DNA: O que acontece quando você combina a vontade de aprender com as emoções de uma competição? - Fatos Desconhecidos

DNA: O que acontece quando você combina a vontade de aprender com as emoções de uma competição?

Ciência e Tecnologia | Patrocinado | 18 de abril de 2017 por PH Mota

Aqui na Fatos Desconhecidos a gente adora aprender, ensinar, responder desafios e usar a internet para saciar a nossa curiosidade e a de vocês, leitores. Agora, imagine misturar tudo isso num verdadeiro desafio de conhecimento que você pode realizar pela internet e ainda ganhar prêmios em dinheiro.

Quando a gente fala assim, parece uma oportunidade e tanto, ainda mais para quem está acostumado a ler curiosidades e responder enigmas com tanta frequência. Quem é estudante, criativo, tem bom raciocínio lógico e sabe trabalhar em equipe agora tem um espaço em que pode colocar todas essas habilidades em teste: o Desafio Nacional Acadêmico.

Também chamado de DNA, o desafio foi desenvolvido em 2006 e já é considerado a maior competição de conhecimento realizada no Brasil. Por meio de uma experiência “gamificada”, o DNA convida estudantes de todo o país a responderem desafios trabalhando em equipe e aplicando diferentes técnicas de conhecimento.

Inspirado na filosofia WEBQUEST, criada por Bernie Dodge em 1995, o DNA propõe uma atividade investigava em que alguma ou toda informação com que os alunos interagem provém da internet. “Mas como assim?”, você pode estar se perguntando. Calma, a gente explica.

Como funciona a competição

O desafio proposto pelo DNA é bem simples. Por meio de equipes com até cinco pessoas, alunos e professores de nível médio e fundamental (5ª, 6ª, 7ª, 8ª e 9ª séries) ou qualquer pessoa interessada em participar, incluindo universitários, podem se inscrever na página oficial do DNA na internet. A partir daí, os participantes inscritos vão passar por três fases.

Na primeira delas, as equipes têm um prazo de 36h para responder 110 questões que abordam todo tipo de assunto, passando por história, artes, música, tecnologia, esporte, raciocínio lógico e muitos outros. O objetivo não é responder as questões o mais rápido possível, mas sim conseguir acertos para acumular vários pontos e conseguir um bom resultado para a fase seguinte.

Como são os desafios?

A ideia é que os participantes consigam responder todos os desafios utilizando pesquisas feitas na internet. Por exemplo, na questão apresentada na imagem acima, como você encontraria a resposta? Pode parecer extremamente complicado, mas vamos te mostrar como encontrar a solução, para você entender a proposta do desafio.

Na imagem, é possível perceber alguns hieroglifos egípcios. Ao jogar termos como “alfabeto hieroglifos egípcios” no Google, rapidamente você vai encontrar tabelas que permitem decifrar a palavra escrita. No caso do nosso desafio, está escrito ORRAC. Mas todos sabem que essa não é uma palavra real.

Com um pouco de observação, dá para perceber que se trata apenas da palavra CARRO, ao contrário, o que faz sentido, já que vários hieroglifos egípcios eram lidos de trás para frente. Porém, o desafio diz que a resposta tem 6 caracteres, enquanto carro possui apenas 5. O que fazer?

A imagem do desafio também traz a foto de um homem japonês e diz que ele não se lembra da palavra em questão. Se ele é japonês, será que estaria tentando se lembrar da palavra em português? Ao tentar traduzir carro para o japonês, chegamos à palavra “kuruma”, que possui exatamente 6 caracteres.

Deu pra perceber como é possível utilizar a internet e os elementos da questão para encontrar as respostas? Talvez à primeira vista pareça complicado, mas com uma equipe criativa e dedicada, tudo fica mais fácil e, é claro, divertido.

Próximas fases

Depois de concluída a primeira fase, as equipes precisam executar algumas tarefas. A ideia da segunda parte da competição é que os participantes tenham uma dinâmica complementar à fase digital, com trabalhos fora do computador.

Para se ter uma ideia do que pode ser proposto, as edições anteriores do concurso contaram com desafios como a recriação do avião 14-Bis, a realização de uma fantasia de uma celebridade da história do Brasil, o desenvolvimento de uma maquete da Catedral de Brasília e a construção de uma réplica da obra O Pensador, de Auguste Rodin.

Por último, uma terceira fase que consiste em um Enigma Final é realizada entre as equipes finalistas. Nessa fase, os participantes terão que resolver um último desafio com um enorme nível de dificuldade. Depois da realização de todas as etapas, a equipe que acumular mais pontos em todas as fases será nomeada campeã.

Inscrição e premiação

Para se inscrever nas categorias Ensino Fundamental e Ensino Médio, a participação acontece a partir do intermédio de escolas. Cada instituição escolhe um professor organizador, que fica responsável por formar as equipes e realizar as inscrições. Nessas duas categorias, a participação de um professor representante é obrigatória.

Para quem tem interesse em participar sem a ajuda de uma escola ou um professor, é possível fazer a inscrição na categoria Aberta. Nesse caso, as equipes também devem ter até 5 participantes, mas não precisam de um professor responsável.

Os integrantes da equipe vencedora irão ganhar um troféu e cinco vales-compras no valor de R$ 1 mil cada. Além disso, o professor responsável pela equipe campeã também recebe um troféu e um vale-compra com o mesmo valor. Todos os participantes da competição também receberão um certificado de 40h complementares pela participação no desafio.

A inscrição custa R$ 20 por pessoa e pode ser feita pela internet. A primeira etapa do desafio acontece nos dias 20 e 21 de maio e a final no dia 27 de maio.

E aí, será que você está pronto para encarar o desafio e mostrar que entende de tudo quando o assunto é raciocínio lógico e conhecimentos gerais?

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários