Curiosidades

7 práticas médicas antigas que felizmente foram abandonadas

0

Ao contrário do que muitos pensam, a medicina não é uma prática moderna. Na verdade, desde os primórdios o ser humano já tenta dominar a natureza, tanto para garantir seu alimento, como para encontrar a cura para determinadas situações. É claro que ao longo de nossa história tais práticas foram sendo criadas e adaptadas.

Muitas surgiram de forma despretensiosa e incerta, mas realmente foram capazes de abrir caminho e um leque de possibilidades para a medicina moderna. Por outro lado, algumas técnicas utilizadas por nossos antepassados para curar feridas e doenças eram bem estranhas, e algumas, poderiam inclusive piorar o estado de saúde da pessoa. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 práticas médicas antigas que felizmente foram abandonadas. Dá uma olhada!

1 – Consumo de argila – Grécia

Acredite ou não, mas na Grécia Antiga era comum que argila servisse de remédio para aqueles que sofressem com dores no estômago ou diarreia, por exemplo. Era um tipo bastante específico, conhecida como terra sigilata. Embora algumas pessoas pelo mundo ainda mantenham a prática de consumir o elemento (sim, existe), não existem provas de que o método realmente cure algum sintoma. Por outro lado, substâncias de tal argila são utilizadas na fabricação de remédios para tratar a diarreia. Isso mostra que os gregos estiveram no caminho certo, apenas faltou um bom meio de adaptação.

2 – Método para curar feridas – Egito

Bem, quando você tem uma irritação ocular ou sofre algum corte em sua pele, certamente a sua primeira reação não será passar cocô no local. Mas acredite, isso não era nada estranho no Egito Antigo. O tratamento para diversas doenças, infecções e machucados, era realmente colocar excrementos de animais no local. Como se não bastasse, para casos mais graves, poderia ser preparada uma mistura disso para ser ingerido via oral.

3 -Remoção parcial da língua – Europa

Atualmente, a hemiglossectomia é um procedimento cirúrgico que retira parcialmente ou totalmente a língua de uma pessoa, utilizado principalmente em casos de câncer bucal. Felizmente, cirurgias estéticas são capazes de reparar alguma deformidade. No entanto, houve um tempo em que na Europa, essa seria a solução para a gagueira.

Entre os séculos 18 e 19 era comum que pessoas fossem submetidas ao procedimento na esperança de parar de gaguejar, mas é claro… Foi constatado que o método não dava certo. Muitos acabaram morrendo após intensa perda de sangue ou infeções contraídas durante o processo.

4 – Tabaco – América do Norte

Algumas sociedades nativo americanas costumavam usar o tabaco para tratar as mais diversas enfermidades. As folhas eram fumadas, comidas ou rasgadas, na tentativa  de aliviar os sintomas daquilo que o paciente sentia. No entanto, sabemos que sua composição pode levar a problemas ainda maiores, como o câncer de pulmão.

É claro que o cigarro conta com outras substâncias químicas que ajudam a agravar o processo, mas não podemos desconsiderar o uso do tabaco de forma individual. Mesmo puro, ainda pode ser uma planta perigosa quando utilizada para finalidades médicas.

5 – Rato como tratamento – Egito

E mais uma vez voltamos ao Egito. Por algum motivo eles acreditavam que os ratos, até mesmo os infectados, poderiam ser a solução para seus problemas. Era muito comum que os egípcios tivessem muita dor de dente, devido a grande quantidade de areia presente em sua alimentação… Era areia para todos os lados. Seus dentes ficavam desgastados e expostos.

Como tratamento, um rato morto poderia ser mergulhado em uma suposta pasta medicinal e então, inserido completamente na boca do paciente durante algum tempo. Talvez isso provocasse mais agonia do que a própria dor.

6 – Corte na gengiva – França

Não é fofo quando começam a nascer os primeiros dentinhos de um bebê? É um processo natural e que ocorre com todos nós. No entanto, houve um período na França onde uma das práticas médicas consistia em “ajudar esses dentes a crescer”. Os médicos cortavam parte da gengiva da criança para “facilitar” a passagem do dente. Tudo começou na França, mas logo se espalhou pela Europa e Estados unidos. Tal prática ainda era executada no início do século 20 e infelizmente, muitos bebês morreram durante o procedimento.

7 – Vermes como pomada – Austrália

Uma das práticas médicas de antigos aborígenes australianos consistia em triturar vermes e usá-los como pomada. Supostamente, serviria para tratar lesões profundas e outro qualquer tipo de ferida. Após a aplicação da pasta, era feita uma bandagem para isolar o ar das bactérias ali presentes, o que estranhamente, ajudava mesmo no processo de cura. Atualmente, os aborígenes não mantem a prática de usar os vermes como medicamento, mas ainda servem como alimento em sua dieta.

E então pessoal, o que acharam? Conhecem outras práticas médicas tão absurdas quanto estas? Compartilhem com a gente aí pelos comentários!

Incrível fã-arte mostra como Cabba ficaria transformado em Super Saiyajin 3

Matéria anterior

Por que a maçonaria é cercada de polêmicas e mistérios?

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar