O mundo animal é algo fascinante e amplo. Uma simples e rápida observação no meio nos faz ficar com diversas dúvidas a respeito de várias coisas. Isso porque há tanto o que aprender, que estudar ou apenas ver, que não sabemos por onde começar.

Estudiosos do mundo inteiro dedicam suas vidas aos estudos dos animais. Alguns chamam a atenção por causa de suas aparências um tanto exóticas. Outros, se destacam pelo comportamento, alimentação e até mesmo pela forma de reprodução. E outros estão à beira da extinção e precisam ser estudados para que sejam salvos.

Não existe um ser humano que resista à fofura dos incríveis pandas. Eles são ursos, porém, longe daqueles gigantes, ferozes e monstruosos que temos medo de encontrar em alguma montanha dos EUA.

Há alguns anos, esses bichos estavam ameaçados de extinção, porém, já faz algum tempo (2016) que eles foram salvos do desaparecimento e hoje são um dos maiores símbolos de perseverança no oriente.

Mesmo com toda a atenção dada a esse animal e um esforço grande para pesquisá-lo e fazê-los se reproduzirem nunca se conseguiu filmar como essa reprodução acontece na selva. Bem, até agora, pelo menos.

Publicidade
continue a leitura

Registro

Para que esse registro fosse possível foram necessários três  anos de caminhada pelas montanhas Qinling, na China. Além de uma colaboração forte entre cineastas, guardas florestais e cientistas para que se conseguisse capturar as primeiras imagens do mundo do namoro e acasalamento de pandas gigantes na natureza.

"Durante a temporada de acasalamento, seu território se sobrepõe muito e eles viajam dezenas de quilômetros por dia em busca do parceiro certo. Seus chamados ecoariam por toda a montanha", disse o cineasta Jacky Poon.

Publicidade
continue a leitura

Essas filmagens conseguidas dão pistas que há muito tempo é procurado, o motivo de porque é tão difícil fazer com que os pandas se reproduzam em cativeiro.

Acasalamento

O vídeo mostra a intensa competição entre dois machos que estão em perseguição. Nessa disputa, eles gemem ferozmente, têm marcas de cheiro e brigas entre eles e a fêmea.

Publicidade
continue a leitura

Além disso, os machos também colocam a fêmea como refém às vezes. Tudo isso acontece enquanto a neve da primavera vai caindo ao redor deles.

Toda essa disputa e esse namoro durou uma semana até que a fêmea estivesse pronta para acasalar. Isso sugere que esses comportamentos dos machos podem  desencadear a ovulação da fêmea. E como foi visto, essas circunstâncias não são fáceis de se imitar em um cativeiro.

Essa não foi a primeira vez que um trio de pandas foi observado na selva em todo o seu ritual de acasalamento. A primeira observação foi feita, em detalhes, em 1981 também com dois machos perseguindo uma fêmea.

A pesquisa ainda sugere que, quando os pandas podem escolher entre parceiros, quando eles estão em cativeiro, os flertes têm o dobro de chance de serem bem sucedidos.

Publicado em: 27/10/20 14h51