Ciência e Tecnologia

Carros elétricos: o que você precisa saber sobre o futuro do automobilismo

0

O primeiro-ministro do Reino Unido deve proibir a venda de novos carros à gasolina e diesel até 2030. A mudança, obviamente, visa diminuir a emissão de CO2 e, consequentemente, os efeitos que o gás ocasiona. Com a decisão do primeiro-ministro, os ingleses terão que passar a aderir o uso dos carros elétricos.

Obviamente, assim que o setor automobilístico do Reino Unido começar a utilizar a nova tecnologia, outros países devem seguir o mesmo exemplo. Pensando nisso, a Sky News decidiu analisar os prós e os contras que a mudança para o elétrico pode acarretar.

Inicialmente, a proibição da venda de novos carros à gasolina e diesel havia sido planejada para 2040. Em seguida, a data mudou para 2035. Mas, agora, para atender uma demanda governamental, que visa combater as mudanças climáticas, a data foi antecipada novamente para 2030.

De acordo com a reportagem publicada pela Sky News, os meios de transportes foram responsáveis ​​por um terço de todas as emissões de gases que vêm intensificando cada vez mais o efeito estufa em 2018. Segundo os ambientalistas, a necessidade de reduzir as emissões de CO2 por parte dos veículos precisa ser atendida, e já.

O quão interessante são os veículos elétricos?

Um dos pontos primordiais, analisados pela Sky News, é o preço. Os carros elétricos podem, inicialmente, ser mais caros. No entanto, com o tempo, e principalmente com a demanda da produção de novos modelos, o valor, com toda certeza, cairá.

Especialistas do ramo acreditam que os custos dos primeiros carros elétricos no Reino Unido devem variar entre £ 15.000 e £ 100.000 (para modelos de ponta).

No entanto, ali, já há uma concessão de carro plug-in do governo. Portanto, o preço deve ser reduzido para £ 3.500. Além disso, há também um subsídio de até £ 500 para o custo de um carregador doméstico.

De todas as formas, grande parte do gasto inicial, que será direcionado para a aquisição de um carro elétrico, pode ser recuperado. Como? Primeiro porque carregá-los é significativamente mais barato do que abastecer um carro à gasolina ou diesel.

Segundo a Associação Automobilística do Reino Unido, um carro elétrico, em média, custa cerca de £ 2 por 160 quilômetros rodados e a gasolina, para a mesma quilometragem, custa £ 11,60.

Outro fator, que garante a recuperação do dinheiro investido, é a manutenção. E, além disso, veículos elétricos que custem menos de £ 40.000 não pagarão impostos. O único ponto aqui, que pode ser desfavorável para o consumidor, será o seguro, pois o valor, atualmente, é mais alto para os carros elétricos do que para os carros tradicionais.

Bateria

Aqui, o consumo irá depender do destino e de como você dirige. Segundo os especialistas, acelerar o carro elétrico suavemente e usar de forma moderada o ar-condicionado ou o aquecedor é a melhor maneira de economizar bateria.

E se a bateria acabar? Na Inglaterra, o governo já instalou mais de 30.000 pontos de recarga em mais de 11.000 estabelecimentos. Com a adesão dos carros elétricos, o país terá que desembolsar, de acordo com uma pesquisa da Deloitte, £ 1,6 bilhão para a criação de mais 28.000 pontos públicos de recarga, tanto em municípios como em estradas.

Os novos modelos de carros elétricos serão vendidos com três modos de recarga: lento, rápido e ultra rápido. O modo lento leva de oito a 10 horas para que o veículo tenha uma carga completa. Os carregadores rápidos fornecem energia suficiente aos automóveis entre três e quatro horas, enquanto os rápidos precisam de 30 a 60 minutos.

6 cardápios diferentes que são comuns ao redor do mundo no Natal

Matéria anterior

10 comentários mais épicos da Fatos Desconhecidos #109

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.