icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Entenda a verdade sobre o que aconteceu no atentado à Boate Pulse em Orlando

POR PH Mota EM Mundo Afora 12/06/16 às 16h30

capa do post Entenda a verdade sobre o que aconteceu no atentado à Boate Pulse em Orlando

Neste domingo (12), um homem invadiu uma boate gay em Orlando, na Flórida, e matou aproximadamente 50 pessoas depois de disparar tiros no local. Além dos mortos, ao menos outros 53 ficaram feridos depois do atentado dentro da boate.

Segundo as autoridades norte-americanas, este é o maior ataque a tiros em massa da história do país, e as motivações do crime ainda precisam ser investigadas. Depois de invadir a boate e matar as primeiras vítimas, o suspeito fez outros sobreviventes reféns e ficou no local por cerca de três horas, em negociação com a polícia.

Entenda o que já foi explicado até agora sobre o crime, que chocou os Estados Unidos e o mundo neste final de semana.

O ataque

O atentado durou cerca de três horas, das duas às cinco da manhã e terminou depois que a polícia decidiu invadir o local e atirar contra o suspeito. Após horas de negociação sem sucesso, a decisão foi tomada e resultou na morte do atirador.

O assassino

O atirador responsável pelo atentado foi identificado como Omar Mateen. O americano tem 29 anos e, 20 minutos antes do ataque, ligou para a polícia jurando fidelidade ao Estado Islâmico. Segundo as autoridades da Flórida, ele possuía licenças de armas de fogo, além de uma licença de agente de segurança. Mateen era cidadão americano e nascido em Nova York, mas tinha pais nascidos no Afeganistão.

Os antecedentes

Mateen já havia sido investigado pelo FBI anteriormente e estava sob o radar da agência de inteligência em razão de suas ligações com o Estado Islâmico. Apesar disso, nunca foram encontrados indícios de que ele planejava o ataque, segundo as autoridades. Mesmo que tenha sido alvo de investigações em outras duas oportunidades, não apresentou nada que fosse motivo para sua prisão.

A motivação

Apesar de seguidor das ideologias religiosas radicais islâmicas, o homem pode não ter agido por motivações de religião. Segundo o pai de Mateen, Mir Seddique, ele sentia ódio pela comunidade LGBT e já havia mostrado, por diversas vezes, desprezo, desconforto e nervosismo ao ver demonstrações públicas de afeto entre homossexuais. O pai do atirador descartou a possibilidade do ataque estar ligado a motivos religiosos. Apesar disso, a polícia ainda trabalha com a hipótese nas investigações.

As armas

Para a realização do massacre, Omar Mateen utilizou uma pistola Glock, comprada há duas semanas. Além da pistola, ele estava equipado com um rifle AR-15 e muita munição. Para ir até a boate, Mateen utilizou uma van alugada, que foi inspecionada para a polícia na intenção de encontrar mais armas ou pistas sobre o crime.

A cena do crime

O massacre acontece na boate Pulse, aberta em 2004, em Orlando. A boate focada no público gay foi aberta em homenagem ao irmão de Barbara Poma, dona do estabelecimento, que morreu de AIDS. A ideia da casa é ser, além de um clube de lazer, um local para discutir causas homossexuais e promover ações sociais na causa LGBT. Na noite do crime, a festa celebrava a cultura latina.


Próxima Matéria
Via   CNN     NPR     Mashable  
Imagens CNN NPR ABC11
avatar PH Mota
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest