• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 primeiras descrições hilárias feitas por cientistas

POR Isabela Ferreira    EM Curiosidades      07/05/18 às 14h43

O que fizeram os primeiros seres humanos para conseguirem sobreviver em meio a um mundo completamente desconhecido? Como era viver sem a ciência, sem a tecnologia? Certamente era preciso ter coragem para descobrir como as coisas funcionavam. Mas à medida que o tempo foi passando, conseguimos conquistar informações e dominar ciências que um dia, jamais foram sequer imaginadas. É por isso que hoje podemos contar com os cientistas.

Embora tenham à sua disposição ferramentas e métodos para lidar com o desconhecido, é normal que até eles sejam induzidos a erros. Lidar com algo completamente novo pode não ser uma tarefa muito fácil e antes de chegar a uma conclusão assertiva, é comum que especulações erradas acabem acontecendo. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 primeiras descrições hilárias feitas por cientistas, ou por pessoas que tiveram esse primeiro contato. Confere aí!

1 - O primeiro osso de dinossauro foi considerado como o "pé de Golias"

O primeiro osso de dinossauro foi encontrado por Robert Plot e como já era de se imaginar, foi algo completamente estranho. Ele não fazia ideia do que era aquilo, mas sabia que estava diante de algo surpreendente e nunca visto antes por ninguém. Em 1676 ele teve a ideia de comparar o osso às formas de um elefante e descobriu que realmente não tinham nada em comum.

A partir daí, ele começou a acreditar fortemente que pertencia a um homem ou mulher gigante. Para ele, aquele osso era a prova de que os gigantes realmente existiram e que possivelmente, aquele um dia pertenceu a Golias... Aquele mesmo da história bíblica de Davi.

2 - Um explorador pensou que os gorilas eram humanos mais peludos

Hanno the Navigator, foi um explorador europeu que há cerca de 2.500 anos, se aventurou em novas descobertas pela África. Ele foi um dos primeiros de nosso planeta a ter contato com gorilas, o que certamente, fez com que a experiência fosse desconcertante. Assim que chegou até a ilha onde encontrou os animais, escreveu seus depoimentos sobre a mais nova descoberta: "me deparei com pessoas selvagens, a maioria das quais eram mulheres, cujos corpos eram peludos e a quem nosso intérprete chamou de Gorillae".

O homem e sua equipe tentaram se apresentar aos gorilas, como uma mera formalidade e tentativa de aproximação. No entanto, não foram muito bem recepcionados... Os macacos jogaram pedras em sua direção e logo fugiram.

3 - Uma das primeiras imagens de um rinoceronte o apresentam com armadura de metal

Albrecht Dürer, pintor e mais famoso artista do Renascimento Nórdico, foi um dos primeiros a retratar a imagem de um rinoceronte. Mas há um detalhe sobre isso: ele nunca tinha visto o animal. Para fazer a pintura, ele apenas leu algumas descrições feitas por cientistas e achou que já havia informações suficientes para conseguir fazer uma boa representação.

Quando terminou, apresentou sua obra com orgulho: "Esta é uma representação precisa. É a cor de uma tartaruga salpicada e é quase totalmente coberta com escamas grossas. É do tamanho de um elefante, mas tem pernas mais curtas e é quase invulnerável". A imagem feita por ele apresentava o rinoceronte com uma espécie de armadura de metal, pernas com escamas e um chifre no meio das costas. Embora tenha lá suas discordâncias com a realidade, durante muito tempo esta foi a figura usada em livros para se referir ao animal.

4 - Primeira descrição de um tornado é muito mais triste do que se possa imaginar

A primeira descrição conhecida de um tornado foi registrada em 1643 e vem de John Winthrop, governador da Colônia da Baía de Massachusetts naquele período. Os cientistas ainda não tinham descrito muito bem o fenômeno, mas Winthrop se encarregou disso. Em seus relatos, ele conta que uma rajada de vento repentina surgiu, derrubando árvores e casas. Mas comemorou: "Através da grande misericórdia de Deus, não causou nenhum dano. Apenas matou um índio".

O nativo americano acabou sendo esmagado por uma árvore durante o evento. Mas fica claro que para o governador, aquilo não era nada. Antes o índio, do que um de seus homens brancos. Sim, o preconceito existia até mesmo em meio a tragédia.

5 - O primeiro explorador da Austrália disse que não havia nada no lugar

Muito tempo antes do explorador James Cook nascer, outros exploradores já tinham caminhado sobre os territórios australianos. Comandados por Willem Janszoon, chegaram às terras acreditando estarem em Nova Guiné. Inicialmente não tiveram ideia de que acabaram de descobrir um continente novo. Mas depois, também não se importaram muito com isso.

Janszoon descreveu o lugar como: "As vastas regiões eram, na maior parte, incultas. Certas partes eram habitadas por bárbaros selvagens, cruéis e negros". Certamente não é uma boa descrição, mas ele havia acabado de perder 9 homens, que foram canibalizados em ritos locais. Quando os exploradores restantes conseguiram sair daquelas terras, concluíram que não havia nada para ser feito lá, aconselhando que novas expedições não fossem encaminhadas até lá.

6 - A primeira descrição de um canguru veio de um país diferente

A primeira descrição feita por cientistas sobre um canguru, dizia o seguinte: "Um animal extraordinário habita essas árvores. O focinho é o de uma raposam enquanto a cauda se assemelha à de um sagui e as orelhas de um morcego. Suas mãos são como a do homem e seus pés como os de um macaco. Esta besta carrega seus filhotes para todo lugar em uma espécie de bolsa exterior".

Até que não é algo tão diferente do que realmente é um canguru, no entanto, a descrição foi registrada em 1511... Praticamente 100 anos antes do primeiro europeu chegar à Austrália, o país nativo destes animais. Bem, será que ele viu outra coisa? Ou os cangurus um dia já prosperaram em outro lugar?

7 - O ornitorrinco foi encarado como uma farsa

A primeira descrição sobre um ornitorrinco de que se tem conhecimento, partiu de George Shaw, em 1799. Os cientistas não sabiam ao certo o que era aquele animal, então lhe enviaram um espécime da Austrália para ser analisado. Quando olhou para o animal pela primeira vez, não acreditou que ele fosse real. Pensava seriamente que alguém estava tentando fazer uma piada.

Descreveu o ornitorrinco como "uma lontra em miniatura com um bico de pato enxertado na cabeça". Até fazer análises mais rígidas, ele não acreditava que o animal poderia ser realmente uma espécie. Quando descobriu que não havia sido enganado, ficou bastante confuso e desistiu de analisar o espécime.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Próxima Matéria
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+