icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


7 fenômenos científicos incríveis flagrados em vídeos

POR Bruno Dias EM Experiências 18/02/20 às 10h02

capa do post 7 fenômenos científicos incríveis flagrados em vídeos

Nós temos muita confiança na ciência atualmente, do que há 100 anos. Se por algum acaso, nós cruzarmos com fenômenos estranhos que aparentemente não têm explicação, a ciência, geralmente, está lá desvendando tal mistério.

Às vezes, esquecemos do quão incrível é o mundo em que vivemos. Se você é uma pessoa que se interessa pela ciência, essa era em que vivemos é praticamente a Era de Ouro. E junto com os avanços da informação, não precisamos ser cientistas ou estarmos em um laboratório para ver experiências incríveis. Felizmente, temos vários vídeos desses experimentos sendo feitos. Mostramos alguns bem interessantes.

1 - Gotas do príncipe Rupert

Esse experimento fascina os cientistas há centenas de anos. Um artigo foi escrito em 1661, apresentando esses objetos que se parecem com girinos. O nome dessas gotas é porque foi o príncipe Rupert quem as apresentou para o primo do rei Carlos II.

Essas gotas são feitas quando o vidro derretido é colocado na água. E elas têm propriedades bem estranhas. Se alguém bater um martelo na parte bulbosa das gotas, nada vai acontecer. Mas com apenas um toque no fim da cauda, toda queda explode.

Demorou quase 400 anos e câmeras de alta velocidade para que os cientistas conseguissem ver como as gotas explodiam. É possível ver uma onda de choque indo da cauda até a cabeça em uma velocidade de 1,6 quilômetros por segundo.

2 - Luz se movendo

Geralmente, vemos a luz estática mas nunca se movendo. A luz é tão rápida que ver o movimento dela é possível apenas nas escalas maiores. Com uma câmera que consegue tirar um trilhão de quadros por segundo, os cientistas conseguiram fazer vídeos da luz, se movendo por objetos do nosso dia a dia. O que os cientistas conseguiram captar foi uma bala de luz que passa por cima das coisas.

3 - Onda de gelo

Pode parecer assustador e fascinante ao mesmo tempo, e realmente é. Quando um lago está congelado, mas somente em sua superfície, é possível que o gelo de cima consegue se mover. Basta apenas um vento quente passar sobre o lago, que toda camada de gelo começará a se mover.

Essas ondas de gelo podem chegar, às vezes, a ter vários metros de altura. Os cristais, que fazem essa camada de gelo, estalam quando as ondas são formadas e dão à elas um som assustador, parecido com vários copos sendo quebrados.

4 - Raios vulcânicos

O primeiro relato dos raios vulcânicos foi feito em 79 d.C., por Plínio, o Jovem. Ele observou a erupção do Monte Vesúvio e escreveu: "Havia uma escuridão mais intensa tornada mais assustadora pelo brilho intenso de tochas em intervalos obscurecidos pelo brilho transitório dos raios".

Os raios vulcânicos não acontecem em todas as erupções. Eles são frutos do acúmulo de carga. Com o calor de um vulcão, os elétrons podem ser expulsos dos átomos e produzirem um íon positivo. Esses elétrons também podem ser transferidos através de colisões entre as partículas de poeira. Então, os elétrons podem se conectar com outros átomos e formar íons carregados negativamente.

Quando essa carga fica alta o suficiente, ela é transferida de uma região para outra, nos raios velozes e quentes que são vistos no vídeo.

5 - Sapos levitando

O Prêmio Ig Nobel é sempre dado às pesquisas que fazem as pessoas rirem, mas também pensarem depois. Quem ganhou esse prêmio, em 2000, foi Andre Geim. Ele levou o prêmio para casa, por ter levitado um sapo, usando imãs.

A ideia surgiu, quando ele derrubou um pouco de água, em uma máquina com imãs poderosos ao seu redor. A água grudava nas paredes do tubo e as gotas começaram a flutuar. Geim descobriu que os campos magnéticos conseguiam agir como uma força, que superava a atração gravitacional da  Terra.

Depois, Geim mudou de água para animais vivos, como por exemplo sapos. Eles conseguiam ser levitados por causa do seu teor de água.

6 - Fluxo laminar

Pensar em "desmisturar" um líquido do outro parece ser uma coisa impossível de fazer. Mas usando xarope de milho tingido, é possível. E é possível por causa das propriedades especiais que ele tem, como por exemplo o fluido e o chamado fluxo laminar. Ele é um tipo de movimento no qual as camadas tendem a se mover na mesma direção uma da outra sem se misturarem.

Esse é um tipo especial de fluxo laminar que é chamado de Stokes. Nesse caso, o fluido, que é usado, é espesso e viscoso, tanto que quase não permite a difusão das partículas.

7 - Radiação Cherenkov

A velocidade da luz é uma medida de velocidade diante da qual, nada consegue ir mais rápido. Mas isso apenas no vácuo. Porque quando a luz entra em qualquer meio transparente, sua velocidade diminui. Então, vários objetos conseguem se mover mais rápido do que essa velocidade da luz mais lenta.

Por exemplo, se uma partícula entra na água a 99% da velocidade da luz no vácuo, essa partícula ultrapassa a luz. Porque a própria luz viajará a 75% da velocidade da luz, no vácuo na água. E é possível ver isso acontecer.

Quando essa partícula passa pelos elétrons do meio, a luz é emitida na medida em que interrompe o campo elétrico. O reator nuclear tem o brilho azul porque está lançando elétrons em alta velocidade. E esse brilho é ainda mais frio do que se possa imaginar.


Próxima Matéria
Via   Listverse  
Imagens Youtube
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest