Recentemente, a formação das tempestades tropicais Teddy e Vicky nesta segunda-feira (14/09) causou mudanças um tanto quanto significativas para os nomes dos furacões. Isso porque, até o momento, 20 tempestades já foram nomeadas neste ano. Dessa forma, temos apenas mais um nome sobrando na lista de nomes pré-determinados de durações, que é Wilfred.

Depois da próxima tempestade ser nomeada como Wilfred, passaremos a utilizar as letras do alfabeto grego para nomear as tempestades. Sendo um evento extremamente raro, mas não único, esta é a segunda vez na história que isso ocorreu.

Estamos tendo mais tempestades do que o normal

Publicidade
continue a leitura

De acordo com especialistas, a atual temporada tem sido repleta de tempestades e isso representa um recorde histórico. Em setembro, estatísticas do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos afirmaram que teríamos cerca de sete sistemas nomeados nessa época. Porém, esse número foi muito acima da média e tivemos 20 desses sistemas.

Nessa temporada, também tivemos outros eventos únicos. Por exemplo, é a primeira vez que tivemos tempestades registradas com as letras 'T' e 'V'. São elas, Teddy e Vicky, respectivamente. Contudo, isso não foi uma surpresa para os meteorologistas, uma vez que uma temporada movimentada já era prevista.

Segundo National Oceanographic Atmospheric Administration (NOAA) e da Universidade do Estado do Colorado, nos Estados Unidos, as previsões eram de que, 2020 teria quase o dobro do número médio de tempestades nomeadas de 1981 a 2010. Nesse sentido, o número de tempestades não deve parar. Para Gerry Bell, meteorologista da temporada de furacões da NOAA, é previsto um número de 25 tempestades nomeadas. Isso significa que, o alfabeto grego será usado novamente.

Publicidade
continue a leitura

A última e única vez que o alfabeto grego foi utilizado foi em 2005, quando tivemos um total de 27 tempestades nomeadas. Dito isso, a temporada recorde terminou com a tempestade tropical Zeta, que chegou no final de dezembro. Essa mesma temporada ficou conhecido pelo estrago do furacão Katrina, de categoria 5. Esse furacão causou grandes estragos nos estados de Louisiana e Mississippi. Para se ter uma ideia, esse é considerado um dos maiores desastres naturais da história dos Estados Unidos.

Por que tantas tempestades nesta temporada?

Publicidade
continue a leitura

Não há um único fator que faz com que tenhamos mais tempestades do que o normal. Deste modo, isso se dá por uma série de eventos. Entre esses eventos, podemos citar a temperatura da superfície do mar superior a 26º C. Além disso, também citamos a instabilidade na atmosfera que está acontecendo próximo à região da África Ocidental. Por fim, também temos o cisalhamento do vento. Ou seja, uma rápida variação de direção e velocidade. Dito isso, são essas características que temos visto até o momento nesse ano.

Para especialistas, também é difícil afirmar se esse fenômeno está relacionado às mudanças climáticas. Contudo, ao que tudo sugere, já é possível supor que, o fato de termos tempestades mais intensas está diretamente relacionado ao aquecimento global. Porém, isso não necessariamente significa que, o alto número de tempestades se dê por conta disso. De fato, são muitos fatores envolvidos e em situações como esta, as consequências da ação do homem se misturam a questões de fenômenos que não controlamos.

Publicado em: 19/09/20 12h22