Temos que concordar que não são todas as pessoas que acreditam que, de fato, possa existir vida em outros planetas. Mas diferentemente desse tipo de pensamento, a ciência e a física vêm nos revelando que a probabilidade de existir vida lá fora é realmente muito alta. Além do que é ser muito egoísta pensar que nós estaríamos sozinhos em um universo tão grande. E que não encontraríamos vidas alienígenas, se elas realmente existirem.

Desde a década de 1990, os astrônomos já catalogaram mais de três mil exoplanetas através de uma técnica de detecção bem básica conhecida como método de trânsito. E se os extraterrestres também estiverem usando essa mesma técnica para nos espionar?

Agora, uma equipe de astrônomos está explorando essa possibilidade um pouco assustadora. O título do artigo publicado já resume o seu propósito, que é "Quais estrelas podem ver a Terra como um exoplaneta em trânsito?"

Detectar exoplanetas

Os astrônomos na Terra usam esse método para  localizar exoplanetas. Então nada mais lógico do que se pensar que os astrônomos de outros planetas também usam a mesma técnica para  localizar nosso planeta.

Publicidade
continue a leitura

Esse método de trânsito não dá a possibilidade dos astrônomos verem o exoplaneta diretamente. Ao invés disso eles veem o escurecimento temporário de uma estrela distante. Isso é um sinal que pode existir um  exoplaneta passando na frente dela.

A diminuição da luminosidade é pequena, mas detectável. E esses eventos também podem produzir dados importantes e darem aos astrônomos a possibilidade de determinar a duração do ano de um exoplaneta, sua temperatura e suas propriedades químicas. Essas  propriedades químicas que mostram se o planeta é rochoso ou se são gigantes gasosos.

Com essa técnica é possível  localizar somente os exoplanetas que passam na frente das suas estrelas hospedeiras que estão na linha de visão da Terra. Se um planeta estiver um pouco fora de ângulo já não se saberia da sua existência.

Sendo vistos

Publicidade
continue a leitura

Em um estudo recente feito pela astrônoma de Cornell Lisa Kaltenegger, junto com o astrônomo de Lehigh Joshua Pepper, eles “invertem o ponto de vista e perguntam de quais sistemas outros observadores poderiam ver a Terra como um planeta em trânsito”.

Eles usaram os dados que foram coletados pelo Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) da NASA e acharam 1004 estrelas relativamente próximas que se encaixam nessa categoria.

As estrelas na Zona de Trânsito da Terra (ZTT), que é a "região de onde a Terra poderia ser vista transitando pelo Sol, que é uma faixa fina ao redor da eclíptica projetada no céu com uma largura de 0,528 °” segundo diz o estudo, são perfeitas para essa categoria.

Os astrônomos extraterrestres poderiam saber algumas coisas sobre o nosso planeta. Como por exemplo que se trata de um planeta rochoso, que o nosso anos tem 365 dias e que está localizado dentro da zona habitável do sol.

Publicidade
continue a leitura

Possibilidade

Essa observação da  Terra seria  empolgante principalmente se a tecnologia deles pudesse encontrar bioassinaturas na nossa atmosfera ou então as concentração  altas de dióxido de carbono. Isso seria um possível sinal de uma civilização em estágio industrial.

Dessas 1004 estrelas, infelizmente, 77% são anãs vermelhas que não são boas candidatas para ter vida. Somente 6% das estrelas são tipo G, que é a categoria em que o sol se encontra. Essa é uma limitação importante de ser falada até porque as estrelas tipo G continuam sendo o único tipo de estrela que é conhecido por abrigar vida.

“Se encontrássemos um planeta com uma biosfera vibrante, ficaríamos curiosos para saber se alguém está ou não olhando para nós também. Se estamos procurando por vida inteligente no universo, ela pode nos encontrar e pode querer entrar em contato, acabamos de criar o mapa estelar de onde devemos olhar primeiro", disse Kaltenegger.

Publicado em: 28/10/20 16h00