Uma das características admiráveis da DC Comics é a forma como que a editora consegue explorar os próprios personagens. São versões alternativas, situações improváveis, universos desconhecidos e o que mais vier em mente. Seja com uma atmosfera mais otimista ou tenebrosa, o importante é manter as lendas vivas. Uma de suas mais recentes criações é o Multiverso Sombrio, onde fomos apresentados ao Batman Que Ri. A fim de aproveitar ainda mais esse mundo, a editora lançou a série Tales from the Dark Multiverse (Contos do Multiverso Sombrio, em tradução livre), onde ela revisita momentos icônicos de sua história sob nova perspectiva.

Os especiais são compostos de histórias one-shot (volume único). A primeira foi dedicada ao Batman e seu doloroso confronto com Bane em A Queda do Morcego. Já a segunda, revisita um dos momentos mais marcantes da nona arte em geral, a morte do Superman. Dessa vez, contudo, o foco não está no Homem de Aço, mas em Lois Lane.

E se Lois adquirisse poderes para vingar a morte do homem que tanto amava? Como ela procederia? Saberia controlar os impulsos ou cederia à raiva do luto? Essa e mais outras questões são respondidas e trabalhadas pelo roteirista Jeff Loveness e pelo ilustrador Brad Walker, em Tales from the Dark Multiverse: Death of Superman.

Publicidade
continue a leitura

Lois Lane ganha poderes

Em entrevista ao Screen Rant, os dois artistas comentaram sobre o projeto e o que os leitores podem esperar dessa abordagem inédita. “Eu gosto da ideia de não ser mais uma história sobre o Superman ficar corrompido”, revelou Brad Walker. “Nossa história começa no funeral. Achei que era muito importante mostrar sob o ponto de vista uma apenas uma pessoa. No original, a perspectiva muda e concede a todos um tempo para sentir o momento. Mas aqui é especificamente sobre Lois”, completou.

Publicidade
continue a leitura

Aqui, veremos Lois se perder em meio à dor da perda. Ela fará escolhas difíceis e cometerá atos violentos, o que não significa que ela tenha se transformado numa pessoa ruim. “Eu não queria fazer disso uma simples história de vilão. Eu realmente queria que ela tivesse um bom ponto porque ela é a melhor jornalista do mundo e ela finalmente possui todos os recursos. E se a melhor jornalista do mundo perdesse seu idealismo? Perdesse sua fé?”, disse Jeff Loveness.

O roteirista continuou: “Em um mundo onde Clark Kent está morto, por que Lex Luthor ainda está por aí? Se você retirar seu idealismo, e você tiver o poder de fazer mudanças.... Eu gosto de brincar um pouco com essa vertente precipitada. E dar a Lois um pouco mais de raiva justificada”.

Publicidade
continue a leitura

Tales from the Dark Multiverse: Death of Superman já está disponível nas lojas americanas.

Publicado em: 08/11/19 13h45