Curiosidades

Café causa vício ou dependência? Entenda a diferença

0

Muitos falam sobre os malefícios de tomar café todos os dias, mas será que essa bebida realmente causa vício ou dependência? Afinal, qual a diferença entre os dois?

Seja como grão, sobremesa ou componente, o café está presente na vida de quase todos os brasileiros. E, para quem se interessar, o Dia Mundial do Café acontece neste domingo, dia 14 de abril, celebrando a importância e os benefícios dessa fruta.

Por outro lado, mesmo com algumas vantagens, a bebida também está envolvida em várias controvérsias. Além disso, levanta questões como: o café é viciante?

Problemas do café

Via Freepik

Antes de mais nada, é fundamental compreender que os artigos científicos ainda apresentam opiniões divergentes sobre se o café causa vício ou dependência.

A questão é que, ao pensarmos em vício, normalmente associamos esse termo forte a substâncias como drogas ou álcool.

Se essa comparação for feita, o café não se equipara a elas. Isso se deve ao fato de que a cafeína não representa uma ameaça à saúde da mesma maneira que as substâncias viciantes.

No entanto, conforme a American Psychiatric Association (APA), o café pode não ser considerado como algo que causa dependência, precisamente.

A principal razão para isso é que outras substâncias viciantes, como a cocaína, estimulam a área do cérebro relacionada à recompensa e à motivação em maior medida do que a cafeína.

A cafeína realmente afeta o cérebro e provoca uma liberação de dopamina, mas essa liberação não é intensa o bastante para desequilibrar o sistema de recompensa cerebral como ocorre com outras drogas.

Vício ou dependência?

Por outro lado, existem consequências quando se para de tomar café: a famosa abstinência. A cafeína causa contração dos vasos sanguíneos no cérebro e diminui o fluxo sanguíneo.

Quando alguém reduz ou interrompe o consumo, esses vasos sanguíneos se dilatam e o fluxo sanguíneo para o cérebro aumenta. O resultado? Dor de cabeça e outros sintomas.

Esses sintomas de abstinência diminuem à medida que o cérebro se adapta ao aumento no fluxo sanguíneo, então não são permanentes.

Esta é mais uma razão para considerar o café como uma substância que pode causar uma leve dependência, mas não um vício sério.

O vício em café pode ser descrito como o hábito repetitivo e compulsivo de consumir regularmente, buscando o efeito estimulante da cafeína.

Por outro lado, a dependência se refere à necessidade física ou psicológica da cafeína para funcionar normalmente, e está relacionada aos sintomas de abstinência.

Claro, cada pessoa é única, e talvez existam indivíduos que experimentem esses sintomas ao tomar café. No entanto, dificilmente estarão ligados somente à bebida.

Os impulsos quase irracionais que acompanham uma dependência deixam o indivíduo sem controle sobre suas ações. Ou, ainda, fazendo de tudo para ter acesso ao componente do qual precisa para sobreviver.

Mesmo nos casos mais raros de abstinência do café, esse comportamento não é observado. Dessa forma, na discussão entre vício ou dependência de cafeína, podemos colocar a bebida na beira do vício, mas sem rótulos tão fortes assim.

Via Freepik

Faz bem ou mal?

De modo geral, a definição se café faz bem ou mal depende muito da quantidade e do hábito da pessoa.

Consumir uma quantidade moderada de café por dia pode beneficiar o coração, por exemplo, e até mesmo contribuir para uma vida mais longa. Além disso, ajuda na concentração, energia e disposição no dia a dia.

E para quem gosta do sabor, é uma forma de receber dopamina, se satisfazer e aproveitar o acompanhamento de uma boa refeição.

No entanto, o consumo excessivo de café pode prejudicar a capacidade de aprendizado ou aumentar o risco de demência e derrame. Ainda, existem apontamentos no prejuízo do desenvolvimento infanto-juvenil, problemas cardíacos e aceleração das atividades cerebrais.

Frequentemente, vício ou dependência se relacionam quando o assunto é a cafeína. No entanto, as pessoas não usam esses termos de maneira correta.

Assim, o café pode causar uma certa necessidade em alguns organismos, mas de uma maneira não tão grave ou prejudicial quanto o vício em certas substâncias.

Contudo, ainda pode interferir na qualidade de vida, e vale ficar atento para as quantidades consumidas, prezando por equilíbrio e, de preferência, com moderação entre as refeições.

 

Fonte: Canaltech

Imagens: Freepik, Freepik

Saiba a relação existente entre aquecimento global e a duração dos dias

Artigo anterior

Nova impressão 3D cria objetos com materias ecológicos

Próximo artigo