5 empresas que estão censurando a internet sem você perceber

POR Rafael Miranda    EM Ciência e Tecnologia      26/01/16 às 18h45

Sem a gente perceber, a liberdade na Internet está sendo afunilada. Assim, empresas multinacionais, que estão em constante expansão e aquisição de startups menores - fazem seu domínio se estender de forma gradual. Felizmente, por enquanto, a internet continua sendo um lugar fundamentalmente "livre" na maioria dos países.

Algumas empresas estão competindo para preencher um grande nicho no mercado web: Esse nicho é a remoção da privacidade dos utilizadores da Internet. Algumas empresas identificaram esta necessidade e determinaram o obstáculo para cumprir essa necessidade (liberdade de expressão).

Assim, grandes empresas estão desenvolvendo produtos que resolvem o problema (ou seja, produtos que poderiam contornar o seu direito à privacidade e liberdade de expressão).

Estas cinco empresas foram identificadas pelo grupo Repórteres Sem Fronteiras como 'Inimigos da Internet'. Confira quais são elas:

1- Hacking Team

a1

O Hacking Team vende um "sistema de controle remoto" chamado DaVinci para escritórios em Milão, Annapolis e Cingapura. É um assistente de criptografia projetado para quebrar a segurança de e-mails, arquivos e protocolos de Internet. Basicamente, é um cavalo de tróia super poderoso.

DaVinci tem o poder de invadir emails e-mails, monitorar conversas via internet, chat, plataformas de vídeos como o Skype, Facebook e ativar remotamente microfones e câmeras em computadores ao redor do mundo. O spyware é compatível com Windows, Mac, Linux, iOS, Android, Symbian e Blackberry - basicamente, qualquer sistema que você gosta.

2- Blue Coat

a2

Localizado em Sunnyvale, Califórnia, a tecnologia da Blue Coat Deep Packet Inspection (DPI) é uma ferramenta usada em países como Síria e Birmânia. O DPI permite que empresas e governos apliquem filtros de censura na internet do país. Palavras censuradas ou proibidas, ou certos tipos de atividades como BitTorrents podem ser bloqueadas.

3- Trovicor

a3

A ex-subsidiária da Siemens agora tem suas próprias filiais na Suíça, Alemanha, Dubai, Paquistão, Malásia e República Checa, que abastecem mais de 100 países com equipamentos de vigilância e "tecnologia de intercepção legal". Em 2010, Trovicor foi questionado pelo Subcomitê do Parlamento Europeu sobre Direitos Humanos sobre suas supostas vendas para o Irã, Bahrein e Síria, onde os governos empregam a tecnologia ocidental para monitorar, prender e torturar os jornalistas e dissidentes como uma questão de disciplina.

4- Amesys

a4

Muammar Gaddafi, era cliente dessa empresa. O contrato da Amesy com a polícia secreta de Gaddafi foi a causa da morte e tortura de jornalistas líbios, como Khaled Mhiri - um correspondente da Al Jazeera - que acabou sendo forçado a se esconder durante a Primavera Árabe. A Federação Internacional dos Direitos Humanos está atualmente processando esta empresa por cumplicidade na tortura.

O principal produto da Amesy é chamado EAGLE. Ele é composto de uma sonda de rede, uma série de sistemas de armazenamento e um centro de monitoramento que coordena a classificação de informações na internet.

5- Gamma Internacional

a5

FinFisher inclui todos os malwares que você precisa para infectar PCs, telefones celulares, eletrônicos e servidores proxy inteiros, e é apoiado por recursos de comando e controle robustos para a realização de tarefas monitoramento na internet. E o melhor de tudo é que uma vez plantado, o malware da Gamma é quase impossível de ser removido.

Via   The Richest  
Imagens The Richest TSAC
Rafael Miranda
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+