Recentemente, aplicativo do Facebook adicionou uma nova logomarca em sua inicialização. Assim, ao lado de nomes como Facebook, Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp, temos uma marca desconhecida para muitos. Mas, afinal, o que significa essa nova marca do Facebook?

Pode ficar tranquilo, porque não foi somente você que questionou qual seria essa marca ao lado das redes sociais de Mark Zuckerberg. Dessa forma, se trata de uma aquisição não tão recente do dono do Facebook, uma empresa chamada "Oculus VR", que ficou conhecida por ter criado o Oculus Rift. Assim, em 2014, a empresa se tornou uma divisão da Facebook Technologies, LLC, uma subsidiária da Facebook Inc.

Tudo começou no ano de 2014

Publicidade
continue a leitura

Em 2014, a empresa de realidade virtual "Oculus VR" estava pronta para revolucionar o mercado VR (Realidade Virtual, em tradução) para jogos. Dessa forma, o projeto havia sido desenvolvido apenas para ser um recurso voltado para videogames. Entretanto, o Facebook tinha planos maiores para o serviço e nesse ano, comprou a empresa por cerca de US$ 2 bilhões.

Em um anúncio feito por Mark Zuckerberg em seu próprio perfil no Facebook, ele anunciou a compra da empresa. Isso aconteceu pouco mais de um mês a empresa ter adquirido o aplicado WhatsApp por US$ 19 bilhões. Na negociação pela "Oculus VR", o Facebook desembolsou uma bagatela de US$ 400 milhões em dinheiro e o restante, US$ 1,6 bilhão, transferido em forma de 23,1 milhões de ações do Facebook. Por fim, o acordo também incluía um pagamento de US$ 300 milhões em dinheiro e ações caso certas metas sejam atingidas pela startup que pertence à rede social.

Na época, Zuckerberg afirmou que a tecnologia desenvolvida pela Oculus VR, "abre possibilidades totalmente novas". Desse modo, lá em 2012, a empresa apresentou o primeiro protótipo de óculos de realidade virtual. Assim, o Oculus Rift parecia funcionar de forma simples, prática e agradável ao consumidor. Porém, esse seria um recurso voltado apenas para jogos de computador. Dessa forma, a ideia do CEO do Facebook seria ir além disso, explorando todo o potencial da tecnologia.

Publicidade
continue a leitura

E agora, o que está por vir?

Na época, a compra da empresa surpreendeu a todos por se tratar de uma criadora de um hardware e não de um software, como o WhatsApp e o Instagram. "Essa é uma nova plataforma de comunicação. Imagine compartilhar não apenas os momentos com seus amigos online, mas também experiências completas e aventuras", afirmou Zuckerberg em seu Facebook. "Nós descobrimos que as duas equipes [Facebook e Oculus VR] compartilhavam uma visão profunda sobre a criação de uma plataforma para interação que permitia que bilhões de pessoas se conectassem de uma maneira que nunca foi possível", completa.

Publicidade
continue a leitura

De fato, esse foi um evento que entrou para a história do Facebook. Contudo, tanto tempo depois, podemos nos perguntar o que estar por vir no que diz respeito a realidade virtual. Isso porque, mesmo após anos, a realidade virtual ainda parece estar em um mundo distante. Desse modo, a empresa está em busca de produzir produtos mais baratos e acessíveis. Assim, a tecnologia poderia ser mais inclusiva e apresentar uma compatibilidade de recursos.

Recentemente, começamos a perceber um distanciamento da realidade virtual dos videogames. Portanto, ainda que com o anúncio de grandes jogos como "Half-Life: Alyx", o Facebook ainda ir além dos videogames. Em um momento que mundo lá fora parece tão hostil, vivenciar a realidade virtual parece uma válvula de escape para um universo diferente. Por isso, podemos esperar novos anúncios do Facebook e da Oculus VR. De fato, esse é apenas o começo.

Publicado em: 25/06/20 09h54