Já imaginou trocar lixo por comida? O Acre encontrou um meio criativo e eficaz de resolver o problema de muitos brasileiros e economizar nas compras básicas do dia a dia. O Troc Troc é um supermercado indígena. O primeiro do tipo a ser instalado no Brasil, e que lançou a ideia inovadora de trocar lixo por alimentos.

O estabelecimento tem feito muito sucesso na comunidade. O município Marechal Thaumaturgo, localizado no pulmão do Brasil, inaugurou essa iniciativa onde moradores podem trocar aquele lixo reciclável, que muitas vezes não damos nenhuma atenção, por arroz, feijão, legumes, verduras, macarrão, óleo e farinha.

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade
continue a leitura

 

 

 

 

 

 

 

O aumento dos produtos descartáveis teve um acréscimo considerável a partir de 1970. O consumo exacerbado chamou a atenção de grandes empresas. As ONGs com a intenção de retardar esse processo de degradação, e o supermercado ecológico são uma dessas criações. A iniciativa é a favor da natureza e da qualidade de vida das pessoas.

O projeto está no coração da Amazônia! O objetivo é mais do que a reciclagem. Os criadores procuram também a conscientização e a reconciliação do homem com a natureza. O ato gera muitas riquezas e protege o solo, a água e a vida de umas das regiões mais importantes do Brasil e do mundo.

Publicidade
continue a leitura

A ação ainda traz uma promoção para quem trouxer os detritos higienizados e as latinhas amassadas. A ajuda gera um bônus de 20% para o cliente na compra dos alimentos. Todo o material recolhido pelo supermercado é enviado para uma fábrica responsável pela reciclagem e produção de novos utensílios.

Para quem tem a curiosidade de entender melhor como funciona a troca, o processo se dá da seguinte maneira. A cada quilo de plástico entregue no mercado, se contabiliza R$0,50 centavos de crédito na compra de algum alimento.

A limpeza da cidade de Marechal Thaumaturgo também ganha com a iniciativa. Já que, ao invés de jogar ou descartar o lixo, o detrito é barganhado em comida e ainda ganha um novo fim na reciclagem.

Troc, Troc - A Fundação

 

 

Publicidade
continue a leitura

 

 

 

 

 

 

A Fundação Belga House of Indians Foudation se juntou em parceria com os indígenas da organização Ashanika, responsáveis por manusear recursos naturais. Eles abraçaram o projeto gerando novos empregos e influenciando de dentro para fora a rotina dos moradores.  A conversa entre Benki Piyãko, indígena morador da região, e Marcelo Valadão, presidente da fundação, resultou na inauguração do Ecomercado Troc, Troc no dia 31 de março. O movimento da economia aumentou na região.

Troc, Troc nas escolas

O trabalho de conscientização é primordial no projeto. A equipe House of Indians vai até as escolas explicar de uma forma bem didática e interativa como é importante promover a reciclagem. O objetivo é mostrar para os jovens, a relevância e o quão possível é realizar a troca consciente.

“Nós, povos da floresta, estamos no meio que está sendo destruído os últimos lugares. Podemos ajudar, com a nossa experiência. Com a nossa visão de mundo e com aquilo que vivemos em milhares de anos”, diz Benki Piyãko no site oficial do projeto, Troc Troc Consciente.

Publicado em: 11/04/19 18h22