Ciência e Tecnologia

A nova síndrome que deixa usuários de maconha doentes e está preocupando especialistas

0

Nos últimos anos, por todo o mundo, grandes discussões a respeito da legalização da maconha vem acontecendo. Alguns países, como o Uruguai, e alguns estados dos Estados Unidos — como a Califórnia, já liberaram a utilização da erva, tanto para fins recreativos, quanto medicinais. Muitas são as pesquisas que comprovam os benefícios da planta e seus componentes para a saúde. Ela pode agir como auxiliar no tratamento de várias doenças como glaucoma, esclerose múltipla, epilepsia, entre outras.

Apesar das extensas listas de benefícios apresentadas em vários estudos, os usuários de maconha terão de encarar um possível novo fator contra a utilização da planta. Uma doença, que era até então considerada rara, tem assustado os usuários que a desconheciam até então. O “efeito colateral” que afeta aqueles que fazem o uso contínuo das substâncias que compõem a planta foram considerados em ascensão,.

Do que se trata?

Conhecida como a Síndrome de Hiperemese de Canabinoide (SHC), o problema está associado aos usuários crônicos da erva. Estudos sobre o tema iniciaram a partir de 2004, quando os casos começaram a surgir. Principalmente em locais onde o consumo de maconha era legalizado. Conforme o número de pessoas apresentando os sintomas aumentaram, médicos e pesquisadores também conseguiram identificar os fatores que levavam a desencadear a síndrome. Basicamente atribuídos ao uso frequente da erva.

Os sintomas consistem em fortes dores abdominais, vômitos constantes e náuseas, que só desaparecem ao cessar a utilização da erva ou com banhos quentes, que seriam uma alternativa pouco eficaz, devidos os sintomas regressarem a medida que a temperatura da água cai, como relatado por pacientes diagnosticados com a síndrome.

Outra má notícia é que, apesar dos constantes estudos sobre a doença, ainda pouco se sabe sobre o tema e uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos pesquisadores seria pela falta de confiança dos usuários em assumirem abertamente o uso da erva. Prejudicando assim o diagnóstico e a compreensão pela classe médica. Para o médico Joseph Habboushe, em matéria ao Bussiness Insider: “Esse é um problema mal compreendido pela grande maioria dos médicos e poderia afetar milhões”.

Certamente muito ainda há que ser descoberto sobre o problema, incluindo alternativas e possibilidades de tratamento para evitar seus efeitos adversos e sintomas. Mas e vocês, caros leitores, tinham conhecimento sobre essa doença? já ouviram falar de algo parecido? Deixem aí nos comentários o que acham sobre o tema.

7 séries de TV que ninguém queria que fossem canceladas (mas foram)

Matéria anterior

Como o Ciclope se tornou o personagem mais odiado da Marvel

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.