocou uma ruptura no ouvido, que causo o vazamento de fluidos, o que ainda não motivou a família a levar a criança para o hospital. Quando finalmente a mãe da menina decidiu buscar um médico, a criança já havia parado de respirar e estava morta, o que poderia ser evitado com um simples antibiótico. O pai da menina foi condenado a passar de 4 a 23 meses na prisão, enquanto a mãe passou por supervisão por 16 meses.

Dá pra acreditar que os pais conseguiram desprezar tanto a saúde de seus filhos que foi impossível salvá-los? Qual caso você achou mais chocante?

Fonte(s) Oddee
Imagens OddeeNBC Neb
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários