• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Como estão 7 lugares hoje em dia que também sofreram com acidentes nucleares

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      18/06/19 às 14h44

Poucas fontes alternativas de energia podem ser consideradas tão perigosas para a saúde humana e ambiental como a energia nuclear. A maior preocupação em usá-la vem do potencial de envenenamento por radiação e poluição. A tecnologia nuclear produz resíduos radioativos que entram em contato com seres humanos e com o meio ambiente durante acidentes com reatores. Além, é claro, de vazamentos nos armazenamentos de resíduos. O desastre de Chernobyl, Fukushima e Kyshtym estão entre os piores de todos os tempos. Mas, afinal, como estão 7 lugares hoje em dia que também sofreram com acidentes nucleares? No caso de um desastre nuclear, os seres humanos podem sofrer com o aumento das taxas de câncer e as futuras gerações podem sofrer de defeitos genéticos.

A radiação no meio ambiente pode resultar em redução significativa do crescimento das plantas e mortes de animais. No entanto, o número de mortes e doenças causadas por um desastre nuclear é difícil de rastrear. Como resultado, isso é frequentemente controverso. Confira, em fotos, como estão 7 lugares hoje em dia que também sofreram com acidentes nucleares:

1- Kyshtym, Rússia (1957)

Nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos eram a principal potência nuclear do mundo. Em um esforço para recuperar o atraso, a União Soviética rapidamente construiu usinas de energia como a de Mayak. Localizada perto da cidade de Kyshtym, ela teve um tanque com sistema de resfriamento abaixo do padrão. Quando falhou, a temperatura crescente causou uma explosão que contaminou mais de 804 km da área circundante.

É difícil obter um número específico de baixas causadas diretamente pela explosão, devido à lenta resposta soviética e à repressão deliberada do governo à informação. No entanto, especialistas estimam que as consequências causaram até 55 casos fatais de câncer induzido por radiação e 66 casos de síndrome de radiação crônica.

A fábrica de Mayak ainda está em funcionamento e tem experimentado dificuldades técnicas e riscos de segurança desde a explosão. Nos últimos 45 anos, ao menos 400.000 pessoas foram expostas a níveis inseguros de radiação por causa das medidas precárias de segurança.

2- Windscale, Inglaterra (1957)

Em 10 de outubro de 1957, a Windscale se tornou o local do pior acidente nuclear da história britânica. Uma instalação tinha sido construída para produzir plutônio. Entretanto, quando os EUA projetaram com sucesso uma bomba nuclear que usava trítio, a instalação foi usada para o Reino Unido. Isso exigia a operação do reator em uma temperatura mais alta do que seu projeto poderia sustentar. Eventualmente, acabou pegando fogo.

Inicialmente, os operadores se preocuparam com a possibilidade de que a extinção das chamas com água causasse uma explosão de hidrogênio. Ainda assim, acabaram cedendo e fizeram isso à medida que a crise aumentava. Os métodos funcionaram, mas não antes de uma quantidade considerável de radiação ter sido liberada. Um estudo de 2007 estima que o incidente desencadeou mais de 200 casos de câncer na população circuncidante.

3- SL-1, Idaho (1961)

O Reator Estacionário de Baixa Potência Número 1, ou SL-1, era um reator nuclear localizado a aproximadamente 64 km de Idaho/Estados Unidos. Em 3 de janeiro de 1961, o reator explodiu, matando três trabalhadores e causando um colapso. A causa foi uma haste de controle que havia sido retirada incorretamente. Mesmo após uma investigação que levou dois anos para ser concluída, os acontecimentos nunca foram propriamente entendidos.

Embora o acidente tenha liberado material radioativo na atmosfera, a localização remota do reator ajudou a minimizar os danos à população vizinha. Ainda assim, o incidente é notável por ter sido o único acidente fatal de um reator nuclear na história dos EUA.

