8 mais estranhas regras de etiquetas que todo mundo seguia no século 19 - Fatos Desconhecidos

8 mais estranhas regras de etiquetas que todo mundo seguia no século 19

História | 10 de março de 2017 por PH Mota

O povo da Era Vitoriana – período em que a Rainha Vitória reinou na Inglaterra, entre 1837 e 1901 – conquistou uma reputação história exemplar de comportamento. Parte disso se deve ao fato de que os membros da alta classe da nobreza precisavam seguir um rígido padrão de etiquetas para manter o respeito social. Hoje em dia, várias dessas regras parecem idiotas e arbitrárias, mas a educação e gentileza formavam boa parte da base dos comportamentos da época.

De fato, alguns deles eram realmente arbitrários, sendo percebidos até mesmo como exagerados ou sem nenhum propósito. Na Era Vitoriana, existiam padrões definidos para fazer novos amigos, manter contato com os antigos ou até mesmo na forma de cortar o relacionamento com os indesejados. Por conta do número de costumes esperados, era importante conhecer as regras para ter certeza de que você estava demonstrando respeito da forma correta em todas as esferas sociais, com servos, conhecidos, nobres ou membros do clérigo.

Algumas das regras, podiam até mesmo ir longe demais, fazendo com que críticos contemporâneos a elas destacassem elementos ridículos dos padrões. Alguns momentos eram satirizados em jornais e revistas, por meio de charges, caricaturas ou textos, assim como é possível perceber em veículos de mídia atuais.

Sabendo disso, fazemos um convite educado e formal para que vocês conheçam algumas das regras comuns para a época que podem parecer absurdas hoje em dia.

1 – Não fazer trocadilhos

Na época, era recomendado que provérbios e trocadilhos fossem evitados em conversas casuais. Além disso, damas respeitáveis não deveriam entrar em discussões longas de mais, evitando falar de temas como religião. Por outro lado, elas deveriam estar sempre atualizadas nas informações do momento, para que pudessem acompanhar a conversa de seus parceiros em eventos sociais, desde que não interrompessem nenhuma outra pessoa falando ou não entrassem em conversas que não tivessem nenhum conhecimento.

2 – Sempre carregar perfumes e colônias

Um conselho comum para damas viajantes do século 19 era estar sempre em posse de pequenos frascos de perfumes, colônias ou sais carregados com fortes odores em todos os lugares que fossem. Para quem estava sempre em trânsito, também era importante guardar gorjetas para dar a motoristas de carruagens. Além disso, cumprimentar todo e qualquer desconhecido que cruzasse o olhar com quem estava sendo transportado também podia ser considerado extremamente educado.

3 – Manter dois anos de luto

Lamentar a morte de um ente querido se tornou algo muito especial durante a Era Vitoriana. Ainda que o povo da época fosse fascinado pela vida e todas as suas belezas, a estranha obsessão pelos temas da morte se tornou popular com grandes epidemias da época e a morte do filho da Rainha Vitória. A princípio, os lutos eram demonstrados por meio da utilização de véus negros por cerca de três meses, mas o uso de chapéus pretos era prolongado para nove meses e o de vestidos no mesmo tom podia chegar a até dois anos. Aproveite para ler também 7 estranhas mortes da era vitoriana publicadas nos jornais.

4 – Escolher os papéis e vocativos corretos

Bem diferente dos teclados e telas sensíveis a toque que utilizamos hoje em dia, o papel era o principal meio utilizado para troca de mensagens entre pessoas a distância. Cartas e recados formais deveriam ser enviadas em papéis completamente lisos, para evitar uma visão negativa de quem recebia as mensagens. No caso de convites para grandes eventos, era importante saber escolher os vocativos apropriados com a posição social de cada convidado. Além disso, fazer convites escritos em terceira pessoa era o recomendado.

5 – Chegar tarde em festas

As regras de etiquetas para festas formavam uma categoria própria no extenso conjunto de costumes da época. Para festas de gala realizadas à noite, no horário do jantar, o recomendado era que os convidados chegassem 15 minutos depois do horário marcado. Para dar início ao evento, os convidados mais importantes e de mais destaque deveriam entrar no salão de festas antes dos outros.

6 – Não fumar na presença de donzelas

Durante o período, era considerado extremamente rude o fato de um homem fumar na presença de uma mulher, assim como era deselegante para as damas se aproximar de homens que estavam de posse de cigarros, charutos ou cachimbos. Caso o encontro fosse inevitável, o ideal era que o fumo fosse apagado para que a conversa pudesse seguir normalmente.

7 – Dançar apropriadamente

As danças eram levadas muito a sério durante o período. Em bailes de gala, uma mulher que dançava mais de três vezes com o mesmo homem podia gerar comentários e olhares dos presentes, caso não se tratasse de um casal estabelecido. Não era recomendado que homens que não soubessem dançar fossem até os bailes. Além disso, abordar uma mulher sem fazer uma apresentação formal antes de um convite para dança era extremamente deselegante.

8 – Se comportar durante passeios de carruagem

Quando os homens estavam fazendo viagens de carruagens, o ideal era que sentassem com as costas para a direção do cavalo e nunca dividissem assento com uma mulher com quem não mantivessem uma relação. Além disso, se o método de transporte utilizado fosse a montaria sobre um cavalo, era considerado educado e elegante descer do animal caso fosse conversar com alguma mulher. Isso devia ser feito para evitar que ela precisasse ficar olhando para cima durante o encontro.

O que achou das regras? Será que alguma delas deveria voltar à realidade de hoje em dia?

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários