Antigamente, o casamento infantil era algo muito comum, e até mesmo tido como “normal” dentro da sociedade. O que, definitivamente, não é, já que se enquadra como uma violação dos direitos humanos, onde milhares de crianças não têm voz para opinar sobre um assunto que diz respeito a sua própria vida. Então, o tempo passou, a sociedade evoluiu, e o casamento infantil acabou? Não mesmo. Ainda no século 21, esse tipo de matrimônio ainda acontece e é legalizado.

O casamento infantil traz uma série de consequências negativas, que incluem o aumento das taxas de mortalidade para mãe e filho, problemas de saúde mental e doenças sexualmente transmissíveis. Além de complicações na gravidez. Sem contar o fato de que quase todos casamentos acontecem sem o consentimento de uma das partes, no caso a criança.

Embora hoje em dia haja leis que são contra esse tipo de casamento, milhares de crianças ainda são casadas, nessas condições, todos os anos. Uma das principais razões para esse tipo de matrimônio é a pobreza. Assim, muitas famílias acabam entregando as suas filhas por dinheiro. E isso não acontece apenas em países em desenvolvimento. Confira a seguir, 7 países modernos onde acontecem casamentos infantis.

1 – Ucrânia

Mesmo que a Ucrânia tenha uma idade mínima de 18 anos para o casamento civil, há exceções que permitem pessoas de dezesseis e dezessete anos se casarem, com a autorização de um tribunal. A taxa de casamento infantil não é definida oficialmente, mas uma pesquisa sugere que cerca de 10% das meninas ucranianas se casaram antes de completar a idade mínima. Dois fatores são ligados à taxa de casamento infantil no país, o primeiro é o status econômico e o segundo tem a ver com os níveis mais baixos de educação. O motivo, mais comum para o casamento infantil ser autorizado pelos tribunais, é a gravidez na adolescência.

2 – Geórgia

Publicidade
continue a leitura

A Geórgia é um país muito tradicional na Europa, e lá, o casamento infantil é algo muito comum. A porcentagem exata de jovens meninas casadas no país, não é bem definido. Isso, devido ao fato de as famílias usarem brechas na lei, para adiar o registro do casamento. Mas estatísticas indicam que, pelo menos, 17% das meninas no país se casaram antes da maioridade. Embora o país tenha leis contra o casamento infantil, como a idade mínima de 18 anos, há exceções onde jovens de dezesseis e dezessete anos podem se casar, com a autorização dos pais.

3 – Albânia

As leis da Albânia prometem proteção adicional às crianças, mas o casamento infantil ainda é muito comum por lá. A idade mínima para casamento no país é 18 anos, mas são permitidas algumas exceções, sem idade mínima prevista. E como em outros países, muitos casamentos infantis não são reconhecidos pela lei, por isso, não há dados exatos sobre a prevalência desse tipo de matrimônio. Mas o fato é que esses casamentos são mais comuns entre a comunidade étnica cigana e em áreas rurais.

4 – Canadá

Publicidade
continue a leitura

O Canadá é considerado um país muito moderno e progressista, mas o casamento infantil ainda é uma realidade dentro de suas fronteiras. Nas províncias canadenses, a idade mínima para o casamento varia, e em alguns casos, crianças de 16 e 17 anos podem se casar, com o consentimento dos responsáveis. No entanto, o consentimento da criança não é solicitado ou necessário para que ocorra o casamento.

5 – Bélgica

A questão do casamento infantil ainda é uma realidade na Bélgica. Não existem muitos dados sobre esse tipo de união no país, mas, entre 2010 e 2013, 53 denúncias de casamento infantil foram entregues à polícia. Provavelmente, o número de jovens, casados antes da idade mínima, é muito maior do que o número de queixas. Até porque muitos jovens nem sequer questionam essa ordem.

6 – Brasil

Publicidade
continue a leitura

O casamento infantil é uma questão real e predominante no Brasil. A lei brasileira permite que jovens de 16 anos se casem, com a permissão dos pais. Mas também é muito comum que jovens, ainda mais novos, se casem, na maioria das vezes, motivados por uma gravidez. Existe ainda um senso comum, que pressiona as meninas a se casarem com o pai da criança. Em 2010, mais de 40 mil meninas brasileiras, com idades entre 10 e 14 anos, viviam dentro de um casamento casual.

7 – Estados Unidos

A América, terra dos corajosos e livres, também tem casamentos infantis. Muitos estados americanos contam com leis, que proíbem menores de 18 anos de se casarem. Mas mesmo assim, existem exceções, onde os pais podem consentir crianças de 16 e 17 anos de se casarem. Há casos de crianças ainda mais jovens, que são permitidas de se casar por juízes.

Publicado em: 09/01/20 15h01