4- Three Mile Island, Dauphin (1979)

Como estão os lugares hoje em dia que também sofreram com acidentes nucleares? O acidente nuclear mais grave da história dos EUA ocorreu na fábrica da Three Mile Island, perto de Harrisburg, na Pensilvânia. Começou quando uma válvula de pressão em um dos reatores não fechou, permitindo que a água de resfriamento - contaminada com radiação - drenasse para os prédios adjacentes. Os operadores da sala de controle cometeram erros críticos enquanto lutavam para conter a crise. No início da manhã, o núcleo havia se aquecido para mais de 4.000 graus - apenas 1.000 graus abaixo do colapso.

Em 31 de março, os trabalhadores da fábrica foram capazes de acabar com a ameaça de um colapso. Embora nenhuma morte ou ferimento tenha sido relatado, tem havido uma controvérsia sobre se a radiação, liberada em Three Mile Island, levou ao aumento das taxas de câncer e mortalidade infantil na região.

5- Yucca Flat, Nevada (1970)

Yucca Flat é uma bacia desértica que serviu como um dos locais de teste nuclear de Nevada. Em 18 de dezembro de 1970, enquanto detonava uma bomba nuclear de 10 kilotons enterrada a 900 pés de profundidade, o tampão que selava a explosão da superfície estalara. Isso resultou em uma nuvem de precipitação radioativa liberada para o ar, que contaminou 86 trabalhadores da região.

Além da radiação que caiu localmente, partículas radioativas foram transportadas para o norte de Nevada, Idaho, norte da Califórnia e as partes orientais dos estados de Washington e Oregon. Acredita-se também que o material radioativo tenha sido transportado para o Oceano Atlântico, o Canadá e o Golfo do México. Dois trabalhadores do Nevada Test Site, que estavam presentes na época, morreram de leucemia em 1974.

6- Jaslovské Bohunice, Checoslováquia (1977)

A Usina Nuclear de Bohunice foi a primeira a ser construída na Checoslováquia. O reator foi baseado em um projeto experimental que deveria funcionar com urânio extraído no local. No entanto, a primeira instalação do gênero teve vários acidentes e precisou ser desligada mais de 30 vezes.

Dois trabalhadores foram mortos em um incidente de 1976, mas o pior acidente ocorreu em 22 de fevereiro de 1977. Na época, um dos trabalhadores removeu as hastes de controle incorretamente durante uma troca de combustível de rotina. Este erro simples causou um enorme vazamento radioativo, e o acidente resultante ganhou uma classificação de nível 4 na Escala Internacional de Eventos Nucleares (de 1 a 7).

O governo soviético encobriu o acidente. Portanto, nenhuma estimativa confiável de vítimas foi divulgada. Em 1979, o governo desmantelou a usina e espera-se que ela seja totalmente desmontada em 2033.

7- Fukushima Daiichi, Japão (2011)

Como estão os lugares hoje em dia que também sofreram com acidentes nucleares? O tsunami e o terremoto devastaram o nordeste do Japão, resultando em cerca de 15.000 mortes. Foi o pior terremoto da história do país e um dos piores tsunamis do mundo. Para piorar ainda mais a situação, o terremoto resultou em colapsos nas usinas nucleares da província de Fukushima.

O desastre resultou diretamente na morte de duas pessoas. O manejo do grave acontecimento, que muitos perceberam como lento e inadequado, causou um grande tumulto no Japão e no exterior. Subsequentemente, as emissões de radiação dos reatores danificados contaminaram uma ampla área ao redor da usina. Quase meio milhão de residentes foram deslocado da região.

Como em Chernobyl, o desastre de Fukushima deteriorou ainda mais a fé mundial na energia nuclear. Vários países ao redor do mundo, como Alemanha e Itália, prometeram fechar suas usinas nucleares ou deixar de construir. No entanto, em alguns países como a Índia e a Rússia, a energia nuclear ainda reina forte.

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+