Vocês já devem ter escutado por aí o quão importante é o primeiro contato físico de uma mãe com seu bebê após o nascimento, né!? Os benefícios são vários para ambos. Além de fortalecer o vínculo afetivo entre mãe e filho, os especialistas afirmam que o primeiro contato também fortalece a saúde dos dois.

Uma prova de que esse tal primeiro contato (físico) é importante foi o caso de uma mulher no Ceará. Amanda Cristina Alves da Silva, de 28 anos, estava em coma há 23 dias. Ela acordou depois de ter o primeiro contato com seu filho. A gente conta a história da Amanda e já vamos avisando, pegue seu lenço porque essa história vai fazer você se emocionar.

O coma induzido de Amanda

Amanda vive com crises de convulsão desde que tinha 7 anos de idade. Infelizmente, uma dessas crises aconteceu enquanto ela estava grávida, exatamente na 37º semana da gestação. Pelo fato de estar muito perto do parto, os médicos resolveram deixá-la sedada e fazer uma cesária.

Publicidade
continue a leitura

Seu filho, Victor Hugo, nasceu completamente saudável, mas por precaução teve de ser enviado para UTI neonatal. Amanda também foi mandada para a UTI materna. Victor Hugo saiu da UTI neonatal seis dias depois, mas Amanda não teve reação quando os médicos resolveram tirar ela do coma induzido.

O despertar de Amanda

Quando ainda estava em coma, no dia 9 de março, os médicos se reuniram para decidir o que seria feito. Victor Hugo saiu da UTI neonatal seis dias depois, mas Amanda não teve reação quando os médicos resolveram tirar ela do coma induzido. Fabíola Nunes de Sá, uma das enfermeiras que cuidava de Amanda, teve a ideia aproximar mãe e filho.

Publicidade
continue a leitura

A princípio a ideia parecia ruim, até porque, levar um recém-nascido para uma UTI traz alguns perigos. Mas depois de um infectologista dizer que não havia problema devido ao perfil de pacientes que estavam na UTI, eles resolveram levar a ideia para frente.

Os médicos então fizeram o primeiro contato entre Amanda e Victor Hugo. Pelo fato da mãe não se mexer, os médicos colocaram o neném em cima de Amanda. Eles envolveram o recém-nascido nas mãos dela. No exato momento em que mãe e filho fizeram contato, os médicos ficaram surpreendidos com a reação de Amanda.

De alguma forma inexplicável, ela acordou do coma, depois de ficar 23 dias "apagada". Mesmo sem conseguir falar nem se mover, Amanda reagiu ao toque do seu filho e as lágrimas começaram a escorrer no seu rosto. Segundo os médicos, nesse momento não só a mãe chorou como toda a equipe que estava no local começou a derramar lágrimas.

Publicidade
continue a leitura

Logo depois das lágrimas, Amanda foi capaz de amamentar o seu filho. Os médicos dizem que quando a mãe amamenta seu filho pela primeira vez o corpo libera o "hormônio do amor" (ocitocina). Mas pelo que podemos ver, esse hormônio foi liberado antes mesmo dela começar a amamentar.

Essa talvez seja uma história que prova que nada é mais forte que o amor entre mãe e filho. Mas e você, se emocionou com a história de Amanda? Conhece alguma história parecida? Não esqueça de comentar aqui pra gente!

Publicado em: 09/10/18 16h57