Na noite da última sexta-feira (28), o mundo foi surpreendido por uma notícia de partir o coração. De acordo com uma nota oficial publicada nas redes sociais do ator, Chadwick Boseman havia falecido. De imediato associamos o ocorrido à pandemia de coronavírus. No entanto, acabamos descobrindo que, na verdade, o astro conhecido por dar vida ao Pantera Negra do MCU tinha perdido uma batalha contra um câncer no cólon. Segundo informações divulgadas por pessoas próximas do intérprete de T'Challa, o mesmo vinha lutando contra a doença pelos últimos quatro anos. Isso significa que todos seus filmes no MCU foram gravados enquanto o ator realizava cirurgias e quimioterapia. Além dele, apenas seus familiares e seletos amigos sabiam da doença. Sendo assim, todos os envolvidos na produção de Pantera Negra, bem como os executivos da Disney e da Marvel Studios, foram pegos de surpresa.

Os últimos dias visaram homenagear o legado criado por Boseman. Todavia, uma pergunta não deixou de pairar sobre a cabeça do público: afinal, como será o futuro de Pantera Negra? Pois bem, de acordo com a Hollywood Reporter, a prioridade do estúdio no momento é processar a perda do ator e respeitar o momento de luto. Contudo, a revista estadunidense também ressaltou que a falta de Boseman afetará não apenas sua franquia, mas todo o MCU. De qualquer forma, fontes da Disney informaram que Pantera Negra 2 agora está em segundo plano. No momento a Casa do Rato e a Marvel pretendem focar em fazer um tributo ao astro.

Publicidade
continue a leitura

Uma fonte próxima de Boseman compartilhou um sensível detalhe com a HR. Aparentemente, uma semana antes de sua morte, o ator ainda acreditava que seria capaz de vencer a doença e ganhar peso para a sequência de Pantera Negra. As filmagens teriam início em março do ano que vem.

Chadwick Boseman para além de Pantera Negra

Publicidade
continue a leitura

Seu papel como Rei de Wakanda é extremamente significativo para o mundo. Contudo, além dele, Boseman possui uma influência e importância além do imaginável para a sociedade. Através de sua arte, o astro conseguiu contar histórias que precisavam ser vistas e assimiladas. Nischelle Turnercorrespondente do CNN, compartilhou que costumava brincar com Boseman. Ela dizia que "se houvesse um homem negro icônico na história americana, ele o interpretaria". Em seguida, a jornalista lembrou que o astro já encarnou inúmeras personalidades da cultura estadunidense ao longo de sua carreira: Jackie Robinson, em 42 - A História de uma Lenda, onde ele viveu o primeiro negro a disputar a Major League de Baseball; Thurgood Marshall, em Marshall, onde ele incorporou o primeiro juiz afro-descendente da Corte Suprema Americana; e James Brown, em Get on Up, onde teve sua performance aclamada ao viver uma das maiores personalidades negras na música mundial.

Publicidade
continue a leitura

Sem dúvidas, Chadwick Boseman ainda tinha muito o que ensinar e compartilhar com o mundo. No entanto, assim como sua influência e sua luta foram além das telas. Seu legado transcenderá a história. Registramos aqui nossos mais sinceros sentimentos e reforçamos nossa gratidão pela oportunidade de viver na mesma época que esse verdadeiro super-herói.

Publicado em: 04/09/20 00h17