O mundo enfrenta uma pandemia causada pelo novo coronavírus. Em uma fábrica de processamento de carne de porco em Dakota do Sul, nos Estados Unidos, o surto do vírus se espalhou. Foi tão rápido quanto um incêndio florestal, segundo disseram as autoridades. Isso levantou dúvidas sobre o que a empresa fez para proteger seus trabalhadores. Nos questionamos como um foco de Covid-19, em um dos estados menos densamente povoados dos Estados Unidos, se tornou o maior da primeira economia mundial? Passou-se então a investigar Smithfield, que é o nome da fábrica de processamento de carne de porco.

A fábrica fica na cidade de Sioux Falls, no estado de Dakota do Sul. Ela pertence ao grupo Smithfield Foods, com sede em Smithfield, na Virgínia, tido como o maior produtor de carne de porco do mundo. Em 2013, a empresa foi comprada pelo grupo chinês WH Group. Essa foi a maior aquisição de uma empresa americana por um grupo chinês. O prédio da empresa contém oito andares e passou a ser investigado. Isso porque, entre os 3,7 mil funcionários, mais de 600 foram confirmados com o vírus.

A empresa com mais casos de Covid-19

Publicidade
continue a leitura

A fábrica é capaz de processar até 19,5 mil porcos recém-abatidos por dia. Isso, cortando, moendo e transformando-os em milhões de quilos de bacon, salsichas e presuntos fatiados. Com 3,7 mil trabalhadores, a fábrica é a quarta maior empregadora da cidade, de 182 mil habitantes. Tudo foi descoberto a partir de uma denúncia. Foi assim que começaram a investigar o lugar e descobriram os casos. Após investigações, foi postado em um site uma matéria com o título: "Um funcionário da Smithfield Foods testa positivo para o coronavírus".

Publicidade
continue a leitura

Em seguida, a denúncia foi confirmada por um porta-voz da empresa. Segundo ele, um funcionário teria contraído o vírus e estava cumprindo quarentena de 14 dias em casa. O seu departamento foi completamente desinfetado, segundo ele. No entanto, a empresa continuou trabalhando, embora o caso de Covid-19 estivesse amedrontando a todos. "Estamos tomando as precauções máximas para garantir a saúde e o bem-estar de nossos funcionários e consumidores", disse o diretor da empresa por meio de um vídeo.

Embora as pessoas tentam descobrir como o Covid-19 se espalhou tão rapidamente, outras fábricas de processamento enfrentam o mesmo drama. Empresas que processam alimentos em todo o país enfrentam surtos de coronavírus com o potencial para interromper a cadeia de suprimentos. Uma fábrica de carne brasileira JBS SA, no Colorado, foi fechada. Isso aconteceu após cinco mortes e 103 infecções entre os funcionários. Dois trabalhadores de uma fábrica da Tyson Foods também morreram. Enquanto isso, 148 ficaram doentes. Ainda estão estudando o motivo pelos quais essas empresas sofrem tanto com o surto, até mais do que o normal.

Publicidade
continue a leitura

E aí, o que você achou dessa matéria? Comente então pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Vale sempre lembrar que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento. Aproveite para fazer um tour pelas curiosidades do nosso site.

Publicado em: 23/04/20 12h48