Esse lugar é conhecido como a “Porta do Inferno” e você não vai gostar do que está acontecendo lá - Fatos Desconhecidos

Esse lugar é conhecido como a “Porta do Inferno” e você não vai gostar do que está acontecendo lá

Mundo Afora | 17 de março de 2017 por Mateus Graff

Se você é um cristão, provavelmente acredita em céu e inferno, certo? Bom, na região da Rússia,exatamente na Sibéria, existe um imenso buraco que os moradores estão acreditando ser a “Porta do Inferno”. Por que? O tal buraco tem 1 quilômetro de extensão e cerca de 85 metros de profundidade. Até aí tudo bem, o problema é que o buraco não para de crescer e pode trazer sérias consequências para os morados da região. Por falar em inferno, vocês já leram a nossa matéria com as 7 histórias de pessoas que dizem ter ido ao inferno e voltado?

Batagaika, como é conhecido o “Portão do Inferno”, emerge na floresta boreal da Sibéria à medida que o permafrost, um tipo de solo que está sempre congelado, derrete como consequência do aquecimento global, mas a primeira vista realmente parece ser um fenômeno natural. O processo desse buraco começou ainda em 1960, quando uma grande parte da floresta foi desmatada. Tal gesto desencadeou uma série de eventos geológicos catastróficos, como citamos acima.

A cratera crescia em média 10 metros por ano, porém, devido ao aquecimento global, o buraco está aumentando em média 30 metros por ano, segundo o estudo do Instituto Alfred Wegener em Potsdam, na Alemanha, que monitora o buraco já há algum tempo. Bom, as camadas de sedimentos expostas revelam algumas coisas do passado, do presente e do futuro. Tais camadas guardam resquícios de plantas e animais do passado, já que o solo é “congelado”, e mostram que lá foi uma área com uma densa floresta.

A partir de buracos como esse, os cientistas analisam os sedimentos para tentar esclarecer a cronologia exata da cratera. Em entrevista a BBC, o professor da Universidade de Sussex, na Inglaterra, Julian Murton, afirmou o seguinte: “Queremos saber se as mudanças climáticas durante a última Era do Gelo esteve caracterizada por uma grande variabilidade, com períodos intercalados de aquecimento e esfriamento”.

Além da cratera de Batagaika continuar a aumentar, por conta da temperatura que segue aumentando na Sibéria, outras mega crateras como essa podem começar a aparecer logo logo. Imagens feitas por satélites já mostram que existem dezenas de lagos formados no norte da Sibéria, todos por consequência dessa tal camada de gelo “permanente”.

É claro que esse não é um processo veloz que vai acabar com a região da Sibéria nos próximos anos, mas a longo prazo esse processo pode trazer sérias consequências, como acelerar o aquecimento. A medida que o degelo vai avançando, mais e mais carbono é exposto a micróbios, esses que consomem carbono e produzem dióxido de carbono e metano, gases que causam o efeito estufa.

Para vocês terem uma ideia, o gás metano pode acumular 72 vezes mais calor do que o dióxido de carbono em apenas 20 anos, isso sem falar que os gases liberados pelos micróbios na atmosfera aceleram ainda mais o aquecimento, como se fosse uma grande bola de neve.

“É o que chamamos de ‘feedback positivo'”, explica Frank Gunther, do Instituto Alfred Wegener. “O aquecimento acelera o aquecimento e, no futuro, poderemos ver mais estruturas como a cratera de Batagaika”, afirma o especialista.

Já conheciam a tal “Porta do Inferno”? Acham que esse pode ser o começo do fim do mundo? Comentem!

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários