Podemos afirmar que Grant Morrison é, com toda certeza, um dos maiores roteiristas de quadrinhos da história. Assim, ele conta um currículo mais do que invejável. Entre seus principais trabalhos, podemos citar: Asilo Arkham, Patrulha do Destino, Os Invisíveis e Grandes Astros: Superman. E claro, todos os títulos são extremamente elogiados pela crítica. Contudo, já faz um tempo que o artista que planejando uma aposentadoria dos quadrinhos ou, pelo menos, da DC Comics. Com isso, muitos se perguntaram: como será a despedida de Grant Morrison da DC Comics?

De acordo com o desenhista Liam Sharp, que divida a revista mensal do Lanterna Verde com Morrison, este será o último trabalho do escritor. Ainda segundo Sharp, a revista se encerrará em sua segunda temporada. Portanto, para os fãs do quadrinho e do artista, essa não a melhor das notícias. Mas, de toda forma, podemos dizer que um belo final para sua carreira.

Sua última história terá aventuras do Lanterna Verde

Publicidade
continue a leitura

Conforme afirma Sharp, a revista do Lanterna Verde terminará em sua décima segunda edição. "Sempre foi planejada como duas temporadas de doze edições cada, então será isso. Grant diz que é seu último trabalho em DC. Ainda tenho quatro edições para desenhar mente, então ainda não terminei!", afirma o artista em um comentário do Twitter. Depois disso, Sharp acrescentou mais algumas informações sobre a despedida de Morrison. "Desta vez, acho que é verdade. Ele não precisa do trabalho e a maioria de seus parceiros já se foi. É hora de se concentrar em seu próprio material, eu acho!". completa Sharp.

De toda forma, essa ainda não é uma aposentadoria definitiva para o artista. Ao que tudo indica, esta é apenas uma saída da DC Comics. Ou seja, uma saída do mercado mais intenso de títulos mensais e um maior número de trabalhos. Assim, nada impede que Morrison continue escreveu outros títulos ou revistas que sejam mais autorais.

Publicidade
continue a leitura

Uma saída que já vinha sendo planejada há anos

Ainda em 2016, Morrison já dava indícios de que este dia chegaria. Na época, ele estava escrevendo Mulher-Maravilha: Terra Um e dizia estar desmotivado por vários motivos. Em sua maior crítica à indústria e ao próprio país, os Estados Unidos, Morrison dizia que desde o 11 de setembro, "a América vive em paranoia". Com isso, a indústria tem se escorado apenas em histórias apocalípticas e de zumbis. E, segundo suas palavras, esse não era o tipo de história que o artista queria contar. "Vou escrever para um lugar que está mais feliz atualmente, com a Índia", afirmou Morrison na época.

Publicidade
continue a leitura

Com Lanterna Verde, Morrison trouxe uma nova abordagem para o personagem. Desse modo, em duas temporadas, a história passou a ter uma pegada artística de ficção científica bem diferente do habitual. Porém, mesmo que esses tenham sido elementos que chamaram atenção na trama, o foco estava em mostrar um cotidiano mais simples e mais "humano" dos personagens. Assim, as tramas se voltavam para narrativas procedurais e que envolviam um policial espacial.

Para além de histórias mais autorais, ao que tudo indica, Morrison também deve trabalhar com produção e edição dentro do mercado convencional de quadrinhos. Em todo caso, só nos resta esperar por seus novos trabalhos.

Publicado em: 17/09/20 11h01