CuriosidadesLugares e Construções

Essa é Okinoshima, a ilha onde as mulheres não podem por os pés

0

Um sonho em comum de milhões de pessoas ao redor do mundo é viajar e conhecer o máximo de lugares que conseguirem. Para isso, costumamos nos dedicar bastante em trabalhos para que, desta forma, consigamos ir para algum lugar do mundo quando pudermos. Pelo menos aqui, no Brasil, muitas pessoas optam por viajar para a América do Norte, visitando assim os Estados Unidos, Canadá e México. Países da Europa também são bastante populares e buscados. Ha ainda quem opte pela África ou Ásia. No entanto, existem vários lugares do mundo onde a visitação é extremamente restrita, seja porque guardam segredos e tesouros inestimáveis ou por segurança.

A Coreia do Norte, por exemplo, é um dos países mais restritos do mundo. Você não consegue simplesmente comprar uma passagem, visitar o país e sair quando quiser. Não dá para fazer turismo por lá, ficar fotografando o dia-a-dia das pessoas e etc. Outro lugar bastante restrito é Okinoshima, uma ilha no Japão que proíbe a entrada de mulheres. Esse lugar faz parte da cidade de Minakata, da província Fukuoka. Devido a sua importância histórica e religiosa, o lugar se tornou Patrimônio Mundial da UNESCO recentemente, mas ainda só pode ser visitada por homens. Essa é uma tradição bastante antiga do lugar.

Okinoshima, um dos lugares mais restritos do mundo

De acordo com as história, durante os séculos 4 e 9, época onde o comércio tinha muita força no Oriente, essa ilha se transformou em uma espécie de lugar sagrado para homens. Esses, antes de seguir em viagens marítimas, paravam no local para fazer suas orações. Conforme o tempo passou, Okinoshima se tornou o lar de milhares de oferendas. Os viajantes deixavam jóias, contas, espadas e outras armas. Atualmente, mais de 80 mil artefatos estão na ilha.

O mais curioso é que, como diversos artefatos são anteriores aos registros históricos de rituais religiosos no Japão, os objetos são considerados tesouros nacionais pelo governo do país. Por esse motivo, Okinoshima inteira, cuja área é pouco menos de 1 quilômetro quadrado, é considerada lugar sagrado. Mas, por que as mulheres são proibidas de irem para essa ilha? Bom, como Okinoshima é um santuário regido pela tradição religiosa Shinto, uma das explicações seria que as mulheres, em período menstrual, poderiam profanar o local.

Os homens, embora sejam permitidos a entrar no local, precisam antes passar por um ritual de purificação antes de poder visitar a ilha. Esse ritual envolve ficar completamente nu. Devido as restrições e dificuldade para poder visitar Okinoshima, ela não costumava ser um lugar muito popular. No entanto, com a inclusão do lugar na lista de patrimônios da UNESCO, as autoridades acreditam que é muito provável que o interesse aumente de forma considerável. No entanto, ainda assim, Okinoshima continuará sendo um território exclusivo para homens. Esse é o tipo de tradição que não mudará, mesmo com a popularização do lugar.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comente então pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Vale lembrar que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Ter pessoas vivendo mais é uma boa notícia para a economia

Matéria anterior

Por que achamos um lado do rosto mais bonito do que o outro?

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar