Inovação

Cientistas descobrem o ‘hidrogênio branco’ e prometem virada no jogo energético mundial

0

Recentes descobertas podem ter apresentado ao mundo o conceito de hidrogênio branco, uma alternativa que promete mudar o mercado energético.

Jacques Pironon e Philipe De Donato, diretores de pesquisa do Centro Nacional de Pesquisa Científica da França, estavam conduzindo uma análise da presença de metano nos subsolos da bacia carbonífera de Lorraine.

Em um ponto a 1.250 metros de profundidade, eles se depararam com uma mudança notável de ambiente.

Foi quando identificaram uma concentração significativa, aproximadamente 20% de hidrogênio branco. Isso sugere a possível existência de um extenso reservatório desse elemento sob a superfície terrestre.

De acordo com os cálculos dos cientistas, estima-se que esse depósito possa conter entre 6 milhões e 250 milhões de toneladas métricas de hidrogênio.

Assim, poderia posicionar o local como um dos maiores depósitos de hidrogênio branco já encontrados, segundo Pironon. Essa descoberta contribuiu para intensificar um interesse já crescente no gás.

Via Olhar Digital

Hidrogênio branco

O Hidrogênio Branco ocorre naturalmente ou está presente na crosta terrestre. Quando queimado, esse combustível gera apenas água, tornando-o altamente atrativo como uma potencial fonte de energia limpa para setores como aviação, navegação e produção de aço.

No entanto, atualmente, o hidrogênio comercial é produzido por meio de um processo intensivo em energia, em grande parte alimentado por combustíveis fósseis.

Existem diferentes tipos de hidrogênio, mas o que mais se destaca como o combustível futuro, do ponto de vista climático, é o hidrogênio verde, gerado utilizando energia renovável para separar a água.

Geoffrey Ellis, geoquímico de petróleo com uma carreira desde os anos 1980, vê com entusiasmo as descobertas recentes dos cientistas.

Ele foi testemunha do rápido crescimento da indústria de gás de xisto nos EUA, que revolucionou o mercado de energia. Para Ellis, o mundo está agora, possivelmente, à beira de uma segunda revolução.

Estima-se que existam potencialmente dezenas de bilhões de toneladas de hidrogênio branco em todo o mundo. Dessa forma, representa um potencial revolucionário para as futuras fontes de energia.

Isabelle Moretti, pesquisadora científica da Universidade de Pau et des Pays de l’Adour e da Universidade de Sorbonne, especializada em hidrogênio branco, considera essa forma de hidrogênio altamente promissora.

Agora, a questão não gira mais em torno dos recursos, mas sim de encontrar grandes reservas economicamente viáveis.

Outros locais

Enquanto a descoberta veio à tona, cientistas do mundo todo também passaram a avaliar possíveis locais. Com isso, descobriram depósitos de hidrogênio em várias partes do mundo, incluindo nos EUA, Europa Oriental, Rússia, Austrália, Omã, Mali e França.

Alguns desses depósitos foram encontrados por acidente, enquanto outros resultaram de investigações intencionais.

Segundo Ellis, a estimativa global aponta para a possibilidade de existirem dezenas de bilhões de toneladas de hidrogênio branco.

Isso seria muito além das atuais 100 milhões de toneladas produzidas anualmente e das previstas 500 milhões de toneladas a serem produzidas anualmente até 2050.

É provável que a maior parte desses depósitos esteja em acumulações pequenas, distantes da costa ou em profundidades que tornariam a produção economicamente inviável.

No entanto, mesmo se apenas 1¢ de hidrogênio pudesse ser encontrado e produzido, isso garantiria uma reserva de 500 milhões de toneladas para os próximos 200 anos.

Via Tempo

Hidrogênio verde pode movimentar bilhões de dólares

Enquanto o hidrogênio branco ainda é alvo de estudos, outro tipo de gás promete ser a mudança que o setor energético precisa, e é o modelo verde.

De acordo com um estudo da consultoria Thymos Energia, o mercado global de hidrogênio verde está previsto para alcançar US$ 350 bilhões até 2030.

No Brasil, a expectativa de investimento na cadeia é de aproximadamente US$ 28 bilhões, representando cerca de 8% do total global.

A maior parte desse montante vem da rota verde de produção desse recurso energético.

O mercado de fornecimento de H2V recebe uma influência notável pela disponibilidade de potencial de energia elétrica renovável e pela oferta de recursos hídricos.

Os países mais desenvolvidos estão conhecendo agora essa possibilidade. Contudo, é a chance do Brasil se destacar em termos de abastecimento e tecnologias de produção.

Isso porque temos uma abundância em ambos os recursos de gás. Assim, espera-se que concentre metade dos investimentos na América Latina e contribua com 8% dos aportes globais.

Essa participação é significativa, considerando a amplitude de continentes e países envolvidos. No entanto, ainda existem alguns entraves na exportação e manipulação desse gás como força de energia massiva.

Por isso, cientistas avaliam melhor as descobertas e estudam essa possibilidade, que se torna cada vez mais real.

 

Fonte: Click Petróleo e Gás

Imagens: Tempo, Olhar Digital

Tutora decide checar câmera de creche para cachorros e vê cena que não gostaria

Previous article

Homem que perdeu fortuna em Bitcoin no lixo recorre à Inteligência Artificial

Next article

Comments

Comments are closed.