Ciência e Tecnologia

O que aconteceria se você comesse 50 ovos de uma vez?

0

Durante muito tempo o ovo foi considerado um vilão dentro das tentativas de manter uma alimentação saudável. A própria medicina apontava para os ovos, a culpa do alto colesterol nos indivíduos. Mas nos últimos anos, a sua reputação foi finalmente restabelecida, passando de um vilão para um mocinho altamente recomendado. Agora ele é considerado um superalimento rico em micro e macronutrientes. Na clara encontra-se proteínas com alto valor biológico, a queridinha dos atletas e de quem quer desenvolver músculos.

Da mesma maneira, a gema, também foi absolvida nos tribunais médicos. O colesterol ruim (LDL) encontrado na região amarela do ovo é insuficiente e pequena demais para ser a responsável pelo aumento das doenças cardiovasculares, dizem as pesquisas.

Isso porque a gema também proporciona o colesterol bom (DHL), responsável por limpar as artérias, além de fornecer vitaminas A, D, E, K, B, minerais como ferro, cálcio, zinco, selênio, fósforo, iodo, cobre e outros inúmeros benefícios contidos em um único ovo. Ele é de fato, um superalimento.

Tudo na vida depende de moderação. Ainda mais quando falamos sobre saúde alimentar. Mesmo os ovos tendo recuperado sua autoestima, exageros podem sim prejudicar o indivíduo, e claro, isso também diz respeito aos ovos.

O consumo da proteína em excesso sobrecarrega a função dos rins, que precisarão trabalhar além de suas necessidades regulares para quebrar todas as moléculas. Outro fator a se considerar é que quem possui histórico de colesterol alto na família ou já o possui, precisa diminuir o consumo das gemas, assim como um atleta precisará comer muito mais ovos para repor a energia dispendida.

De uma maneira geral, os estudos apontam que crianças, adultos e idosos em boas condições de saúde podem se alimentar de pelo menos um ovo por dia, sem correr qualquer risco para o seu organismo. Além dessa quantidade, uma consulta com um especialista torna-se necessária.

O ingrediente secreto para manter uma vida mais saudável é sempre o equilíbrio. E somente uma avaliação profissional pode indicar qual a quantidade limite de ovos para cada pessoa.

Mas o que acontece se uma pessoa ingerir 50 ovos de uma vez só? Há loucos e loucuras para todas as situações mais impensáveis e improváveis nesta vida. Por isso devemos nos questionar: o que aconteceria numa situação absurda assim?

Competições alimentares são famosas em todo o mundo. Quem come mais cachorros quentes ou mais tortas, por exemplo, são disputas interessantes para o público que aguardam ansiosos para ver quem passará mal, quem conseguirá atingir o objetivo e a própria situação em si, cômica por levar uma pessoa aos seus extremos.

Uma cena de filme ficou famosa por retratar exatamente essa história e se tornou um clássico do cinema sendo copiados por outros diretores. Paul Newman interpreta Lucas, um rebelde que desafia as autoridades, é preso por um delito pequeno, mas conquista os presidiários pela sua vaidade e orgulho. Lucas nunca fugiu à uma briga ou disse não para uma aposta. É quando chegamos na cena mais emblemática do enredo de “Rebeldia Indomável“.

Lucas diz para os companheiros que comeria 50 ovos em apenas uma hora. Um colega de cela lhe responde que “Ninguém consegue comer 50 ovos” de uma só vez. Mas Lucas vai em frente e aceita o desafio, para a admiração de todos os presidiários.

A cena não é nada agradável e mostra como seria difícil atingir o objetivo. A maioria das pessoas ficaria enjoada logo nos primeiros 10 ovos e não conseguiria seguir adiante. Mas e se uma pessoa conseguir, assim como Lucas realizou a proeza no filme… O que aconteceria no organismo desse indivíduo?

É importante saber que 50 ovos equivalem aproximadamente a mais de 2 quilos e 700 gramas. O organismo é capaz sim de armazenar todos esses quilos de uma vez, mas não sem exigir muito mais do que está acostumado a trabalhar.

Primeiro: essa pessoa teria que produzir muita saliva para engolir essa quantidade absurda de ovos. A água precisaria estar a sua disposição para tornar o “feito” possível. E se mesmo passando por essa dificuldade inicial, o indivíduo conseguir ir até as últimas consequências, o primeiro a sentir o baque seria o sistema digestivo, obviamente.

O estômago comprimido até o seu limite começaria a secretar os sulcos gástricos na tentativa de quebrar as moléculas dos ovos para serem absorvidas pelo organismo. Esse processo demoraria no mínimo de 3 a 4 horas para conseguir levar o alimento até o próximo canal, o intestino.

No intestino o tempo seria ainda maior e assustador. Os ovos permaneceriam ali por pelo menos 36 horas até serem completamente quebrados, absorvidos e eliminado finalmente do corpo. Isso significaria 36 horas de um possível estresse gástrico, além da pior experiência causada por todo o gás sulfídrico que seria produzido e eliminado dessa pessoa corajosa ao ponto de aceitar esse mal estar.

O gás sulfídrico é justamente o que você deve estar pensando: peidos. Você provavelmente não vai gostar muito da sua própria companhia.

Se você é uma dessas pessoas como Lucas, interpretado por Paul Newman, que adoram desafios, é bom que você saiba que se quiser bater o recorde mundial terá que comer mais do que 141 ovos em menos de oito minutos.

Esse é o recorde de Joey Chestnut que detêm o título por comer mais ovos cozidos no mundo. Essa proeza alimentícia foi realizada em outubro de 2013 segundo a Major Leagues Eating e até hoje não foi superada.

E você, encararia uma disputa assim? Não esqueça de deixar o seu comentário e aproveite também para compartilhar a matéria com seus amigos.

7 lendas e fatos que fazem a Antártida um lugar espetacular

Artigo anterior

Como acabou a Segunda Guerra Mundial?

Próximo artigo