Você já ouviu falar do 'Efeito Mandela'? Se essa é a primeira vez que você ouve falar disso, provavelmente está associando o nome do fenômeno com o ex-presidente Nelson Mandela, e não está errado sobre isso. O nome do efeito se deu, realmente, devido um acontecimento que parece ter se iniciado na internet e envolvia o famoso Mandela. Aparentemente, tudo isso teria surgido em 2010 quando algumas pessoas relataram falsas lembranças sobre a morte do ex-presidente em conjunto. Muitos chegaram a afirmar que ele teria morrido na prisão em 1980 e que até se lembravam de imagens do seu funeral passando na televisão.

Apesar disso, a história não é verdadeira. Nelson Mandela, na verdade, foi libertado da prisão em 1990 e morreu apenas em 2013. Outros relatos parecidos com esse, envolvendo memorias falsas, começaram a aparecer nos anos seguintes e uma consultora paranormal chamada Fiona Broome acabou dando o nome do fenômeno de 'Efeito Mandela'. As teorias pseudocientíficas que buscaram explicar o ocorrido envolvem a existência de diversas realidades paralelas. E, por mais que você possa não acreditar, esse efeito pode ter grandes consequências sobre você.

Sobre o 'Efeito Mandela'

Publicidade
continue a leitura

Você deve estar tentando imaginar como  uma memória falsa pode substituir uma verdadeira sem que você tenha consciência disso. Apesar disso, o fenômeno é bastante comum e você provavelmente já passou por ele. Em algum momento de sua vida, por mais pequeno que seja, você já se perguntou se uma coisa havia mesmo acontecido? Pois é, provavelmente sim. E é mais ou menos sobre esse tipo de situação que estamos falando.

O 'Efeito Mandela' se trata de uma memória falsa ou uma memória distorcida, da qual você não tem consciência. As nossas lembranças, na maioria das vezes, são incertas e isso faz com que algumas confusões aconteçam. Essa imprecisão faz com que, em alguns momentos, não sejamos capazes de distinguir o real do imaginário.

Testes que comprovam o fenômeno

Publicidade
continue a leitura

Interessado pelo assunto, um professor de psicologia dos Estados Unidos chamado Jim Coan resolveu fazer um teste. Ele ficou conhecido como "Lost in the Mall" e consistiu em uma experiência falsa contada pelo próprio psicólogo para seus familiares, afirmando que seu irmão havia se perdido no shopping quando criança. Mesmo não tendo acontecido de verdade eles começaram a acreditar naquilo e outros pontos até foram adicionados a história por outros familiares.

Em outro momento, uma psicóloga cognitiva e especialista em memória humana chamada Elizabeth Loftus resolveu aplicar o teste de Jim Coan em mais pessoas e o resultado foi incrível. Depois de colocados sob um evento falso, 25% dos voluntários não conseguiram identificar a história como falsa, mesmo que ela fosse.

Considerações finais

Publicidade
continue a leitura

Apesar de existirem diversas outras explicações para o efeito, que vão desde teorias quânticas até múltiplos universos, ela é mais comumente associada a erros da memória. Já que muitos dos casos envolvendo 'Efeito Mandela' se tratam de questões pequenas, fazendo com que muitos acreditem fielmente que KitKat é escrito com hífen (Kit-Kat), o caso pode ser o resultado de uma atenção seletiva.

Esse tipo de coisa pode afetar a sua vida consideravelmente ao fazer com que uma memória falsa se torne uma realidade em sua mente, ou até mesmo coletiva. Isso acontece de forma coletiva, em alguns casos, porque a história acaba se dissipando na internet até um ponto em que outras pessoas passam a acreditar naquilo. E isso acaba abrindo uma questão perturbadora sobre todos nós. Será que as nossas lembranças são realmente verdadeiras? Fica aí a dúvida!

Publicado em: 05/03/18 19h58