A cada dia que passa, nós chegamos mais perto do colapso ambiental. Problemas no meio ambiente, como aquecimento global e buraco na camada de ozônio, são uma ameaça à vida humana, como também é um perigo para a permanência de qualquer ser vivo no planeta Terra. Mas um dos problemas ambientais que mais preocupam é a poluição, e suas consequências.

Dessas, uma forma que está mais evidente é a poluição de plástico que é descartado na natureza. O material pode demorar até mais de 600 anos para se decompor no meio ambiente. De acordo com o estudo de especialistas no assunto, o tempo médio de biodegradação do plástico é de 50 anos para copos plásticos, 200 anos para canudinhos e cerca de 450 anos para garrafas plásticas.

A poluição de plástico acarreta uma infinidade de consequências naturais. Por isso mesmo, o homem deveria ter mais cuidado com o que faz com os produtos ou resíduos de plástico.

reciclagem é uma forma de reaproveitar as matérias-primas que são descartadas e nesse sentido, reciclar significa diminuir a quantidade de resíduos que vêm dos produtos que já foram consumidos pelo ser humano.

Publicidade
continue a leitura

Por isso, os cientistas desenvolveram um tipo de plástico que pode ser reciclado por um número ilimitado de vezes. Geralmente, o processo de reciclagem prejudica bastante a qualidade dos plásticos. O plástico reciclável que é feito pelo processo convencional, chamado "termomecânico", não tem uma qualidade suficientemente alta para que possa ser usado de novo para fazer outras garrafas. Por isso, ele é usado para fazer outros produtos, como por exemplo roupas e tapetes.

Plástico

Mas de acordo com o relatado pela New Scientist, o novo  material, PBTL, pode ser decomposto e remodelado em uma coisa nova com uma qualidade tão boa quanto o original. Isso significa que, potencialmente, teremos muito menos plástico enchendo os aterros sanitários.

Publicidade
continue a leitura

Quem descobriu isso foi uma equipe liderada pelo químico Eugene Chen, da Universidade do Estado do Colorado. Eles descobriram uma forma de quebrar o plástico em monômeros individuais. Para que isso seja feito é preciso de 24 horas de fervura e tratamento químico.

Segundo Chen, desde que o plástico não seja misturado com nenhum outro tipo de produto, o PBTL pode ser decomposto e reciclado indefinidamente.

Desafios

Publicidade
continue a leitura

Além da equipe de Chen, uma equipe do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley desenvolveu um plástico parecido que também é infinitamente reciclável. Eles desenvolveram esse produto no ano passado.

Claro que é bastante encorajador ver esses desenvolvimentos. Mas o verdadeiro desafio provavelmente vai ser fazer com que os fabricantes realmente adotem esses novos plásticos de baixo desperdício ao invés das opções mais baratas.

Publicado em: 24/08/20 17h37