No dia 2 de março de 1972, às 20h42, a NASA (Agência Espacial Americana) lançou a sonda espacial não tripulada "Pioneer 10". Dessa forma, a sonda saiu de Cabo Canaveral, no Estado da Flórida, ruma a Júpiter e, em seguida, chegaria ao "precipício" do nosso sistema solar. Assim, além de coletar informações sobre o planeta, a sonda também possuía uma mensagem que o astrônomo Carl Sagan enviou aos extraterrestres.

Sua missão principal era tirar fotos detalhadas do grande planeta e de suas luas. Desse modo, essas informações serviriam para estudarmos sua atmosfera, partículas e ventos solares, fluxo e também a velocidade das abundantes partículas de poeira. Porém, a sonda também tinha uma segunda missão. Juntamente aos suportes da antena, havia um diagrama científico e artístico, chamado de Placa Pionner.

Qual seria a melhor forma de cumprimentar o universo?

Publicidade
continue a leitura

Três meses antes da sonda ser lançada, Carl Sagan sugeriu que ele e seu colega, Frank Drake, trabalhassem na mensagem interestelar. "Achamos que a coisa mais interessante para os alienígenas seria saber como somos", afirma Drake, fundador do Instituto SETI, que examina sinais de comunicação extraterrestre no espaço. "Mas pensamos que eles também gostariam de saber de onde a mensagem veio e quando ela foi enviada", continua. Isso porque, "poderia levar milhões de anos até ela ser interceptada", completa.

Para desenvolver a mensagem, os dois cientistas partiram da ideia de que a ciência e a matemática são linguagens universais. Dessa forma, elas poderiam ser entendidas por toda forma de vida inteligente. Mas, claro, a mensagem não seria escrita em um idioma, mas sim, a partir de um código.

No mapa desenvolvido pelos pesquisadores, é mostrada a localização do Sol por meio de pulsares. Isso pode ser visto por meio da figura 1. Na figura 2, vemos o Sol novamente, mas agora, acompanhado dos planetas do Sistema Solar. Além disso, na figura 3, uma seta sai da localização da Terra e aponta para a Pioneer 10. Desse modo, é possível entender o trajeto da sonda.

Publicidade
continue a leitura

Entenda o que significa cada um dos códigos

Em seguida, a figura 4 ilustra o átomo de hidrogênio em seus dois estados de energia mais baixa. "Quando um átomo de hidrogênio muda de um estado de energia para outro, irradia uma onda de rádio com um certo comprimento de onda e com uma certa frequência de oscilação", afirma Drake.

Publicidade
continue a leitura

Na figura 5, há uma representação da figura humana. Mas, para além disso, também há algo escrito. "É um número binário que indica que a mulher mede 8 dessa unidade fixa: 8 x 8 polegadas = 64 polegadas, que na verdade é a altura média das mulheres no planeta", afirma o astrônomo.

Essa parte, de como apresentar os humanos, deveria ser a mais fácil da mensagem. No entanto, acabou se tornando a mais difícil. Isso porque, a imagem deveria mostrar toda a diversidade humana em apenas duas imagens. "Queria que cada figura tivesse traços raciais diferentes. A mulher tem olhos muito amendoados e cabelos lisos. Fiz o homem com cabelos encaracolados e nariz achatado, para que eles fossem multiculturais", afirmou Linda Salzman, autora da ilustração. Em relação as roupas, "como ia vesti-los? Em trajes tribais? Em roupas de alta costura? Não, decidimos deixá-los nus", completa a artista.

Por fim, na sexta parte da mensagem, temos a silhueta da nave que contém a mensagem. "Em 4 bilhões de anos, o Sol crescerá, se tornará um supergigante, engolirá a Terra e destruirá tudo o que sabemos. A placa ainda estará lá para mostrar que houve uma civilização como a nossa na Via Láctea", afirma Drake.

Publicado em: 13/07/20 22h58