icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


7 assassinos em série que foram liberados cedo demais da prisão

POR Erik Ely EM Mistérios & Horror 15/01/20 às 15h58

capa do post 7 assassinos em série que foram liberados cedo demais da prisão

Quando uma serial killer é condenado por seus crimes, esperamos que ele cumpra sua pena, ou ainda, receba a punição determinada pelo país. No entanto, sabemos que na maioria das vezes, a justiça não funciona como deveria. Por isso, separamos 7 assassinos em série que foram liberados cedo demais da prisão.

Mesmo que esses assassinos em série tenham cometido os crimes mais horrendos que podemos imaginar, uma hora eles precisavam voltar para a sociedade. Contudo, sem medidas para ressocialização e um sistema prisional precários, é muito chocante, mas provável que criminosos voltem a cometer os mesmos crimes.

1 - Anjos da morte de Lainz

Waltraud Wagner, Maria Gruber, Irene Leidolf e Stephanija Meyer foram enfermeiras austríacas, que mataram 49 pacientes, na década de 1980. No entanto, em 1989, elas foram presas e condenadas à leves sentenças. Atualmente, todas estão soltas e com novos nomes.

2 - Charlene Gallego

No final da década de 1970, Charlene Gallego e seu marido mataram 10 vítimas que mantinham como escravas sexuais. No entanto, 1984, Charlene se declarou culpada e foi presa por 16 anos. Contudo, Charlene foi liberada e seu marido, Gerald Gallego, morreu de câncer enquanto aguardava execução.

3 - Nikolai Dzhumagaliev

De acordo com Nikolai Dzhumagaliev, ele era um homem que gostava de caçar. Contudo, somente em 1979, ele caçou uma mulher, cortou sua garganta e bebeu seu sangue. Depois disso, ele foi encontrado e encaminhado para uma clínica psiquiátrica. Contudo, ao ser liberado, um ano depois, Nikolai matou 10 pessoas e serviu os restos mortais para convidados em um jantar. Atualmente, ele permanece em uma clínica psiquiátrica.

4 - Arnfinn Nesset

Em 1981, haviam muitas suspeitas de mortes entre pacientes idosos em uma casa de repouso na Noruega. Por fim, as suspeitas estavam certas, Arnfinn Nesset, o enfermeiro-chefe, confessou a morte de 27 pacientes, durante seus turnos. Contudo, mesmo depois dos números crescerem para 132 pacientes, Nesset foi preso por apenas 21 anos. Atualmente, ele está solto, uma vez que esse é a pena máxima de prisão, na Noruega.

5 - David McGreavy

No ano de 1973, David McGreavy assassinou brutalmente três crianças. Depois disso, ele fez jus ao apelido de "Monstro de Worcester". Ao ser preso, ele disse que os matou porque as crianças de 4, 2 e 9 meses não paravam de chorar. Contudo, mesmo condenado à prisão perpétua, David foi liberado em 2019, e seu comportamento permanece sobre vigilância.

6 - Somkid Pumpuang

Em 2007, Somkid Pumpuang ficou conhecido como "Jack, o Estripador da Tailândia". Na época, o criminoso foi preso por assassinar cinco mulheres a sangue frio. Depois disso, ele foi condenado a prisão perpétua. No entanto, foi liberado por seu um "prisioneiro modelo". Em seguida, somente sete meses após ser liberado, ele assassinou Rasamee Mulichand, uma mulher com quem havia iniciado um relacionamento. Atualmente, ele está atrás das grades novamente.

7 - Pedro Alonso López

Também conhecido como "Monstro dos Andes", Pedro López é conhecido por sua série de assassinatos na Colômbia. Contudo, sua primeira prisão veio por conta de um roubo de carros. Depois disso, ele foi solto e sua matança começou com as pessoas abusaram dele na prisão. No entanto, as mortes não pararam por aí. Para se ter uma ideia, ele matou estimasse que ele tenha matado mais de 300 jovens, em diversos países.


Próxima Matéria
Via   ListVerse  
Imagens ListVerse
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest