Curiosidades

Em 2020, mais sul-coreanos morreram do que nasceram

0

Coreia do Sul é um país da Ásia Oriental e fica localizado na parte sul da Península da Coreia. Seul é a capital do país e também a maior cidade, abrigando então a maior quantidade de pessoas. A história da Coreia do Sul é bastante turbulenta e com numerosas guerras. Isso inclui invasões, tanto chinesas, quanto japonesas.

Mesmo assim, a nação está entre as mais admiradas do mundo. O lugar é muito conhecido pelos arranha-céus, por sua comida bastante apimentada, por sua tecnologia altamente desenvolvida e seus grupos de K-pop (pop coreano). No entanto, nem tudo por lá são flores.

O ano de 2020 não foi um bom ano para o mundo todo. Todos nós sentimos o peso da pandemia do coronavírus. No entanto, pela primeira  vez, a Coreia do Sul teve mais mortes do que nascimentos no ano passado.

É notório para qualquer pessoa que pare um tempo para reparar, que as pessoas, com o passar do tempo, estão tendo menos filhos. Antigamente, era normal um casal ter cinco ou mais filhos. Hoje em dia, as pessoas se espantam se alguém quer ter três filhos. Essa mudança no comportamento das pessoas afeta vários outros aspectos da vida e também a economia de um país.

Diferença

Essa diferença deixou as autoridades preocupadas com as implicações que isso pode ter a longo prazo no declínio da população da Coreia do Sul. Por conta disso, de acordo com a BBC, o governo do país fará mudanças fundamentais para essa diminuição da população seja evitada e fique ainda mais acentuada.

Contudo, essa queda populacional não foi uma coisa enorme. Ao todo foram 307.764 mortes em comparação com 275.800 nascimentos. Isso quer dizer que foi uma perda de 31.874 pessoas. O número é pequeno quando comparado à população total da Coreia do Sul que é de 51,3 milhões de pessoas. Mesmo assim, os números são 10% a menos de nascimentos do que em 2019.

Também com objetivo de mudar essa realidade, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, anunciou incentivos financeiros para apoiar novos pais. E a partir de 2022, as famílias sul-coreanas que tenham um recém nascido receberão dois milhões de won, que são aproximadamente 1.850 dólares, como ajuda para cobrir os cuidados do pré-natal. Além disso, receberão também aproximadamente 300 mil won, cerca de 275 dólares, mensalmente até que o bebê faça um ano de idade.

Incentivos

No entanto, se mesmo com esses incentivos a população não se sinta encorajada para ter filhos a tendência é que a queda populacional continue. E no futuro, a Coreia do Sul pode enfrentar problemas parecidos com os do Japão. O país está lutando nos últimos anos para substituir sua  força de trabalho que já está envelhecida.

De acordo com a BBC, a ajuda financeira que o governo da Coreia do Sul está planejando dar para os cuidados médicos pode não ser suficiente. Até porque outros problemas tem mais peso. Como por exemplo, imóveis inacessíveis e a falta de equilíbrio entre a vida pessoal e profissional parecem ser fatores importantes e que não são resolvidos. Por isso, vários famílias jovens optam por não terem filhos.

Noiva obsessiva força damas de honra a assinarem contrato com regras bizarras

Matéria anterior

Conheça o livro capaz de matar qualquer pessoa

Próxima matéria

Comentários

Comentários não permitidos.

Mais em Curiosidades

Você pode gostar