Recentemente, autoridades do Egito anunciaram a descoberta de 14 sarcófagos com cerca de 2,5 mil anos em Saqqara. Dessa forma, os sarcófagos foram encontrados a 25 km das pirâmides de Gizé. De acordo com os arqueólogos que estavam no local, os sarcófagos estavam no fundo de um poço.

Primeiro, os arqueólogos encontraram apenas um artefato. Depois disso, eles continuaram a procurar e encontraram mais 13 sarcófagos. Segundo Ministério de Antiguidades do Egito, sítio de Saqqara é uma vasta necrópole. Ou seja, o sítio é uma espécie de cemitério antigo. Com isso, o lugar abriga a pirâmide de Djoser, uma das obras mais antigas do mundo. E claro, entre outros artefatos.

Sarcófagos muito bem preservados

Publicidade
continue a leitura

Pelas imagens, podemo ser que os sarcófagos estão muito bem preservados. Assim, até mesmo as inscrições hieroglíficas se encontram em ótimo estado de conservação. Também vale lembrar que, essas descobertas arqueológicas têm sido bastante importantes para o turismo na região. Por isso, as autoridades estão bastante empolgadas com a descoberta.

Segundo o ministro do Turismo e Antiguidades, Khaled al-Anani, esse é era apenas o começo. Isso porque, desde o último mês, o número de sarcófagos subiu para 50. Desse modo, os novos artefatos encontrados datam da 26ª dinastia do Egito, que durou entre os anos de 688 a.C e 525 a.C.

Bem como os anteriores, os arqueólogos encontraram os sarcófagos próximos a poços funerários. Além disso, as múmias também estão preservadas e os hieróglifos indicam que se trata de sacerdotes. Juntamente com os caixões também foram encontrados os restos de 28 pequenas estátuas. Dito isso, a mais preservada era feita de bronze e possuía cerca de 35 centímetros de altura. Segundo especialistas, esta é uma imagem que representa o deus Nefertem. Na imagem, vemos Nerfertem usando um cocar em forma de flor de lótus. Assim, o acessório é feito materiais valiosos: ágata vermelha, turquesa e lápis-lazúli.

Publicidade
continue a leitura

Mais sarcófagos encontrados recentemente

Arqueólogos também encontraram uma estátua que retrata o deus Ptah-Soker, uma amálgama dos deuses Ptah e Soker. Assim, vale lembrar que essa foi a primeira a ser encontrada. "Saqqara era chamado de Saqqara por causa do deus Soker. No período tardio, havia uma combinação do deus Ptah de Memphis com Soker", afirma Zahi Hawass, ex-ministro de antiguidades. Além disso, os envolvidos também encontraram diversas estatuetas de Shabti. De acordo com os povos antigos da região, a estatua ajudaria na vida após a morte.

Publicidade
continue a leitura

Atualmente, Mustafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, lidera uma equipe de buscas no Egito. Dessa forma, o secretário-geral afirma que irá divulgar mais resultados em breve. Porém, a ação do governo já não está sendo bem vista. Isso porque, muitos dos artefatos foram abertos sem nenhum tipo de proteção.

Em um vídeo, é possível ver pessoas em volta dos sarcófagos tirando fotos e fazendo vídeos. Nas imagens, ainda é possível ver que um dos sarcófagos é aberto sem o uso de luvas. De fato, é assustador imaginar que esse tipo de situação tenha acontecido em 2020. Após a abertura, especialistas levarão os sarcófagos para o Grande Museu do Egito. De acordo com o governo, a inauguração do museu está sendo adiada para o próximo ano.

Publicado em: 08/10/20 11h30