Ciência e Tecnologia

Moradores de Marte terão que usar cadáveres humanos de adubo

0

Atualmente, um dos maiores problemas, discutidos sobre a colonização de Marte, é o que deve ser feito com os corpos dos colonos mortos. Pensando nisso, o bioengenheiro, J.J. Hastings, e a designer de moda, Pia Interlandi, estão explorando soluções para o caso. Entre as ideias propostas, uma diz que moradores de Marte terão que usar cadáveres humanos de adubo.

Para realizar a tarefa, os pesquisadores propõem a criação de uma “recicladora de seres humanos”. Já que, para colonizar algum planeta, o primeiro passo é plantar algo em seu território, podemos dizer que esse seria um dos caminhos.

Entenda como poderíamos “reciclar” seres humanos

Esse sistema faria a compostagem do corpo, o transformando em matéria-prima que poderia ser usada como fertilizante. Contudo, apesar da estranheza, dada a escassez de recursos no planeta vermelho, faria sentido usar os restos mortais dessa maneira. No entanto, muitos podem questionar o fato dessa não ser a mais ética das ideias.

A “recicladora de seres humanos” seria um sistema que armazenaria o corpo falecido enquanto ele se decompõe. Mas, além disso, ele também estaria o transformando em matéria-prima que poderia ser usada para fins de fertilização da terra, como um adubo natural. Contudo, a ideia de Hastings e Interlandi é que depois de desenvolver o sistema, ele também seja usado aqui na Terra. Além disso, esse poderia ser o início planos para “enterros verdes”. Ou seja, soluções mais sustentáveis para enterros da forma como estamos acostumados.

Uma outra solução proposta é uma espécie de “caixão marciano”. Dessa forma, a peça desenvolvida é uma espécie de vestuário para ser usado no ritual de pós-morte. Em seguida, esse vídeo mostra mais de como o equipamento funcionaria. Dessa forma, a peça de seda biodegradável de várias funcionaria como uma alternativa mais “humana” sobre o caso.

Essa peça possui quatro camadas e é 100% biodegradável. Assim, primeiro, uma camada fica diretamente em contato com o corpo. Depois disso, uma segunda camada “deve ser mais decorativa. Funcionando principalmente para cerimônias ou memoriais”, disse Hastings. Essa camada semi-translúcida é feita de seda clara. Além disso, também apresenta um desbotamento gradual de cor, de cima para baixo da peça, indo do branco até o cinza escuro. Em seguida, a terceira peça de seda é uma parte clara e transparente que envolve e cobre o rosto do morto. Por fim, a roupa inclui um véu grande, que assemelha a um cobertor. Contudo, ele é feito de uma seda muito simples e se parece com uma espécie de teia. Esta quarta peça envolve todas as outras partes.

Como morrer em fora da Terra?

Até o momento, três pessoas morreram no espaço. Isso aconteceu após o lançamento da Salyut 1 pela União Soviética, a primeira estação espacial, em 1971. Dessa forma, a missão Soyuz 10 foi lançada e retornou para a Terra mais cedo do que o planejado. Isso porque houve um problema de atracação na estação. Dentro da nave, estavam Georgi Dobrovolski, Vladislav Volkov e Viktor Patsayev. Contudo, o problema aconteceu durante sua descida para a Terra. Nessa hora, uma válvula se abriu muito cedo e a equipe morreu de descompressão quando exposta ao vácuo do espaço.

Conforme passamos mais tempo no espaço, novas soluções e novos treinamentos sobre o que fazer com nossos mortos devem surgir. Além disso, a ideia é que essas soluções mantenham nossa “humanidade”. Não é porque estamos no espaço, que vamos simplesmente jogar corpos por meio de cápsulas espaciais.

Se o cão mais rápido competisse com o felino mais rápido do mundo, quem venceria?

Matéria anterior

Conheça o medicamento cubano que está sendo usado no tratamento do coronavírus

Próxima matéria

Você pode gostar