Você provavelmente já ouviu o termo "meritocracia". A etimologia dessa palavra têm duas origens. Do latim meritum, que significa "mérito", e do grego cracía, que significa "poder". O "poder do mérito". Essa questão é muito levantada quando falamos do merecimento de quem ocupa um cargo importante, seja na esfera pública ou privada.

Merecimento. Talvez esteja aí o cerne da questão. Mas quando falamos sobre meritocracia, erroneamente acreditamos que independentemente das características e circunstâncias, todos, absolutamente todos, têm as mesmas chances de alcançarem certos objetivos.

Ultimamente, no nosso país, temos discutido muito sobre igualdade social. O ensino fundamental e médio oferecido pela rede pública é ruim, os professores são mal remunerados e, se tratando do ingresso na universidade, ainda existem os que criticam veementemente a adoção da política de reserva de cotas para negros e indígenas, sendo essa parcela a mais pobre da nação.

Claro que as pessoas às margens sociais também preferiam ter um ensino básico de qualidade que as possibilitasse competir de igual pra igual com quem estuda nas melhores escolas particulares pelas vagas nas universidades públicas. Mas como isso é uma realidade distante, a política cotista continua sendo a única opção, inclusive, para tentar saldar a dívida histórica com os negros que foram libertos pouco antes de 1900 e não foram inseridos na sociedade.

Publicidade
continue a leitura

É bom ressaltar que a cor da pele não define o grau de pobreza, mas a maioria pobre do Brasil continua sendo negra. Mas vamos olhar a questão da meritocracia com um olhar mais abrangente. O cartoonista e ilustrador Toby Morris, de Auckland, na Nova Zelândia, concebeu a tirinha que você vai ver a seguir.

A tira é a visão do autor sobre a falácia da meritocracia. Será que realmente as oportunidades são as mesmas para todo mundo e qualquer um pode conseguir qualquer coisa na vida desde que queira?

Veja a tira e entenda:

p1

Publicidade
continue a leitura

p2

INCp3

p4

O pessoal do Incrível traduziu e publicou a tira e ainda acrescentaram uma frase do escritor George Matthew Adams que serve para nos auxiliar na reflexão do tema:

Publicidade
continue a leitura

Sem título

Queremos saber qual é a sua opinião sobre o assunto. Mande aí pelos comentários.

Publicado em: 02/03/16 17h09