Em 1982, Eddie Van Halen gravou um dos solos mais icônicos de Michael Jackson em segredo. Estamos falando da quinta faixa do álbum Thriller, ou seja, Beat It. Em apenas um ano, o álbum se tornou o mais vendido de todos os tempos. Inclusive, mantém o título e já conta com mais de 66 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

Nesta terça-feira (06/10), Eddie Van Halen, guitarrista do Van Halen, nos deixou após uma longa luta contra um câncer na garganta. Contudo, sendo um dos maiores músicos de todos os tempos, o artista nos deixou trabalhos que serão sempre lembrados. Entretanto, seu solo mais famoso não está registrado em nenhum disco da banda. Muito menos leva seu nome. Ao invés disso, o que pode ser considerado seu trabalho mais conhecido está em uma das canções mais famosas do rei do pop, Beat It, de Michael Jackson.

Eddie Van Halen não era a primeira opção para gravar a música

Publicidade
continue a leitura

Ao longo de sua carreira, Michael Jackson fez diversas parcerias com guitarristas que são verdadeiros mestres da guitarra. Entre eles, podemos citar Slash, do 'Guns n’ Roses', que gravou as músicas Black or WhiteGive In To Me, do álbum 'Dangerous', de 1991. Além disso, também tivemos Carlos Santana em Whatever Happens, do disco 'Invincible', lançado em 2001. Mas, a parceria de maior sucesso foi feita em segredo com o guitarrista Eddie Van Halen.

No álbum 'Thriller', de 1982, Quincy Jones era quem cuidava da produção do novo trabalho do rei do pop. Assim, Steve Lukather estava cuidando dos riffs de guitarra do álbum. No entanto, em Beat It, o produtor e Michael sentiam que precisavam de algo a mais para os riffs de guitarra. Com isso, Michael convidou Pete Townshend, do 'The Who'. Entretanto, o guitarrista não podia na época. "Michael Jackson me pediu para tocar guitarra no 'Thriller'. Eu disse que não poderia, mas recomendei Eddie, que me ligou e batemos um papo. Ele ficou muito feliz", afirma Pete em uma entrevista à Rolling Stone. Dessa forma, Quincy entrou em contato com músico, mas essa não foi uma tarefa nada fácil.

Publicidade
continue a leitura

O produtor de Michael Jackson precisou insistir para entrar em contato com o guitarrista

Eddie Van Halen gravou um dos solos mais icônicos de Michael Jackson em segredo.

Quincy Jones precisou ligar muitas vezes para Eddie Van Halen até ele finalmente atender. Porém, tudo não passou de um mal-entendido. "Meu telefone não estava funcionando bem. Eu sabia que a pessoa do outro lado não podia me ouvir. Na terceira vez ele pergunta: 'Eddie?' E eu digo: 'O que você quer, seu babaca?' Ele responde: 'Aqui é Quincy. Quincy Jones.' '.Ai meu Deus, desculpe. Eu recebo muitos telefonemas de malucos que não conheço'", afirma Eddie em uma entrevista à revista 'Musician', em 1984.

Publicidade
continue a leitura

Com a confusão resolvida, Eddie e seu engenheiro de som, Don Landee, ouviram a música. Em seguida, eles criaram alguns arranjos novos. "Quando cheguei, levei uns 15 minutos para rearranjar a música. Toquei dois solos e disse a eles que podiam pegar o que preferissem", afirma Eddie. "Foi muito divertido fazer. É loucura como uma coisa pode tomar tão pouco tempo e se tornar algo além de qualquer coisa que você possa imaginar", completa o guitarrista.

Por fim, o mais incrível de tudo é Eddie Van Halen achou que nunca saberiam de sua participação na música. Além disso, também não recebeu nada pela gravação. Isso aconteceu porque ele acreditava que essa gravação poderia afetar seu contrato com a gravadora da época. "Não me importei. Fiz como um favor. Não queria nada… Talvez um dia Michael me dê umas aulas de dança", brincou o guitarrista, em 1984. "De acordo com meu empresário e meus colegas de banda eu fui um completo idiota. Mas eu achei que ninguém jamais saberia que eu havia participado de um disco do Michael Jackson", completa.

Publicado em: 07/10/20 16h08