Saúde

Ozempic ajuda mesmo no emagrecimento?

0

O Ozempic ganhou a atenção da mídia e se tornou o queridinho entre aqueles que buscam perder peso. Embora inicialmente destinado ao tratamento do diabetes tipo 2, o medicamento encontrou espaço na rotina de muitos que não se enquadram precisamente nesse grupo.

Ozempic é uma das marcas comerciais da semaglutida, que pertence à classe dos agonistas do GLP-1. Por isso, acaba sendo utilizado para auxiliar pacientes com diabetes tipo 2, caracterizado por resistência à insulina.

Além disso, segundo endocrinologistas, como Verônica El Afiouni, do AME Itu, uma instituição gerenciada pelo Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim (CEJAM), em colaboração com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, o uso deve ser monitorado.

Seja qual for o objetivo, principalmente para pacientes diabéticos, é crucial manter uma dieta adequada e praticar atividade física.

Como o Ozempic funciona?

Via Freepik

A semaglutida imita a função do GLP-1, um hormônio presente no intestino que regula os níveis de glicose no sangue e a saciedade alimentar. Por isso, seu uso é benéfico no tratamento do diabetes.

Quando prescrita especificamente para diabéticos, a substância também pode ajudar na redução de eventos cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular encefálico, além de ser útil em doenças cardiovasculares já estabelecidas.

Entretanto, um aspecto específico tem chamado a atenção de muitas pessoas. Devido à sensação de saciedade que proporciona e ao retardamento do esvaziamento gástrico, o Ozempic atua de forma eficaz no controle e na redução de peso em pacientes diabéticos que também sofrem de obesidade.

Como resultado, muitas pessoas com excesso de peso, ou aquelas que buscam emagrecer por motivos estéticos, começaram a usar o medicamento de forma off label, ou seja, em uma aplicação diferente daquela indicada na bula.

Até o momento, o medicamento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apenas para casos de diabetes tipo 2.

Entretanto, a procura cresceu tanto no Brasil que diversas farmácias anunciaram falta de reposição no início do ano. Além disso, como a compra não requer receita médica, adquiri-lo para outros propósitos torna-se ainda mais simples.

Atenção

Por outro lado, os endocrinologistas advertem para o uso do Ozempic de maneira descontrolada. Conforme conselhos, a aplicação de qualquer medicamento sem orientação médica é arriscada.

Em relação específica a esse remédio, profissionais destacam os efeitos colaterais. Os principais incluem sintomas como náuseas, vômitos e diarreia, além de dor abdominal e obstipação, visto que atua diretamente no estômago.

Por outro lado, especialistas ressaltam que esses efeitos podem ser minimizados com o aumento gradual das doses utilizadas. Além disso, para diabéticos, os efeitos são transitórios, desaparecendo após algumas semanas de uso.

Enquanto isso, para pessoas com problemas renais, é importante estar atento, pois o medicamento pode causar desidratação e insuficiência renal. Em indivíduos predispostos, pode até desencadear pancreatite aguda.

Quanto aos diabéticos, o uso combinado com outros antidiabéticos orais ou insulina pode levar à hipoglicemia.

Quando usado com supervisão médica e seguindo as orientações adequadas, o Ozempic pode ser uma ferramenta valiosa para a saúde de muitas pessoas. No entanto, além desse acompanhamento profissional, é fundamental associá-lo sempre a um estilo de vida saudável e consciente.

Via Freepik

Melhor forma de emagrecer

A aplicação do Ozempic para obesos é uma orientação de diversos especialistas, visto a rapidez da ação. Contudo, isso se deve a uma busca por qualidade de vida e pela possibilidade de encontrar outros caminhos.

Muitas pessoas sofrem com o ganho de peso, impedidas de realizar atividades saudáveis ou ter motivação para iniciar essa jornada.

Inclusive, vale mencionar que muitas pessoas que sofrem com obesidade possuem outros efeitos colaterais que devem ser tratados com urgência. Por exemplo, risco de diabetes tipo 1, colesterol alto e problemas cardíacos.

Portanto, vale o uso do Ozempic para auxiliar nessa jornada e controlar eventuais problemas. Contudo, a recomendação ainda é buscar um estilo de vida mais saudável.

O emagrecimento completo, sem efeito rebote ou colaterais, acompanha uma rotina de exercícios, alimentação saudável e monitoramento. Caso o paciente se apoie somente no remédio, não conseguirá sustentar seus resultados a longo prazo.

Além disso, o uso de medicamentos para emagrecer deve ser somente a última alternativa, e não um caminho mais rápido. Por isso, é fundamental consultar especialistas e procurar indicação adequada antes de começar o consumo do Ozempic.

 

Fonte: Estado de Minas

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

Pneumonite: entenda a condição que levou à morte do empresário Abilio Diniz

Artigo anterior

Estudo sugere que Viagra pode reduzir risco de Alzheimer

Próximo artigo