Já tentou imaginar o que se passa na cabeça de alguém que está enfrentando um julgamento? Será que essa pessoa em algum momento se arrepende por seus atos? Será que ela sente medo? Bom, é algo muito particular e parte de pessoa para pessoa. Certamente existem aquelas em que a ficha cai e percebem a proporção do mal que fizeram. Enquanto isso, outras são mais calculistas e capazes até mesmo de beber veneno após saber sua pena.

Achou estranho? Bom, foi exatamente isso que fez Slobodan Praljak, de 72 anos. Ele era um dos 6 ex-líderes da Croácia, que acabaram sendo levados ao tribunal de Haia, na Holanda, por crimes contra a humanidade, cometidos durante a Guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995. No ano de 2013 o homem já havia recebido pena de 20 anos de prisão. No entanto, decidiu recorrer e esta era sua chance.

Ex-líder croata diz ao juiz que tomou veneno

Publicidade
continue a leitura

Nesta quarta-feira (29/11), enquanto permanecia dentro do tribunal, escutava tudo com muita atenção. Mas as coisas tomaram um rumo realmente chocante assim que Praljak escutou sua sentença de condenação e percebeu que a pena seria mantida. Ele simplesmente se levantou da poltrona e alegou que não era criminoso de guerra. Em seguida, levou à boca um pequeno frasco e bebeu o líquido que ali estava.

Inicialmente ninguém entendeu nada, até que ele disse as seguintes palavras ao juiz que liderava a sessão: "Tomei veneno!". Enquanto todos pareciam atordoados com a situação, o julgamento acabou sendo interrompido. Do outro lado, o juiz também parecia desesperado: "Ok! Suspendemos... Suspendemos... Por favor, as cortinas! Não levem embora o vidro que ele usou!", dizia ele. O homem chegou a ser levado ao hospital mas poucas horas depois do acontecido, a morte foi confirmada.

Advogada fala sobre estado mental

Publicidade
continue a leitura

Em uma rápida entrevista, uma das advogadas de Praljak falou sobre o ocorrido, afirmando que não faz ideia de como ele poderia ter conseguido entrar no tribunal carregando veneno: "Eu realmente não tenho a menor ideia de como é possível que alguém traga veneno para a sala do tribunal. Claro, alguém deve responder por isso!", disse ela. Ainda contou que não viu o momento exato em que o ex-líder ingeriu o líquido, pois estava virada de costas.

Uma das principais hipóteses é que o homem já não estivesse com a  saúde psicológica estável há algum tempo. No entanto, quando questionada sobre tal fator, a advogada afirma que não sabe de nada. Segundo ela, Praljak apenas entrava em contato quando realmente precisava de ajuda jurídica. Já fazia algum tempo que não se encontravam e o único momento em que havia o visto foi pela manhã, quando apenas se cumprimentaram. O vídeo abaixo mostra o momento exato em que tudo aconteceu:

Publicidade
continue a leitura

Ele havia sido declarado culpado por não ter agido quando recebeu a informação de que, em 1993, fiéis muçulmanos estavam sendo detidos e levados para a cidade de Prozor por soldados. O pior, é que ele também sabia que essas pessoas seriam executas, e da mesma forma, não fez nada para impedir. Agora, depois do suicídio em pleno tribunal, as autoridades holandesas prosseguem na investigação do caso.

E então pessoal, o que acham? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Publicado em: 30/11/17 14h17