coronavírus é o assunto mais falado e noticiado nos últimos tempos. E também não é para menos, a doença se espalhou para diversos países do mundo e instaurou um alerta global de pandemia. Além do mais, o vírus não escolhe quem infectar.

pandemia está deixando todas as pessoas bastante assustadas e surpresas. O COVID-19 surgiu em Wuhan, na China. E  por causa de sua intensidade e capacidade de matar as pessoas, o mundo todo está passando por uma situação bastante delicada e está em estado de alerta. Governos do mundo todo tomaram medidas, para proteger seus cidadãos e evitar um contágio ainda maior.

Os coronavírus são uma família grande de vírus, mas só era sabido que seis deles afetavam os humanos. Com esse novo vírus, agora são sete. Geralmente, as infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves até moderadas. Ou seja, é semelhante a um resfriado comum.

Mas alguns coronavírus podem causar doenças graves. Um desses causa a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) que, em 2002, matou 774 pessoas, na China. O novo vírus é chamado de COVID-19.

E com a urgência de tentar conter o mais rápido possível a pandemia, laboratórios do mundo inteiro estão se mobilizando, em busca de uma vacina eficaz contra a Covid-19. E tentar entender um pouco mais sobre esse vírus.

Publicidade
continue a leitura

Cachorros

Os esforços para achar formas de conter o coronavírus estão sendo feitos de todos os lados. E explorando todas as possibilidades possíveis. Um desses esforços são os cães farejadores especializados, que vão ser testados para ver se eles são capazes de detectar o coronavírus.

A Medical Detection Dogs já treinou animais para detectar o cheiro de malária, câncer e Parkinson. Eles planejam agora testar os animais na identificação do novo coronavírus junto como a Universidade de Durham e a Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM).

De acordo com Claire Guest, a chefe da instituição, eles precisam descobrir como "capturar com segurança o odor do vírus dos pacientes".

Publicidade
continue a leitura

"Em princípio, temos certeza de que os cães podem detectar o Covid-19", disse ela.

Eficácia

Se essa habilidade dos animais for comprovada, eles podem ser usados para identificar qualquer pessoa que esteja contaminada, até mesmo aquelas sem sintomas.

"Isso seria rápido, eficaz e não invasivo. E garantirá que os recursos limitados de testes do NHS sejam usados ??apenas onde forem realmente necessários", ressaltou Guest.

Publicidade
continue a leitura

Segundo James Logan, professor e chefe de controle de doenças da LSHTM, a pesquisa mostrou que os cachorros conseguem farejar o odor da infecção da malária com alto nível de precisão "acima dos padrões da Organização Mundial de Saúde para um diagnóstico".

Cada doença tem o seu próprio odor. E de acordo com a pesquisa, os animais podem estar prontos, em seis semanas, para ajudar nesse diagnóstico rápido e não invasivo. Além disso, os cachorros também poderiam ser treinados, para dizer se alguém estava com febre ou não.

De acordo com Steve Lindsay, do Departamento de Biociências da Universidade de Durham, os cães de detecção poderiam ser usados nos aeroportos para detectar as pessoas que estiverem contaminadas com o vírus.

"Isso ajudaria a evitar o ressurgimento da doença depois de controlarmos a atual epidemia", afirmou.

Publicado em: 01/04/20 23h50