• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Homem de 66 anos descobre que viveu com seus órgãos invertidos

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      25/06/19 às 20h18

Situs inversus é uma anomalia morfológica congênita do posicionamento das vísceras internas, caracterizada pela transposição das vísceras abdominais. Se associada ao coração do lado direito, é denominada situs inversus totalis. O situs inversus pode ser abdominal, torácico ou ambos. A incidência da situs inversus varia de 1/5.000 a 1/20.000 nascimentos e, por isso, não pode ser denominada como "incomum" ou extremamente rara. Dentro desta perspectiva, um homem de 66 anos acabou servindo como estudo de caso em um hospital nos Estados Unidos. Ele descobriu que viveu com seus órgãos invertidos durante esse tempo todo.

O homem dera entrada na instituição por conta de uma tosse insistente, mas os sintomas inferiam a muito mais do que isso. De acordo com um artigo publicado pelo The New England Journal of Medicine, os especialistas constataram que o paciente possui todos os órgãos invertidos. Eles estão localizados no lado oposto ao que ocorre naturalmente.

Sobre o caso clínico

O paciente se mudou para os Estados Unidos após 20 anos vivendo em um campo de refugiados. De acordo com os especialistas, ele tinha uma branda infecção respiratória que foi tratada o mais rápido possível. Após sua recuperação, ele pôde voltar para casa tranquilamente. Por mais que cause medo à princípio, a inversão de órgãos não causa grandes prejuízos à saúde. Antes da criação dos exames por imagens, muitas pessoas morriam sem nunca ter conhecimento dessa condição.

Entretanto, é importante entender que a maioria das complicações relacionadas à situs inversus ocorre na região cardíaca. As artérias principais apresentam posicionamentos diferenciados e isso pode tornar os transplantes de coração muito mais difíceis. Algumas pessoas que apresentam a anomalia, inclusive, usam braceletes para sinalizar aos profissionais da saúde de sua condição para o caso de cirurgias de emergência.

Situs inversus

Geralmente, os pacientes com situs inversus totalis são assintomáticos e têm uma expectativa de vida normal. O reconhecimento do situs inversus é importante para prevenir acidentes cirúrgicos, como pode acontecer em casos de colelitíase ou apendicite.

Assim sendo, o diagnóstico pode ser prontamente estabelecido usando radiografia ou ultrassonografia. Entretanto, a tomografia computadorizada (TC) é a investigação preferida para o seu diagnóstico. A documentação do situs inversus em um indivíduo é importante para interpretar corretamente qualquer sintoma futuro.

De acordo com The New England Journal of Medicine, os resultados do exame físico inferidos no homem de 66 anos foram notáveis em algumas questões. Especialmente, no sentido de averiguar os sons cardíacos no lado direito do tórax "e para sensibilidade nas articulações costocondrais e no quadrante superior esquerdo à palpação. (...) Os achados em uma radiografia de tórax incluíram dextrocardia e a tomografia computadorizada do abdômen revelou transposição de imagem em espelho dos órgãos abdominais. O que confirma a presença de situs inversus totalis sem características patológicas agudas".

O homem de 66 anos descobriu que viveu com seus órgãos invertidos, mas isso não acarretou em impactos significativos. De acordo com o diagnóstico, ele não tinha histórico de infecções respiratórias recorrentes. Além disso, a ecocardiografia não revelou anormalidades estruturais.

"Um diagnóstico de infecção do trato respiratório superior foi feito, e a dor torácica musculoesquelética foi tratada com drogas antiinflamatórias não-esteroidais. A infecção resolveu vários dias após a apresentação", publicaram.

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+