Talvez o câncer seja uma das doenças mais temidas pelo mundo inteiro. Quem já perdeu uma pessoa querida por causa dele, sabe como a doença traz sofrimento para a vítima e para as pessoas a sua volta.

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado, maligno, de células. São células agressivas e incontroláveis que resultam em tumores ou neoplasias malignas.

Ele é o crescimento desordenado de células, que provocam o aumento significativo na região envolvida. Pode acontecer também de haver a invasão de tecidos e órgãos adjacentes. Em alguns casos, pode acontecer das células cancerosas se espalharem pelo organismo, pelos vasos sanguíneos ou linfáticos e para diferentes partes do corpo. Isso são as chamadas metástases.

Claro que ninguém deseja ter essa doença, mas ninguém sabe ao certo como preveni-la de forma eficaz. E quando se é diagnosticado e um choque para qualquer pessoa.

Em outubro de 2019, o jovem de 18 anos, Artur Pacheco, foi diagnosticado com câncer, depois de perceber um caroço no pescoço, sem nenhum outro sintoma. A descoberta e o tratamento da doença não foram fáceis.

Jovem

Publicidade
continue a leitura

Entretanto, Artur usou a internet para documentar com leveza todas as etapas pelas quais passou. E o jovem publicou um vídeo, com um compilado de todas as fotos que tirou todos os dias, durante mais de um ano. Tudo isso para ir mostrando a sua transformação física.

No fim de 2019, Artur mexeu em seu pescoço e viu que tinha uma protuberância lateral. Quando ele mostrou para seus pais, eles ficaram desconfiados e decidiram ir ao médico.

Depois de vários exames feitos com resultados inconclusivos e duas biópsias, o menino foi diagnosticado com linfoma não Hodgkin. O resultado foi uma surpresa, até porque ele não tinha nenhum outro sintoma de câncer.

“Eu não tinha nenhum sintoma. Então a gente, eu, minha família e todo mundo que estava me acompanhando, sempre acreditou que não seria nada. Mas depois que vimos que realmente era câncer e eu teria de passar pelo tratamento. Fiquei muito assustado no dia, meio perdido, meio estagnado, sem acreditar”, disse ele em uma entrevista para o site VIX.

“Tive meu momento de tristeza, de raiva, mas logo isso passou porque eu sabia que não ia adiantar muito ficar me culpando, me questionando. Depois que isso passou, comecei a fazer o tratamento, a realmente me entregar para me curar logo e voltar à minha vida”, continuou.

Publicidade
continue a leitura

Registro

https://www.instagram.com/p/CFziod7pa_B/?utm_source=ig_embed

Artur conta que não foi logo de cara que ele resolveu postar a respeito da doença na internet e que tinha uma visão antiga sobre o assunto.

“Quando comecei a passar pelos médicos, não postei nada porque ainda tinha em mente aquela visão que a sociedade tem, de que câncer é um diagnóstico de morte. Então eu recuei e falei: ‘Nossa, como vou postar isso na internet?’. Mas depois de um tempo que raspei a cabeça e as coisas foram acontecendo, eu comecei a entender, a aceitar parcialmente e a postar”, contou.

“Comecei a contar na internet porque pesquisei e não achei ninguém que tivesse passado pelo tipo de tratamento pelo qual eu ia passar, o tipo de câncer pelo qual passei. Encontrei muitas pessoas que passaram por algo parecido e falei: ‘Vou postar tudo o que está acontecendo e quebrar esse tabu porque só quem passa por isso sabe como 钔, explicou.

Publicidade
continue a leitura

Assim como a maioria das pessoas, o jovem foi avisado que os cabelos iriam começar a cair. Artur tinha um cabelo comprido e era bem apegado a ele. Mas quando resolveu raspar, seus amigos também rasparam o cabelo deles em solidariedade no mesmo dia. E Artur conta que isso teve um significado enorme para ele.

Vitória

No total, Artur fez seis ciclos de quimioterapia. Ele intercalou sessões de um dia e sessões de três dias em intervalos de 21 dias. Já no primeiro ciclo ele começou a sentir os efeitos desagradáveis do tratamento e precisou ficar internado duas vezes ao longo do tratamento.

Por mais que o processo tenha sido difícil como qualquer outro e o diagnóstico tenha surpreendido até mesmo os médicos, Artur sempre teve fé que se curaria. Hoje, Artur está curado e leva aprendizados importantes para a vida toda.

“Além de eu ter amadurecido, ter outra visão do mundo, da vida, aprendi a dar valor às pequenas coisas que acontecem. Fiquei muito tempo sem conseguir fazer uma refeição que eu estava com vontade de comer. Fiquei muito tempo assim, mais de seis meses, então quando conseguia comer algo. É algo simples, a gente já está acostumado, mas, para mim, a ação de comer já era muita coisa, então comecei a dar valor”, disse.

Publicado em: 21/10/20 14h49