• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 coisas que você não sabia sobre o raio da morte de Tesla

POR Mateus Graff    EM Ciência e Tecnologia      11/10/18 às 17h37

Nikola Tesla foi um inventor nos campos da engenharia mecânica e electrotécnica. O cara deixou importantes contribuições para o desenvolvimento das tecnologias mais importantes dos últimos séculos, como da transmissão via rádio, da robótica, do controle remoto, do radar, da física teórica, nuclear e da ciência computacional. Muita coisa, né!?

Uma de suas supostas invenções, o raio da morte, era um dispositivo capaz de gerar um intenso feixe direcionado de energia "que poderia ser usado para descartar bombardeiros inimigos, exércitos estrangeiros ou qualquer outra coisa que você preferir que não existia".

Ninguém nunca de fato conseguiu construir o tal raio da morte, mas existem muitos histórias e teorias da conspiração envolvendo tal arma. A gente conta algumas coisas sobre essa arma para vocês:

1 - O raio de Tesla foi feito para a paz

Tesla não tinha em mente criar um raio da morte para ser usado em guerras, por exemplo. Na verdade, Tesla odiava a guerra e seu raio foi feito justamente para evitá-la. Ele pensava que se um país tivesse uma arque que derrubasse 10 mil aviões de uma vez a longa distância, provavelmente ninguém enviaria 10 mil aviões para tal país. Ele gostava de pensar na sua ideia como um "raio da paz", e não como um "raio da morte".

2 - O raio era um feixe de partículas

O raio da morte de Tesla era um feixe de partículas. Em um artigo da revista Liberty, publicado em fevereiro de 1935, Tesla supostamente explicou a sua ideia. A explicação foi dada da seguinte maneira: "Meu aparelho projeta partículas que podem ser relativamente grandes ou de dimensões microscópicas, permitindo-nos transmitir uma pequena área a uma grande distância trilhões de vezes mais energia do que é possível com raios de qualquer tipo. Muitos milhares de cavalos de potência podem ser assim transmitidos por um fluxo mais fino que um cabelo, de modo que nada pode resistir".

3 - O raio foi testado na cidade Colorado Springs

Em 1924, o Colorado Springs Gazette declarou que Tesla descobriu o raio da morte nos experimentos na cidade. Os moradores locais se lembravam de todos os tipos de eventos estranhos dos experimentos de 1899. O dispositivo parecia causar outros fenômenos perturbadores, como faíscas que apareciam nos pés das pessoas, chamas que saíam das torneiras da cozinha e borboletas que "giravam em círculos, com asas jorrando raios azuis".

Nessa época, não existia nenhuma responsabilidade real por coisas como cientistas malucos fazendo raios serem disparados de torneiras de cozinhas ou borboletas carregadas com o raio da morte, então os eventos deixavam qualquer pessoa surpreendida. Felizmente ninguém morreu.

4 - Ele usou o raio da morte como "moeda"

Tesla, por incrível que pareça, tinha sérios problemas com dívidas financeiras. Na década de 1930, ele acumulou uma dívida considerável em um hotel chamado Governador Clinton Hotel, em Manhattan. Ele realmente não podia pagar o hotel e resolveu dar a administração do local uma de suas invenções como forma de pagamento. Ele deu a eles um dispositivo dizendo que era o raio da morte, uma de suas maiores invenções e mais perigosas, que poderia explodir um local se fosse aberto.

Quando Tesla morreu, em 1943, um cientista que trabalhava para o Comitê de Pesquisa de Defesa Nacional foi enviado ao quarto de hotel (que Tesla usava como laboratório) para verificar a tal arma potente. O cientista escreveu um relatório para o FBI dizendo que a tal invenção não era nada mais do que uma caixa de madeira com uma resistência, um item qualquer encontrado em qualquer laboratório.

Em outras palavras, caros leitores, Tesla colocou alguns componentes elétricos na caixa para dar uma aparência de arma assustadora e não havia nada de raio da morte na caixa.

5 - Teoria da conspiração envolvendo o raio da morte (parte 1)

O ônibus espacial Columbia se desintegrou durante a fase de reentrada na atmosfera terrestre, a apenas dezesseis minutos de tocar o solo no regresso da missão STS-107, causando a destruição total da nave e a morte dos sete astronautas que compunham a tripulação. Depois disso, surgiram teorias da conspiração dizendo que o raio da morte teria destruído o ônibus espacial.

Em 2003, surgiu até um livro chamado "O Raio da Morte de Nikola Tesla e o desastre do ônibus espacial Columbia" (em tradução livre). O livro especula que o governo americano derrubou acidentalmente o ônibus espacial e a NASA encobriu o caso. A suposta prova são imagens do ônibus espacial antes do desastre, onde flashes de luz roxa podem ser vistos. Será?

6 - Teoria da conspiração envolvendo o raio da morte (parte 2)

O evento de Tunguska foi a queda de um objeto celeste que aconteceu em uma região da Sibéria, no Império Russo, próxima ao rio Podkamennaya Tunguska, em 30 de junho de 1908. A queda provocou uma grande explosão, devastando uma área de milhares de quilômetros quadrados. Para muitos, esse evento foi consequência do raio da morte de Tesla. O curioso é que o raio da morte nem tinha sido mencionado publicamente ainda.

O fato é que o evento de Tunguska está praticamente resolvido, onde um asteroide de aproximadamente 12 metros de diâmetro caiu na Sibéria e produziu uma explosão. É certo que não havia crateras pelo fato do asteroide nunca ter chegado ao solo e isso fez com que os teóricos da conspiração se aproveitassem da história.

7 - O FBI e o envolvimento com o raio da morte de Tesla

Quando Tesla morreu, em 1943, o FBI apreendeu seus pertences. Eles estavam interessados nas pesquisas do famoso raio da morte, um sofisticado artefato que, em teoria, poderia enviar um fluxo de energia a distâncias de até 400 mil quilômetros. Os arquivos só foram revelados em 2016 e provaram que os EUA tinha um grande interesse na arma mortal.

A publicação dos documentos tem informações sobre os experimentos de raio globular do engenheiro e uma carta com um plano do FBI de deter um membro da família de Tesla a se apropriar dos seus arquivos. A carta expressava a ideia de como Tesla era um cidadão naturalizado, o governo sérvio poderia pedir a extradição de seus pertences. Os EUA queriam impedir que qualquer material relacionado ao raio da morte chegasse aos soviéticos.

E você, conhecia as histórias do raio da morte de Tesla? Comente!

Próxima Matéria
Mateus Graff
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+