icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Conheça o gato que está vivo e morto ao mesmo tempo

POR Fatos Desconhecidos (Acervo) EM Ciência e Tecnologia 12/03/15 às 15h11

capa do post Conheça o gato que está vivo e morto ao mesmo tempo

Calma, não se trata de nenhum fenômeno paranormal. É apenas física. Um físico austríaco chamado Erwin Schrödinger resolveu realizar uma experiência imaginária, na qual um gato, usado de cobaia, está vivo e morto ao mesmo tempo.

Parece loucura, mas é mecânica quântica, o ramo da física que estuda as partículas subatômicas. A intenção do físico ao postular a hipótese do gato vivo e morto era mostrar como o comportamento das partículas subatômicas parece nada lógico se aplicado a uma situação real e fácil de ser visualizada, como um gato preso numa caixa.

Na situação mostrada por ele, a vida do animal dependeria de partículas radioativas. Se essas partículas circulassem pela caixa, o gato morreria, em caso contrário, ele permaneceria vivo.

De acordo com as leis do mundo subatômico, ambas as possibilidades podem acontecer ao mesmo tempo, deixando o animal simultaneamente vivo e morto.

Mas e se um cientista olhasse para dentro da caixa? Ele não veria nada de mais, apenas um gato, seja vivo ou morto. Isso porque, segundo a física quântica, se houvesse qualquer interferência, como uma fonte de luz usada para observar o fenômeno, as realidades paralelas do mundo subatômico entrariam em colapso e só veríamos uma delas.

Achou difícil entender tudo isso? Você não é o único, mesmo os melhores físicos têm esse problema. Como, por exemplo, o físico holandês Gerardus ?t Hooft, vencedor do Nobel de Física de 1999: "Esse exemplo mostra que ainda não entendemos as implicações mais profundas da mecânica quântica".

Entendendo melhor a experiência

Como já dissemos antes, para a física quântica, o animal pode estar vivo e morto ao mesmo tempo.  Por isso a caixa onde seria feita experiência de Schrödinger contém um recipiente com material radioativo e um contador Geiger, um aparelho detector de radiação.

Se esse material liberar partículas radioativas, o contador percebe sua presença e aciona um martelo, que, por sua vez, quebra um frasco de veneno.

Ou seja, há a probabilidades de ocorrência de uma dupla realidade, quando, na mesma fração de segundo, o frasco de veneno quebra e não quebra. Em um caso o gato aparece vivo, porque, nessa versão da realidade, nada foi detectado pelo contador Geiger

Em outro o gato pode aparecer morto, pois nessa outra versão do mesmo instante de tempo o contador Geiger detectou uma partícula e acionou o martelo.

Segundo Schrödinger, as duas realidades aconteceriam simultaneamente e o gato estaria vivo e morto ao mesmo tempo até que a caixa fosse aberta. A presença de um observador acabaria com dualidade e ele só poderia ver ou um gato vivo ou um gato morto.

A experiência hipotética fez com que Erwin Schrödinger se tornasse um dos cientistas que mais contribuíram para o desenvolvimento da mecânica quântica. O gato morto e vivo fez com que ele recebesse um prêmio Nobel em 1937.


Próxima Matéria
avatar Fatos Desconhecidos (Acervo)
Fatos Desconhecidos (Acervo)
Acervo, matérias feitas antes do ano de 2015.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest