7 maldições brasileiras que as pessoas acreditam até hoje

POR Isabela Ferreira    EM Terror & Sobrenatural      27/12/17 às 18h29

É comum que todo país tenha suas crenças e descrenças. Portanto, não seria diferente com o Brasil. Possuímos uma cultura extremamente rica e cheia de características próprias. Quem é que nunca escutou falar nas criaturas do folclore, por exemplo? No entanto, também carregamos alguns traços culturais bem mais bizarros e misteriosos que abordam acontecimentos que permanecem como verdadeiras incógnitas ainda hoje. Muitos acreditam que possam até mesmo trazer maldições.

Sejam lendas, crimes ou mesmo acidentes em grandes proporções, todos carregam em si um caráter enigmático e que nos faz questionar o que realmente aconteceu e no que ainda influencia nos dias atuais. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 maldições do interior brasileiro que ainda intrigam as pessoas... Confere aí!

1 - Sexta-feira 13

Certo, a sexta-feira 13 não é algo de origem brasileira, mas certamente faz parte das maldições que mais perturbam pessoas no interior do país, principalmente. As origens da superstição variam muito de acordo com cada região e suas culturas. No entanto, quase todas enxergam a data como propensa a acontecimentos ruins. Muita gente prefere nem mesmo sair de casa em datas como essa, acreditando que estão evitando o pior. É uma data repleta de simbolismo...

2 - Cidade fantasma de Fordlândia

No meio da floresta, a Fordlândia foi uma cidade projetada por Henry Ford, localizada no Pará. Encontra-se às margens do Rio Tapajós, onde sua principal atividade era a produção de borracha. Criada apenas para fins lucrativos, foi uma das cidades mais desenvolvidas da região, até a eclosão da Segunda Guerra Mundial.

Após esse desastroso evento, o Brasil viu o fim de seu ciclo da produção borracheira e a cidade ficou completamente abandonada, ganhando o título de cidade fantasma. Muitos acreditam que o local é amaldiçoado, alegando escutar gemidos e vozes vindo de dentro das estruturas que por ali ainda ficam. Alguns visitantes vão até lá apenas para ter a oportunidade de compartilhar desse medo.

3 - "Agosto, o mês do desgosto"

Será que você já escutou esse ditado? Agosto parece ser realmente um dos meses do ano que mais demoram passar. De acordo com a numerologia, este é o mês em que costumamos "colher tudo aquilo que plantamos". Devido a isso, pode ser um período de muitas maldições e fases ruins. Não se sabe ao certo as origens dessa crença, mas muita gente opta por não fazer nada neste mês. Não fazem investimentos, não lançam novos projetos, nada disso... Acreditando que pode trazer algum tipo de má sorte. Será mesmo

4 - O caso das "Treze Almas"

Talvez você não tenha vivido na época em que o edifício Joelma pego fogo em São Paulo. No entanto, acredita-se que este tenha sido o terceiro maior incêndio em nosso país. Tudo aconteceu no dia 1º de fevereiro de 194. O edifício de 25 andares pegou fogo e causou a morte de pelo menos 188 pessoas, sem contar que ainda deixou outras 300 com ferimentos graves. Na tentativa de fugir pelo elevador, 13 pessoas acabaram morrendo carbonizadas lá dentro. Seus corpos eram impossíveis de identificar, fazendo com que fossem enterrados um ao lado do outro, no cemitério de São Paulo.

No entanto, o lugar ficou popular por carregar espécies de maldições. Muita gente escutava choros e gemidos que vinham dos túmulos. Pelo fato de as vítimas terem morrido queimadas, as pessoas passaram a acreditar que suas almas ainda estavam em agonia. Dessa forma, jogavam água nos túmulos e diziam que os gemidos paravam. O próprio Chico Xavier, que foi um grande médium filantropo brasileiro, chegou a psicografar mensagens de algumas vítimas. Ainda hoje algumas pessoas relatam ouvir vozes vindas das covas.

5 - O ET de Varginha

Foi em janeiro de 1996 que três meninas alegaram ter visto um extraterrestre em Varginha, um município de Minas Gerais. Enquanto caminhavam por um terreno baldio, supostamente avistaram um ser com características humanoides, grandes olhos e cabeça, com a pele em tom marrom e viscoso. O caso foi extremamente divulgado pela mídia, mas muitos começaram a contradizer as garotas, afirmando que tinham visto apenas um morador de rua com possíveis problemas mentais. No entanto, elas sempre tinham convicção em afirmar que era um ET.

A partir daí, a cidade ficou bastante conhecida e ganhou popularidade mundial. Muitas coisas estranhas começaram a acontecer. Operações policiais constantes, mortes sem explicação, mais relatos sobre criaturas não identificadas... Enfim, tudo era bizarro. Já fazem mais de 20 anos desde o acontecimento e ainda temos muitas incógnitas em toda a história. Muitos acreditam que maldições relacionadas à captura da criatura assombram a cidade. Alguns ainda acreditam que o ET está em posse do governo. Será mesmo?

6 - Fantasmas do Edifício Martinelli

E por falar em maldições, um dos lugares considerados mais amaldiçoados e perturbados de São Paulo, é o antigo Edifício Martinelli. Foi o primeiro prédio da região, mas certamente o mais sombrio também. Pelos menos três crimes aconteceram no local. No ano de 1947, Davilson, um garoto de 14 anos foi encontrado morto em um dos quartos. Já no ano de 1965, no terreno ao lado, alguns operários que trabalhavam por aí encontraram o corpo de uma mulher, que misteriosamente havia deixado um bilhete para a irmã dizendo "volto logo".

Já em 1972, uma jovem de 17 anos acabou caindo de um dos mais altos andares, morrendo instantaneamente. Ninguém sabe se ela foi jogado ou o que de fato aconteceu. Nenhum crime foi solucionado, ainda por cima, há relatos de que alguns elevadores funcionam sem nenhum comando humano, e que gritos e gemidos podem ser escutados do local onde a primeira vítima foi encontrada.

7 - Maldição do corpo seco

Já ouviu falar? Também é algo bastante comum em São Paulo. Muitas pessoas alegam ter visto a imagem de um corpo praticamente desnutrido, descrito como "mirrado, com cara feia e cheio de perebas". Segundo aqueles que já viram, a criatura aparece por cima dos muros de cemitérios, aparentando um ar de desespero, enquanto ao mesmo tempo, parecem pedir socorro.

Segundo Maria Aparecida Soares Branco, de 53 anos, que foi uma das pessoas que viram o corpo: "Sempre achei que fosse uma história dos tempos antigos ligada ao cemitério, mas ão. Eu comprovei que o corpo seco existe e nem quero mais passar por lá de novo". Supostamente, os cemitérios carregariam maldições para ter a presença da criatura, ou a criatura  estaria amaldiçoada e condenada a permanecer em nosso plano mortal.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+