• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Asteroide enorme, que dá volta no Sol em 151 dias, passou despercebido durante anos

POR Jesus Galvão    EM Ciência e Tecnologia      11/07/19 às 16h08

Os anos passam muito rapidamente para este asteroide recém-descoberto. Ele foi chamado de 2019 LF6, e em sua órbita, ele dá uma volta em torno do Sol a cada 151 dias. Essa é a menor órbita já conhecida de um asteroide. A rocha espacial se aproxima mais do Sol do que o nosso planeta, que leva 365 dias para cumprir sua jornada solar.

Além do LF6, outros 20 asteroides formam um grupo conhecido como asteroides de Atira. Eles se movem dentro de um ciclo cósmico, ao redor de nosso planeta, segundo uma declaração do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos.

O LF6 é um meteoro bem grande. Ele possui cerca de 1 quilômetro de diâmetro. No entanto, por muito tempo, ele passou despercebido pelos olhos perspicazes dos astrônomos. Isso até pouco tempo. "O LF6 é muito incomum tanto em órbita quanto em tamanho - sua órbita única explica por que um asteroide tão grande escapou de várias décadas de pesquisas cuidadosas", disse Quanzhi Ye, pós-doutorando do Instituto de Tecnologia da Califórnia, em um comunicado.

Sua órbita elíptica faz com que este asteroide passe bem fora do plano, no qual os planetas de nosso Sistema Solar orbitam. Porém, ela realiza um trajeto muito próximo do que Mercúrio faz ao redor do Sol. Mercúrio é o menor planeta entre os planetas que compõem o Sistema Solar e é o mais próximo entre eles do Sol. De acordo com um comunicado, O LF6 poderia ter sido expulso de sua órbita devido a distúrbios gravitacionais ao chegar muito próximo a Vênus ou Mercúrio.

A descoberta

A descoberta do asteroide por Ye aconteceu com a ajuda do Zwicky Transient Facility (ZTF) do Observatório Palomar. Localizado em San Diego, na Califórnia, a 145 km a sudeste do Observatório Monte Wilson de Pasadena, na Montanha Palomar. O equipamento usado pelo cientista se trata de uma câmera de rápida varredura do céu noturno. Ela busca sinais de estrelas explodindo e/ou piscando e a movimentação de asteroides.

Mas, Ye e sua equipe contam com uma pequena janela durante as noites para detectar tais objetos. Isso devido a sua localização, muito próxima ao Sol. O momento ideal para encontrá-los se configura cerca de 20 a 30 minutos antes do nascer do Sol ou depois, quando o astro rei já se pôs.

Um outro asteroide foi descoberto pela mesma equipe de Ye, em colaboração com outros cientistas. Isso durante uma operação de observações do espaço chamada de Crepúsculo. Tal asteroide também possuía uma órbita incomum, saindo fora do plano do Sistema Solar. O asteroide foi chamado de 2019 AQ3. Descobriu-se, posteriormente, que ele era capaz de concluir sua órbita em volta do Sol a cada 165 dias. Além do mais, a rocha espacial ganhou o título de menor asteroide já encontrado, até o momento.

Encontrar um asteroide tão grande quanto o LF6 é algo muito raro, portanto, muito significativo para a comunidade cientifica. "Você não encontra asteroides do tamanho de quilômetros com muita frequência atualmente", disse Ye. "Trinta anos atrás, as pessoas começaram a organizar pesquisas metódicas de asteroides, encontrando objetos maiores primeiro, mas agora que a maioria deles foram encontrados, os maiores são pássaros raros".

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+