Natureza

5 animais que muita gente acha que não são reais

0

A natureza é surpreendente, e claro que existem alguns animais impressionantes que parecem que não são reais.

A evolução está diretamente ligada com o avanço da humanidade e o que entendemos sobre o mundo ao nosso redor. Por isso, o que consideramos como conhecimento hoje já foi algo desconhecido há muitos anos.

E isso inclui nosso entendimento sobre os animais que habitam ou habitavam a Terra.

Um exemplo disso é que certas espécies já foram até consideradas como seres mitológicos, produtos da imaginação humana. Essa perspectiva, é claro, mudou quando cientistas conseguiram comprovar suas existências.

E se você acha que apenas criaturas exóticas se encaixam nessa categoria, aqui está alguns animais impressionantes que já pensamos não existir de verdade:

5 animais impressionantes que tivemos dúvidas que existia

1. Gorila

Via PxHere

Acredite se quiser, apesar de serem considerados um dos parentes vivos mais próximos dos seres humanos, compartilhando mais de 98% do DNA com a gente, os gorilas não foram imediatamente aceitos como animais reais após sua descrição inicial por Thomas Savage em 1847.

Em 1859, o explorador Paul du Chaillu embarcou em uma expedição à África Central, onde voltou com relatos de grandes animais, meio humanóides, que supostamente tinham a capacidade de andar sobre duas pernas.

Essa ideia inicialmente provocou risos na comunidade científica, até que os ossos de gorilas chegaram às mãos dos cientistas europeus.

2. Narval

O narval, uma baleia de tamanho médio encontrada na região do Ártico, é famoso por ter um canino superior alongado que se assemelha a um chifre, o que lhe rendeu o apelido de unicórnio-do-mar.

Mas ao contrário da crença popular, a origem do mito do unicórnio não está ligada ao cavalo, mas sim a essa criatura marinha.

Durante cerca de 200 anos, toda a Europa medieval duvidava da existência desse animal, interpretando seu canino como um chifre de unicórnio, especialmente presente nos machos da espécie.

Essa perspectiva mudou drasticamente quando Carlos Lineu, um renomado zoólogo, o catalogou em 1758 na obra “Systema Naturae”, após analisar os ossos do narval.

Via Animalia

3. Kraken

Certamente você já ouviu falar sobre o Kraken, mas na forma de uma criatura mitológica da Idade Média, parte de histórias sobre o mar e até mesmo tema de canções e filmes.

No entanto, ao contrário do que se acreditava, a espécie do Kraken traz animais impressionantes e reais.

Através de relatos de marinheiros e análise de restos mortais, descobriu-se que se trata de uma espécie específica de lula, denominada Architeuthis dux.

Apesar de não ser mais um mito, ainda há muito para entender sobre essa criatura. Pouco se sabe sobre seu ciclo de vida e hábitos. Ao longo deste século, o Kraken foi avistado apenas duas vezes, em 2006 e 2012.

As informações conhecidas incluem seu habitat, que se estende às profundezas extremas dos oceanos Pacífico e Atlântico, seu tamanho, com os machos atingindo até 10 metros e as fêmeas até 14 metros, e o impressionante tamanho de seus olhos, cujo diâmetro pode alcançar até 30 centímetros.

4. Ornitorrinco

O ornitorrinco, um mamífero que põe ovos, já foi alvo de muita desconfiança devido à sua natureza incomum. Afinal, ele tem uma aparência exótica e hábitos naturais muito diferentes.

A combinação de um bico semelhante ao de um pato com a cauda de um castor não ajudava em sua credibilidade.

No século XVIII, quando cientistas britânicos apresentaram o esqueleto desse animal pela primeira vez, muitas pessoas consideraram a descoberta uma piada.

Até mesmo o diretor do museu de ciências naturais duvidou da autenticidade da criatura, mas esses animais impressionantes existem e são parte importante da cadeia natural.

Via Animalia

5. Dragão-de-komodo

Por fim, temos o dragão-de-komodo, que também é um animal impressionante. Réptil nativo da Indonésia, ele se destaca por seu tamanho, chegando a cerca de 3 metros de comprimento, o que o torna o maior lagarto do mundo.

Além da forma física, ele é muito perigoso para suas presas: após mordê-las, espera pacientemente até que morram devido aos ferimentos.

Durante muito tempo, acreditou-se que as bactérias presentes em sua boca fossem responsáveis pela morte das presas. No entanto, agora sabemos que é o veneno desse animal que induz a graves hemorragias.

A descoberta aconteceu inicialmente em 1910, quando rumores sobre um “crocodilo terrestre” chegaram ao conhecimento do tenente holandês van Steyn van Hensbroek, que liderou uma expedição para encontrá-lo.

Entretanto, sua existência só se tornou oficial após 1912, quando o diretor do Museu Zoológico em Bogor, Java, publicou um artigo científico sobre a espécie.

 

Fonte: Mega Curioso

Imagens: PxHere, Animalia, Animalia

Como lavar a airfryer sem esforço e sem estragar nada

Artigo anterior

Poliamor: novo estudo faz descobertas surpreendentes sobre o tema

Próximo artigo