O corpo humano é um dos maquinários mais fantásticos e, ainda, cheio de mistérios, do mundo. Ele é constituído por 14 sistemas. São eles: cardiovascular, respiratório, digestório, nervoso, sensorial, endócrino, excretor, urinário, reprodutor, esquelético, muscular, imunológico, linfático, tegumentar. Cada um desses sistemas envolvem órgãos, que são responsáveis pela realização das funções vitais do organismo.

E para que tudo isso exista o desenvolvimento humano começa com a fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Essa fecundação dá origem ao zigoto. Ele se instala no útero depois de algumas divisões celulares. Nisso, a placenta começa a se formar para envolver o embrião. E quando o embrião mede cerca de 0,5 centímetros já se passou o primeiro mês da gravidez.

O que acontece nos próximos oito meses já é sabido pelos cientistas. Mas o desenvolvimento humano ainda tem vários fatores para se descoberto. Por isso, os cientistas criaram um modelo de embrião humano usando células-tronco humanas. Eles fizeram uma descoberta que pode dar informações vitais sobre os estágios iniciais do desenvolvimento.

Desenvolvimento

Publicidade
continue a leitura

De acordo com as equipes da Universidade de Cambridge e do Instituto Hubrecht, o modelo feito por eles dará a eles a possibilidade de observar processos nunca vistos antes. Eles são processos subjacentes à formação do corpo humano.

Esse layout dos seres humanos, que é conhecido como plano corporal, acontece através de um processo conhecido como  gastrulação. Nele, três camadas de células distintas são formadas no embrião. E depois elas dão origem aos três principais sistemas do corpo: o nervoso, músculo-esquelético e digestivo.

O período da gastrulação é conhecido como a "caixa preta" do desenvolvimento humano. Isso porque as restrições legais não permitem que os cientistas desenvolvem embriões em laboratórios por mais de 14 dias.

A equipe que fez esse estudo disse que o modelo se parece com um embrião entre 18 e 21 dias. Essa é a época em que a gastrulação acontece.

Período

Publicidade
continue a leitura

Nesse período vários defeitos congênitos acontecem. E compreender melhor a gastrulação pode ajudar os cientistas a compreenderem questões como infertilidade, aborto espontâneo e distúrbios genéticos.

"Nosso modelo produz parte do projeto de um humano. É emocionante testemunhar os processos de desenvolvimento que até agora estavam ocultos da vista, e do estudo", disse o principal autor Alfonso Martinez-Arias, do Departamento de Genética de Cambridge.

Para conseguir criar os modelos tridimensionais, que são conhecidos como gastruloides, a equipe coletou feixes apertados de células humanas e os tratou como se fossem produtos químicos que funcionavam como sinais para ativar determinados genes.

De acordo com os pesquisadores, é a primeira vez que as células-tronco humanas foram usadas para criar um embrião humanos modelo 3D. Isso aconteceu depois de alguns testes terem sido feitos com células-tronco de ratos e peixes.

Publicidade
continue a leitura

Os cientistas fizeram questão de ressaltar que os gatruloides nunca se desenvolvem em embriões totalmente formados. Até porque não tem células cerebrais e não tem nenhum dos tecidos para a implantação no útero.

Mesmo assim, eles conseguiram observar aproximadamente 72 horas do desenvolvimento dos modelos. E conseguiram identificar sinais claros dos eventos que levam à formação de músculos, ossos e cartilagens.

"O estudo é uma janela fantástica para a formação inicial do corpo humano. Ele destaca o incrível poder de auto-organização de células e tecidos, dadas as condições certas", disse Jeremy Green, professor de biologia do desenvolvimento no King's College London, que não estava envolvido na pesquisa.

Publicado em: 15/06/20 15h17