Ciência e Tecnologia

8 fatos assustadores e perturbadores sobre a morte

0

A morte é uma das únicas certezas que nós temos na vida. Algumas coisas no nosso corpo continuam em atividade depois que partimos dessa para um outro plano. Alguns lugares  tem culturas diferentes em relação a morte, e alguns até tem algumas penas da “idade da pedra” que deixa muitas pessoas por aí impressionadas.

Tendo isso em mente, nós resolvemos separar para vocês alguns fatos assustadores sobre a morte que pouca gente sabe, alguns um tanto chocantes, outros curiosos que vocês nunca poderiam imaginar. Sendo assim, caros leitores, confiram agora a nossa matéria com os 8 fatos assustadores e perturbadores sobre a morte:

1 – Depois de três dias da morte, as enzimas que digeriam suas últimas refeições começam a digerir você

Durante o processo de digestão, o estômago libera enzimas e ácidos que dividem moléculas de alimentos maiores em menores, para que eles possam ser absorvidos pelo corpo nutrientes. As células que revestem as paredes internas do seu intestino são ditas para liberar dois litros ácido clorídrico. Uma vez que o ácido é corrosivo, o intestino secreta regularmente um espesso revestimento de muco. Essas secreções cessam depois que você morre, e como o muco se esgota, as enzimas e os ácidos começam a comer seus tecidos intestinais.

2 – A prática de sepultar pessoas mortas data cerca de 300.000 anos

Enterrar os mortos era parte da doutrina das religiões Paleolíticas, e acredita-se ter começado durante o Paleolítico Médio como uma prática religiosa. Porém, os primeiros registros confirmados de enterros remontam a 100.000 anos e foram encontrados na caverna de Skhul, em Qafzeh, Israel. Os restos do esqueleto foram manchados de vermelho e muitas vezes foram encontrados para ser enterrado juntamente com itens.

3 – Quando uma pessoa morre, o sentido da audição é o último a “ir embora”

Existem várias coisas que acontecem quando uma pessoa estão morrendo, a respiração muda, pode haver alucinações, agitação e perca de apetite. Há também mudanças na cor e temperatura da pele, mudanças nas funções intestinais, na bexiga e no relaxamento dos músculos. A última coisa que parar de funcionar é a audição, segundo a Dra. Katherine Clark, especialista em cuidados paliativos no Royal Prince Alfred Hospital, em Sydney.

4 – A crucificação como parte da pena de morte legal ainda é praticada no Sudão e na Arábia Saudita

Com base na interpretação do governo da Lei Shari’a, o código penal do Sudão exige a execução seguido de crucificação. Durante a década de 2000, várias pessoas foram executadas por crucificação na Arábia Saudita, embora algumas delas tenham sido decapitadas. Em 2012, um jovem de 17 anos chamado Ali Mohammed Baqir al-Nimr, foi preso durante a Primavera Árabe e foi condenado a ser decapitado e crucificado publicamente em maio de 2014. No Irã, a crucificação é teoricamente ainda uma forma de punição.

5 – Esse é um cemitério no Iraque, com cerca de 5 milhões de corpos enterrados

Wadi Al-Salaam é o maior cemitério do mundo e está localizado em Najaf, no Iraque. O cemitério existe há mais de 1400 anos e é importante para a crença xiita, que afirma que as almas de todos os homens e mulheres fiéis será movidos para lá, não importa onde eles foram enterrados. As sepulturas são construídas usando tijolos cozidos e emplastros e são de tamanhos diferentes. A violência durante a Guerra do Iraque em 2003 resultou em uma expansão maciça do cemitério de 40%. Durante os confrontos com as forças americanas em 2004, houve um crescimento adicional em seu tamanho, o que aconteceu novamente em 2006 e 2007, durante as guerras entre xiitas e sunitas.

6 – Homens podem ter ereção mesmo depois de mortos

Também conhecida como ereção terminal, a ereção da morte é normalmente vista nos corpos de homens que foram executados, especialmente enforcados ou que tiveram uma morte violenta. A pressão criada pelo laço durante a suspensão no cerebelo é dito ser a causa dessa ereção. Além da ereção, mortes violentas também podem causar descarga de urina, muco ou fluído prostático.

7 – QR Code em lápides

Cemitérios inteligentes agora são uma realidade! Alguns cemitérios possuem os famosos QR Code, e possibilitam organizar e arquivar informações para que outras pessoas vejam. Um cemitério judaico em La Paz, Uruguai, tem QR Code em cada lápide para ligar os visitantes a informações sobre os túmulos específicos. A Living Headstones, subsidiária de uma empresa de lápides e monumentos chamada Quiring, de Seatle, fornece tecnologia que liga um túmulo particular em um local geográfico a um espaço público e virtual, acessível aos visitantes de longe, proporcionando-lhes uma experiência compartilhada.

8 – Uma tribo cigana da Índia trata a morte com alegria e o nascimento como dor

A Tribo Satiyaa é um grupo de vinte e quatro famílias espalhadas pelo estado de Rajasthan. O funeral e a cremação na tribo é um evento de celebração, eles usam roupas frescas, compram doces, frutas e licores locais. O cadáver é levado em uma procissão de grupos de dança e batidas de bateria. Após o funeral, eles se banqueteiam em seu licor e dançam até que o corpo seja reduzido as cinzas. Eles celebram a morte como “liberdade da alma a sua prisão física, enquanto o nascimento coloca a alma em um corpo”.

E aí, caros leitores, já conheciam todos esses fatos sobre a morte? Sabem de mais algum? Comentem!

10 coisas que você provavelmente não sabe sobre The Vampire Diaries

Matéria anterior

4 últimas cartas mais tocantes da Segunda Guerra Mundial

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.