• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 coisas que você não sabia sobre a Síndrome de Tourette

POR Leticia Rocha    EM Curiosidades      06/12/18 às 16h41

A síndrome de Tourette é um distúrbio neuropsiquiátrico que muitas vezes é erroneamente ligada à loucura. A síndrome se manifesta por múltiplos tiques que podem envolver a fala, ou até mesmo movimentos motores. Esses tiques são persistentes e podem durar dias, semanas ou meses.

Uma pessoa que sofre da síndrome de Tourette pode ter tiques vocais e motores ao mesmo tempo. No entanto, eles variam de intensidade e frequência. Podem se tornar piores quando os indivíduos estão em situações estressantes, mas não está ligada a problemas emocionais.

A causa do transtorno é desconhecida e normalmente ele começa a se manifestar na infância. Há casos em que a síndrome pode estar ligada a outros transtornos da hiperatividade - TDAH, transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e alguns outros. É preciso que cada paciente seja consultado de acordo com suas especificidades para que o melhor tratamento seja indicado.

1 - A síndrome não está diretamente ligada aos xingamentos

Na verdade, poucas pessoas sabem da síndrome, mas as poucas que sabem, a associam aos xingamentos. Alguns indivíduos que sofrem do distúrbio de fato xingam, é um dos tiques, mas isso não acontece com todos. Como dissemos, os tiques também podem ser motores e vocais, o que não necessariamente está ligado aos palavrões proferidos.

2 - Pequenos sinais

Algumas pessoas têm tiques que são muito evidentes, mas a síndrome pode se manifestar também de forma mais amena. Tossir, fungar, limpar a garganta, franzir a testa e até mesmo piscar podem indicar algum sintoma. No entanto, mesmo nessas situações mais amenas, é preciso buscar ajuda médica para realizar o tratamento adequado.

3 - É mais comum do que você imagina

Você pode nunca ter ouvido falar sobre a síndrome ou ter ouvido pouco a respeito. No entanto, ela é mais comum do que você imagina. Cerca de 1 em cada 360 crianças é diagnosticada com o problema. No entanto, a maioria dessas pessoas têm sintomas em nível leve ou moderado.

4 - Não tem ninguém querendo chamar a atenção

Algumas pessoas, que não conhecem a síndrome, acabam cometendo erros terríveis de julgamento. Alguns até chamam a atenção dessas pessoas, como se elas estivessem apenas chamando a atenção. No entanto, é importante frisar que todos os tiques são 100% involuntários. As pessoas não conseguem controlar, nem mesmo fazer parar.

5 - Não tem cura

Infelizmente, a síndrome não tem cura, mas tem tratamento. Os tratamentos podem diminuir os tiques e melhorar a qualidade de vida daqueles que sofrem com a mesma. O período em que a síndrome se manifesta em sua forma mais severa é entre a infância e a adolescência, até por volta dos 15 anos. Depois desse período, eles vão se tornando menos intensos e, em alguns casos, eles desaparecem completamente depois dos 18 anos de idade.

6 - A descoberta da síndrome

A síndrome foi relatada pela primeira vez em 1825. A primeira paciente a ser reconhecida com Tourette foi a marquesa de Dampièrre. A mulher fazia parte da nobreza francesa e tinha 26 anos quando começou com os tiques. Ela emitia sons aleatórios e também xingamentos, o que a levou a se afastar de sua vida social e viver reclusa da sociedade.

7 - Afeta mais os meninos

A síndrome é mais comum em meninos. O número de crianças do sexo masculino identificadas com a síndrome é quatro vezes maior em comparação com o sexo feminino. A causa disso ainda não é clara, já que não se sabe muito sobre os fatores que incorrem na ocorrência da síndrome.

E você, já conhecia a Síndrome de Tourette? Comenta com a gente aqui embaixo e aproveita para compartilhar com os amigos, afinal, conhecimento nunca é demais!

Próxima Matéria
Leticia Rocha
Estudante de Jornalismo, apaixonada por pequi, vendedora de pão de mel e de tudo que colocar na minha mão!
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você


Fatos + Deezer (Podcast)

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+